Connect with us

Livros

Razões pela qual você nunca viverá uma historia de amor como a dos livros

Oh, que terrível titulo, mas infelizmente está é a realidade.

Nunca, você viverá uma incrível historia de amor, como uma do Nicholas Sparks ou Jhon Green. Lógico que toda regra existe uma exceção. Mas não existe muita exceção agora, não neste milênio, Uma vez eu vi em um daqueles filmes trash que infestam o Netflix, o nome do filme era 100 garotas, o filme era tão ridículo que não vou perder meu tempo falando sobre a sinopse dele, até porque nem lembro muito. Mas uma frase me chamou a atenção naquele filme, um personagem masculino (como sempre bancando o idiota) disse para uma menina (mais idiota que ele) que “as mulheres eram como se fossem as guardiãs do sexo” no sentido de que todo o homem era um animal irracional e que as mulheres eram os seres que guardavam os homens de uma degradação moral. Primeiro que as mulheres não tem obrigação nenhuma de salvar a humanidade da orgia, até porque elas sempre gostaram (grande parte é claro), mas aonde eu quero chegar é que as mulheres não são melhores que os homens e nem vise-versa, então me pergunto porque elas idealizam o homem perfeito e porque os homens idealizam uma mulher imutável?

Nunca viveremos por uma razão crível, simplesmente não queremos. Você pode dizer, “Como assim, eu quero muito viver isso” não você não quer, porque não tomamos atitudes que levam a isso. Não escolhemos uma pessoa baseada no sentimentos que ela sente pela gente, apenas nos sentimos atraídos pela beleza (homem é sempre muito idiota nesta parte, porque só olha para o corpo e rosto geralmente) e poder (isso gira muito em torno das mulheres, porque grande parte delas não quer dinheiro, mas o poder que ele traz), raramente somos levados a ficar com alguém pelos gestos. Atitudes que personagens da literatura tem, se Gus fosse um cara feio, ou feio para a maioria da humanidade, será que você ficaria com ele? Seja honesta ou honesto para si mesmo, pelo menos no seu intimo.

Podemos viver historias lindas e empolgantes, mas queremos escolher o personagem do livros das nossas vidas. Os personagens dos livros não são escolhidos pelos seus pares, mas são ordenados pelas mãos dos escritores, eles se apaixonam pelas atitudes, pelas pessoas, não por beleza, não pelo carro, não pelo poder, não pela bunda do Hulk, mas pela lisura da sua alma. Queremos escolher não quem nós ama, mas queremos escolher quem é gostosa (o), quem mostra o corpo malhado e estas pessoas, na maioria das vezes vai fazer aquilo que deveríamos ter aprendido desde de sempre, “aprenda a gostar mais de si mesmo do que dos outros”. Não acredito que duas pessoas possam gostar uma da outra quando há interesse maior do que a atração pela alma que sentimos. Deus coloca pessoas maravilhosas em nossas vidas, Hazel e Gus, passam em nossas vidas o tempo todo, mas preferimos O Lobo de Wall Street na maioria das vezes, não, não, com este tipo de personagem não teremos um A Culpa é das Estrelas, mas teremos a culpa é das tuas escolhas.

Este texto só foi possível com uma conversa acalorada sobre o assunto com duas amigas Mari Custoias e Priscila Fernades.

Continue Reading
2 Comments
  • Graziela Ferreira

    Costumo dizer para as pessoas que meu homem ideal é um super-herói… Claro que quando digo isso vejo todos aqueles olhares de pena se voltarem para mim, principalmente quando é gente mais velha (um porre!) para a maioria nem me dou ao trabalho de explicar o porque do meu ideal ser obviamente alguém que nunca vou encontrar, mas para alguns que se dão ao trabalho de perguntar o porquê ao invés de me darem um lição de moral, eu respondo: É exatamente por isso, porque sei que o meu homem ideal não existe. Tive minhas desilusões na vida como qualquer mulher e talvez meu gosto por literatura… e por histórias em quadrinhos, rsrsr tenham plantado esse ideal em mim. Por que quando você lê tanto sobre um determinado personagem que faria qualquer coisa pela mulher que ama, ele enfrentaria todas as batalhas por ela e morreria por ela, ele iria ao inferno e riria na cara do diabo por ela… já tá parecendo a letra de uma música! E então simplesmente decidi que não poderia aceitar menos do que isso, é o tipo de coisa que apenas um herói faria e sei que ainda haverão muuuuuitas pessoas cheias de sabedoria para me dizer que nunca, NUNCA, Graziela entende, você NUUUUUUUUUUNCA vai encontrar alguém à altura das sua expectativas!!!! Sim eu sei, estou ciente disso, não cultivo essa ilusão e exatamente por isso estou muito mais longe de continuar me decepcionando com os homens do que a maioria que se satisfaz com um padrão bem menor que o meu.

  • MiilaLucy

    Acho que a ideia de que procuramos por beleza em um relacionamento não está errada, mas discordo com algumas coisas ditas nesse texto, como por exemplo: a) Quando nos relacionamos amorosamente com alguém, esse alguém será bonito para nós, mesmo que em um primeiro momento nossa opinião seja totalmente o contrario. Quando gostamos de alguém, essa pessoa passa a ser bonita para nós porque, a essa altura, não nos importamos com a sua aparência. b) Não há como realmente viver uma história de amor como nos livros, pelo simples fato de aquela coisa toda ser inventada. Essas histórias estão recheadas com o impossível porque todos os livros estão. Elas foram criadas para isso, não há uma história que tenha terminado com um final infeliz, mesmo que alguns fatores acabem sendo triste, como por exemplo, o caso da morte de Gus. Mesmo ele não estando com a Hazel, ela conseguiu entender e aceitar, consequentemente não sofrendo no final do livro, mas isso aconteceu porque o autor quis nos passar essa ideia: por mais desesperador ou infeliz que algo possa ser, temos que erguer a cabeça e pensar nas coisas boas que aquilo nos trouxe.
    Essa coisa toda de que procuramos por perfeição é verdade, mas acho que isso acaba no momento em que aceitamos que não existe nada perfeito e assim conseguimos enxergar que uma coisa imperfeita pode ser bom também.

Basta usar o cupom CDLLOJADCCOMICS

O CDL é hospedado pela DreamHost

Copyright © 2018 Cabana do Leitor.