Connect with us

Games

REVIEW | John, the Zombie

David

Published

on

LOJA DC 4

John, the Zombie é desenvolvido e distribuído pela Minimal Lab. O jogo, desenvolvido por 2 pessoas, teve sua criação em fevereiro e seu lançamento agora em novembro, poucos meses antes do previsto, o que parece ter pesado no jogo. O título mostra que, por mais díficil seja o desenvolvimento de games aqui no Brasil, nós possuímos grandes ideias.

John, the Zombie tenta trazer uma novidade ao já saturado estilo de jogo zombie. Aqui, você em vez de encarnar um humano em um apocalipse zumbi, encarna na pele de um desses morto-vivos. O zumbi que você se torna é John, que mantém as características e sentimentos humanos, mas esquece todas as habilidades e para reaprendê-las precisa comer cérebros, como andar de bicicleta ou dirigir um carro. Os gráficos não são o de um hiperjogo, mas não são feios e o jogo possui certos problemas quanto a algumas animações que são bem repetidas, ou “vítimas” iguais.

No jogo, seu objetivo principal é encontrar a cura, mas se quiser você pode sair por aí fazendo um apocalipse também. Conforme você vai evoluindo, a população vai se armando e isso pode passar a te dar medo. O jogo possui um enorme potencial, que até agora não aproveita nem um pouquinho, e, mesmo oferecendo uma diversão, muito falta. Como por exemplo: você transforma humanos em zumbis quando os come, mas isso em nada adiciona na sua gameplay, eles só vão ficar te seguindo por aí ou o uso de outra linha de história focada no apocalipse. A quest principal não demora muito e é bastante legal de se jogar, podendo ser resolvida em uma 7-8 horas, dependendo do que você ficar fazendo no mundo.

O título, como os próprios criadores falam, não quer ser um GTA, mas sim oferecer uma exploração a la Goat Simulator, só que, a interatividade é pouca. Você pode entrar em alguns lugares, explorar cavernas coisa e tal, e  só. Você só vai sair por aí explorando ou dando uma de louco e pulando rampas de bicicleta ou jogando basquete, o que as vezes é interessante, já que você é um zumbi e faz as coisas como um zumbi. Além disso, os bugs aqui aparecem de montão, o que pode não ser tão ruim quanto parece, muitos te fazem dar ótimos risos, enquanto outros podem te atrapalhar bastante. Velhinhas fazendo seu carro voar, um clone seu dirigindo o carro, carros que levam tudo que veem pela frente(inclusive seu carro) ou policiais que negligenciam um zumbi são constantes e proporcionam uma diversão a mais. Aqui se vê a presença dos desenvolvedores na steam, comentando todos os posts sobre bugs, um ponto a favor de um jogo melhor.

Resumo: John, the Zombie é um jogo com um ótimo potencial que mostra o que 2 pessoas sozinhas podem alcançar, mas ainda precisa melhorar e MUITO. Com uma jogabilidade mediana, uma trilha sonora massa mas uns sons de ambiente um pouco problemáticos, o jogo vale a pena pelo preço que se mostra na steam: 14,99. Ainda apresenta vários erros que atrapalham bastante, além de mecânicas que podem ser incrementadas e também alguns elementos gráficos, mas, os desenvolvedores parecem bem promissores e podem entregar no final um perfeito jogo(adicionando até coisas que apareciam no trailer), que não é um AAA, mas um bem próximo dele, que dê uma diversão como GOAT SIMULATOR.

NOTAS:

JOGABILIDADE: 6.5
SONS: 6
HISTÓRIA: 8.5
ANIMAÇÃO: 5
GRÁFICOS: 7.5
GERAL: 6.5
LOJA DC 4
Comments