Connect with us

cinema

Mulher-Maravilha “Diana Rainha, o resto nadinha”

Vinícius Fernandes Chagas

Published

on

Ontem foi um dia de gloria para os DCnautas (fãs da DC comics), mesmo eu sendo super marvete (fã da Marvel comics) tenho que admitir…

Mulher-Maravilha conta a história de Diana de Temicera, filha de Hipolita, a rainha das amazonas, o que faz de nossa protagonista uma princesa. Se você não sabe nada de DC e não tem ideia do que é a ilha de Temicera, é uma ilha escondida no mapa onde somente as amazonas podem viver, uma ilha povoada somente por mulheres guerreiras ( imagine o reino de Esparta com somente mulheres. Bom, bem-vindo a Temicera).

Diana é a única criança da ilha pois, assim como nas HQs , Diana foi esculpida no barro por sua Mãe Hipolita que, após a rainha muito implorar para Zeus (sim, O Zeus, aquele da mitologia grega), concedeu vida a criança.

O filme em si tem 3 partes principais, a primeira é a fase da infância de Diana, onde não se tem contato nenhum com o mundo exterior e vemos o treinamento intenso vivido pela protagonista.

Então vemos a chegada de um avião a ilha e a noção de que no mundo está ocorrendo uma guerra, a qual Diana suspeita de que seja uma Ares(sim de novo, O Ares, Deus da Guerra), um vilão já muito famoso nas HQs da Mulher-Maravilha.

Essa desconfiança a faz querer ir atrás do deus grego para pôr fim a guerra( aquela histórica guerra sabe? A Primeira Guerra Mundial), e assim entramos na terceira parte, onde Diana ajuda na guerra contra o exército alemão, em sua busca para deter Ares.
Confesso que quando era pequeno, nunca fui muito fã da Mulher-Maravilha mas, de uns anos pra cá, fui conhecendo melhor a personagem e vendo a importância delas nas HQs.

Diana é uma mulher forte, que luta pelos fracos e oprimidos assim como todo o super-heróis, mas a Mulher-Maravilha tem algo a mais, ela sempre lutou pelos direitos das mulheres, e isso está bem presente no filme; em meio a uma multidão de homens durante a guerra, ela é constantemente questionada sobre sua presença no fronte de batalha, e ainda assim ela mostra a que veio. Diana pra mim é um ícone do Feminismo, ela luta pela igualdade entre todos.

Agora falemos dos atores e direção que é um show à parte. Gal Gadot, atriz que interpreta a Mulher-Maravilha, foi criticada por não ter nada a ver com a personagem. Porém ela já havia convencido e ganhado respeito em Batman vs. Superman (que por sinal foi ela que salvou né) e novamente ela está maravilhosa. É incrível como ela se destaca entre tudo o que acontece na trama, não importando em qual traje ela está, vestido, saia ou de armadura (e que armadura meus amigos!); tenho que dizer que o figurino nesse filme está impecável.

O ator Chris Pine, que interpreta o capitão Steve Trevor, foi simplesmente brilhante em seu papel como um piloto das forças armadas dos EUA que se torna um grande amigo e companheiro de Diana em sua jornada; muitas vezes fui surpreendido pelo carisma do personagem que é um ótimo galã e ótimo em todas as cenas de ação que participa.
A direção ficou por conta da Patty Jenkins, e que ótimo que foi uma mulher que dirigiu esse filme! Ela soube colocar tudo em seu devido lugar, soube amarrar tudo de maneira que ficasse nenhuma brecha na história, o mínimo que eu posso dizer sobre a direção é que o toque feminino da Patty Jenkins fez toda a diferença, por mais que o filme seja vendido como um filme de ação block buster, ele tem seus momentos de tensão e de ótimos alívios cômicos, tudo muito sutil.

Mulher-Maravilha é um filme perfeito, e eu falo isso sem medo de ser repreendido, antes de assistir eu brincava dizendo que esse filme não podia ser nada menos do que “maravilhoso”, como um trocadilho com o nome da Heroína, mas ele foi muito mais do que isso. Esse é um filme pra você que sempre teve preconceito com filmes de super heróis ter uma redenção e começar amar esse gênero que já é amado por crianças e adultos que cresceram com esses personagens.

Mulher-Maravilha é o melhor filme de super-herói da DC Comics com a WB que eu já vi em toda a minha vida. Digo isso sendo um fã dos filmes do Batman clássicos (tirando Batman e Robin e claro) e da trilogia do Nolan. Mulher-Maravilha é 10/10.

Comments

cinema

Kevin Feige responde aos comentários de Scorsese

E a polêmica continua.

Ígor Howtelaire

Published

on

Em uma entrevista para o podcast Awards Chatter, o presidente da Marvel Studios, Kevin Feige, comentou sobre as críticas de Martin Scorsese, que dizia que os filmes da Marvel “não são cinema”.

Kevin Feige comentou o seguinte:

“Eu discordo, acho que foi uma declaração infeliz. Todos têm uma definição diferente para cinema. Algumas pessoas não acreditam que é cinema. Todos têm direito a ter suas próprias opiniões. Todos têm direito a repetir ou escrever sobre essas opiniões, e estou ansioso para ver o que vai acontecer em seguida. Mas, nesse meio tempo, vamos continuar produzindo filmes.”

Além de Martin Scorsese, o espanhol Pedro Almódovar também criticou os longas – sua reclamação era da falta de sexualidade nas obras, enquanto Francis Ford Coppola os chamou de “desprezíveis”. Porém os comentários de Scorsese se destacaram por terem sido os primeiros, e impulsionadores do que veio a seguir.

O cineasta, Martin Scorsese publicou no início de novembro um artigo pessoal no New York Times para esclarecer suas declarações sobre a Marvel.

“Muitos filmes de franquia são feitos por pessoas de talento e habilidade consideráveis. Você pode ver isso na tela. O fato de que os filmes em si não me interessam é uma questão de gosto pessoal e temperamento. Eu sei que se eu fosse mais jovem, se eu tivesse me tornado adulto mais tarde, eu poderia ficar empolgado por esses filmes e talvez até quisesse fazer um. Mas eu cresci e eu desenvolvi um gosto por filmes – do que eles eram e do que poderiam ser – que é tão longe do Universo da Marvel quanto nós na Terra estamos de Alpha Centauri.

Para mim, para os cineastas que eu aprendi a amar e respeitar, para meus amigos que começaram a fazer filmes mais ou menos na mesma época que eu comecei, cinema era sobre revelação – estética, emocional e espiritual. Era sobre os personagens – a complexidade das pessoas e suas contradições e às vezes a natureza paradoxal, a maneira que eles ferem uns aos outros, amam uns aos outros e de repente tem que encarar a si mesmos.”

Continue Reading

cinema

Ilha da Fantasia | Reboot de terror ganha seu primeiro trailer

A antiga série dos anos 80 vai virar filme.

Daiane de Mário

Published

on

A Blumhouse divulgou nessa segunda (11) o primeiro trailer oficial do reboot de ‘Ilha da Fantasia’. Confira:

Segundo a sinopse oficial:

“O enigmático Sr. Roarke (Michael Peña) faz os sonhos secretos dos seus convidados sortudos se tornarem realidades em seu luxuoso, porém remoto, resort tropical. Mas quando essas fantasias se transformam em pesadelos, os convidados precisarão solucionar o mistério da Ilha para escaparem vivos.”

O elenco conta com Lucy Hale (Verdade ou Desafio), Michael Rooker (Guardiões da Galáxia), Charlotte McKinneyParisa Fitz-Henley e Austin Stowell.

Ilha da Fantasia estreia de 14 de fevereiro de 2020.

Continue Reading

cinema

Scoob | Nova animação ganha seu primeiro trailer oficial

Longa irá mostrar primeiro encontro entre Salsicha e Scooby.

Daiane de Mário

Published

on

Nessa segunda (11) a Warner Bros. divulgou o primeiro trailer para a animação Scoob. Além de mostrar o primeiro encontro entre Salsicha e Scooby a trama também irá revelar que Scooby tem um destino maior e mais épico do que qualquer um poderia imaginar.

A animação tem a dublagem dos atores Zac Efron (Fred), Amanda Seyfried (Daphne), Gina Rodriguez (Velma), Will Forte (Salsicha), Tracy Morgan (Capitão Caverna) e Frank Welker (Scooby). A direção fica por conta de Tony Cervone (O Show dos Looney Tunes).

Scoob estreia dia 14 maio de 2020. 

Continue Reading

Parceiros Editorias

error: Conteúdo Protegido