Connect with us

#OMG

Cone Crew, a prisão do Cert e a semelhança com o Planet Hemp

“Ai Olívia Cone Crew é música de maconheiro blablabla”

LOJA DC 4

Não. Moçx você é muito errado e preconceituoso além de tudo. Como todos sabemos, a Cone Crew é um grupo de rap brasileiro natural do Rio de Janeiro, aonde sigla C.O.N.E tem o significado interno vindo da abreviação “Com Os Neurônios Evaporando (ou evoluindo)”.

Com o lançamento do seu primeiro disco, “Com os neurônios evoluindo”, o fenômeno Cone explodiu em todo o brasil, todo mundo quis virar MC, Rapper, beatmaker. E assim vieram as comparações com o Planet Hemp, que nos anos 90 teve o mesmo destaque na mídia por causa do mesmo motivo: apologia as drogas.

 

 

“Ai Olívia o Planet Hemp é bom e a Cone é um lixo”

Caro amigo, vamos lá. A diferença entre a Cone e o Planet Hemp é que, com o Planet Hemp você pegou o bonde andando, ou melhor, quando já tinha parado. Enquanto a Cone você pegou a explosão. Qual você achou que foi a reação dos seus pais sobre? Pois zé, possivelmente igual a sua. Seja ela boa ou ruim.

d2 e cone

 

“Mas o Cert não foi preso por apologia e sim por tráfico”

Vamos lá, mais uma vez. O “arsenal” do Cert contava com 4 pés cultivados em sua casa, na região serrana do RJ. Por falta de profissionais, a perícia foi realizada na capital, o que já começa errado, na minha opinião. No final do dia, o músico foi enquadrado e detido por “cultivo para outros fins que não o consumo pessoal”, sendo assim tráfico de drogas. Segundo o laudo, havia 1,6kg de substância entorpecente, e segundo as fotos da perícia, o material provavelmente foi pesado com folhas, caule, raízes, terra e vaso para alcançar esse número, afinal sabemos bem o “modus operanti” da polícia carioca. Colhidos prematuramente dificilmente renderia mais de 50g de erva seca, sendo apenas a erva seca a substância entorpecente.

cert mudas

A prisão foi realizada sem mandado ou investigação, foi baseada apenas por uma denúncia de um desafeto do cantor – no caso a sogra de Cert.

Segundo Matias Maxx, do site da revista Vice, podemos ver claramente o erro da PM: “Ele foi preso não só por causa da droga encontrada na casa dele, não: ele foi preso porque a sogra dele chegou aqui com a denúncia de que ele tinha agredido a filha dela. Policiais militares foram até a casa dele e, chegando lá, ele desacatou os PMs. Ele estava muito alterado. Então, a sogra dele apresentou aqui na delegacia uma foto de sua plantação de maconha; aí eu fui lá, entrei na casa e dei voz de prisão pra ele.”

E mais, o jornalista termina com “Perguntei se ele havia sido autuado pela agressão, e o policial me respondeu que ele foi autuado por desacato: a esposa não quis representar contra ele. E, antes que eu pudesse questionar o porquê de ele ter sido enquadrado no artigo 33 com apenas quatro plantas, o policial disse que tinha de atender uma ocorrência, desligou na minha cara e a linha ficou ocupada.”

 

 

Após isso, as redes sociais da Cone Crew soltaram um comunicado bem claro:

“Cone Crew Diretoria nunca escondeu seu posicionamento sobre a política de combate ao uso de drogas, sempre se colocando a favor da legalização do uso da maconha assim como outras pessoas importantes da nossa sociedade também já o fizeram, dentre elas o ex-presidente FHC.

Nós repudiamos o tráfico de drogas, a ineficiente política de tratamento aos viciados e principalmente a prisão de usuários.

Hoje fomos vítima dessa lei antiga, estúpida e ineficaz, igual a quase todas as demais existentes no Brasil, onde ladrões, corruptos, traficantes e foras-da-lei de todas as espécies estão agora na praia e um dos nossos detido acusado de cultivar maconha para uso pessoal.

O Cantor não é traficante e nem precisa disso pra viver, é um trabalhador como vários outros pais de família que levam a vida de forma honesta e são apenas usuários.

Cadeia nele vai resolver os problemas na nação?

Nós vamos lutar até o fim para tirar o Cert dessa situação.

Cone Crew Diretoria

Esse é o Movimento!

#LiberdadeCert”

 

 

“Mas Olívia, a lei anti-drogas é clara… foi pego com quantidade X, é usuário. Quantidade Y é traficante.”

Não. Nossa lei anti-droga é cheia de nuances. Dr. Emílio Figueredo, da Comissão Jurídica do Growroom “No artigo 28, está escrito que ‘Quem, para seu consumo pessoal, semeia, cultiva ou colhe plantas destinadas à preparação de pequena quantidade de substância ou produto’; e, no artigo 33, quem ‘semeia, cultiva ou faz a colheita, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar, de plantas que se constituam em matéria-prima para a preparação de drogas’. Ou seja, a diferença está nos termos “consumo pessoal” e “pequena quantidade”, que são entendidos pelo delegado na hora do enquadramento, pelo promotor na hora da denúncia e pelo juiz na hora do julgamento. Sobre o consumo pessoal, na lei está escrito que ‘para determinar se a droga destinava-se a consumo pessoal, o juiz atenderá à natureza e à quantidade da substância apreendida, ao local e às condições em que se desenvolveu a ação, às circunstâncias sociais e pessoais, bem como à conduta e aos antecedentes do agente’, o que dá uma grande margem de interpretação e aplicação da lei como forma de controle social de camadas desprivilegiadas da sociedade. E pequena quantidade é uma expressão infeliz para determinar se o sujeito será solto ou preso, pois não há nada na literatura jurídica ou científica que determine o que é pequena quantidade. A pequena quantidade de plantas para uma autoridade na maioria das vezes não é o suficiente para suprir a necessidade de uso cotidiano do cultivador. “

Assim, fica obviamente claro que a polícia carioca resolveu “castigar” o rapper e agiu de má fé. Afinal, o fato de terem colocado uma arma de air soft na mesa de apreensão, escondendo sua ponta laranja, transparece tamanha má fé.

cert arsenal

 

 

Ah, mas e a mulher do Cert? Afinal, ela foi agredida? Ela vai se pronunciar sobre?

Então, até agora a Babi não se pronunciou sobre o assunto e declarou que só se pronunciará em juízo, mas soltou uma nota no Facebook/Instagram, a qual primeiramente foi privada, mas depois a tal a configurou para modo público:

mulher cert

 

Até o fechamento desta matéria, a justiça decidiu pela manutenção da prisão de Cert por tráfico de drogas.  Mais uma vergonha declarada da PM brasileira. Inúmeros fãs estão se manifestando na internet e já tem até manifestação a favor da liberdade do músico sendo marcada no RJ. Vários músicos como MarceloD2, Dinho Ouro Preto, Raimundos e Tico Santa Cruz já se manifestaram sobre. O deputado Jean Willys também já se manifestou sobre e defende a mudança na política anti-drogas brasileira. E até o senador Cristovam Buarque. Todas as manifestações podem ser vistas na página oficial da Cone no Facebook.

Cert, eu estou com você. #LiberdadeCert

Fotógrafa, produtora de moda, jornalista , cinéfala, vlogueira e bem resolvida (menos quanto a cor de cabelo).

Conheça nossa comunidade no G+