Connect with us

HQs

Deadpool será a nova moradia do simbionte em Back in Black

Rebeca Nieves Inostroza

Published

on

LOJA DC 4

batcaverna

Durante a SDCC, a Marvel anunciou Deadpool: Back in Black, uma nova minissérie de cinco partes escritas por Cullen Bunn (Deadpool’s Secret e Secret Secret Wars) e desenhadas pelo artista Salva Espin (The Deadpool Killogye).

A série revela a história não contada de como, após ter sido rejeitado pelo Homem-Aranha, o simbionte alienígena que acabaria por se tornar Venom, se ligaria então a Wade Wilson. Após os eventos do original Guerras Secretas e Secret Wars de Deadpool, Deadpool: Back in Black irá revelar como tudo isso ocorreu e trará diversos outros personagens ilustres. Numa entrevista ao ComicBook.com, Cullen Bunn revela o que faz o enredo de Deadpool tão interessante.

13816805_821424837958269_616823952_n

O que é que atrai o simbionte para Deadpool? É simplesmente pelo seu potencial, pela violência desenfreada, ou algo mais?

Cullen Bunn: Esta série tem lugar após os eventos do Web of Spider-Man # 1, quando o simbionte é conduzido para longe de Peter Parker. O simbionte está sozinho, que é um estado de ser, que vai contra a sua composição química. Ele se sente perdido e abandonado. Mas quando um grupo de caçadores de recompensas intergalácticas mostram-se páreos para raptar a criatura alienígena, o simbionte procura o único outro ser humano já ligado a isso… E isso é Deadpool. Wade e o simbionte se conhecem. Em Secret Secret Wars de Deadpool, Wade encontrou o simbionte antes de Spidey. A criatura então procura alguém familiar, que não seja a pessoa que tentou matá-lo.

Quais as oportunidades e desafios que você encontra ao escrever histórias como Black in Black e Secret Secret Wars de Deadpool, que existem dentro das brechas para uma continuação?

CB: Como esta história se passa dentro da continuidade de uma Universo Marvel existente, o desafio é ter certeza que as obras das histórias são boas. Neste caso, estamos a lidar com uma série de personagens com uma longa história – Deadpool, Spider-Man e Venom, em particular – e eu preciso adicionar a essas histórias sem destruir o que já está estabelecido. Mas isso também é parte da diversão! Gosto de encontrar esses ângulos que permitem emoções, contos divertidos, mas também adicionar aos personagens histórias atuais. Com esta série em particular, eu também queria ter certeza de que as aventuras de Deadpool e os personagens que ele interagiu com ajustes dentro da cronologia das HQs, que foram saindo em torno deste tempo, então eu fiz diversas investigações em termos de onde os personagens poderiam estar e quando outras grandes histórias da época poderiam estar ocorrendo.

A solicitação para a série diz que Deadpool e o simbionte tem “aventuras”, e uma das tampas mostra Power Pack. Você pode oferecer mais detalhes sobre o que essas “aventuras” podem implicar, e de que forma as outras estrelas convidadas podem aparecer?

CB: Esta série tem lugar na década de 80, então eu queria que as histórias, estrelas convidadas, e vilões, representassem esse cronograma. Isso também me deu a oportunidade de utilizar algumas características que não vemos muito nos dias de hoje. Eu sempre quis escrever o clássico Power Pack, porque eu amo esses personagens. Mas eu também sempre quis escrever um Obnoxio a história do palhaço, e ele funciona bem tanto com Deadpool e Power Pack. Outros personagens que aparecerão são Man Machine, Black Cat e Kraven. E  o Homem-Aranha iria aparecer em algum momento, não é? Além disso, haverá alguns novos personagens e alguns personagens mais modernos.

Você tem escrito Deadpool por um tempo agora, e você trabalhou Wade com Salva Espin no passado. Como a sua opinião sobre o personagem evoluiu ao longo do tempo? Como acha que o estilo visual dessas histórias mudou?

CB: Eu sinto que o livro que Salva e eu estamos fazendo agora tem ação muito mais hiper-cinética do que os livros que fizemos no passado. Em parte,  porque ambos ficaram mais confortáveis uns com os outros como colaboradores. Mas também tem muito a ver com o assunto. Deadpool já é um personagem visualmente dinâmico, mas quando você adiciona o hijinx, Homem-Aranha e o poder de mudar de forma do modo pegajoso do simbionte, nós entramos em um território realmente selvagem.

Você acha que escreve Deadpool de uma forma diferente em Back in Black do que você faz em um ambiente moderno, como em Deadpool em Mercs for Money?

CB: O Deadpool em Mercs for Money e o Deadpool em Back in Black é o mesmo cara, mas eu definitivamente escrevi um pouco diferente. Se você ler um livro dos anos 80, você verá que a escrita foi feita de forma diferente naquela época. Eles evoluíram ao longo do tempo. Então eu estou escrevendo Deadpool como eu acho que ele teria sido escrito na década de 80. Ele não evoluiu para o Wade Wilson que conhecemos e amamos hoje… O que é um pouco assustador, se você pensar a respeito.

E ai, ansiosos por Deadpool: Back in Black? Fiquem ligados no Cabana do Leitor para mais novidades 😉

Revisado por: Bruna Vieira.

LOJA DC 4

Living easy, livin' free. Asking nothing, leave me be. Taking everything in my stride. Don't need reason, don't need rhyme. Ain't nothin' that I’d rather do. Going down, party time. My friends are gonna be there too. I'm on the highway to hell. On the highway to hell.

Comments