Connect with us

cinema

Critica: A Incrível História de Adaline

LOJA DC 4

A Incrível História de Adaline (The Age of Adaline) é um filme épico estadunidense de drama romântico e fantasia, dirigido por Lee Toland Krieger e escrito por J. Mills Goodloe e Salvador Paskowitz. Adaline Bowman (Blake Lively) nasceu na virada do século XX e tinha uma vida aparentemente normal até sofrer um grave acidente de carro quase fatal em que ela milagrosamente sobreviveu e não consegue mais envelhecer, se imortalizando sempre com a mesma aparência que tinha no acidente então com 29 anos de idade. Ela vive uma existência solitária, nunca se permitindo criar laços com ninguém, para não ter seu segredo revelado. Mas ela conhece o jovem filantropo, Ellis Jones (Michiel Huisman), um homem por quem pode valer a pena arriscar sua imortalidade.

Status: Escrevendo com a roupa que fui ao cinema, ainda com os coturnos surrados no pé.

Eu tinha um pequeno sonho. Este era: Um dia terei uma sala de cinema lotada de cadeiras só pra mim. Nem que seja por duas horas. Achava que era bobo, até acontecer. Não sou uma daquelas moças aclamadas pela mídia nem pelo dono do cinema pertinho de mim. Não. Não sou. Mas tive o prazer de assistir um dos filmes que mais me fez sentir lágrimas que eu achava que estavam secas, não só pelo simples fato de ter apenas eu naquela sessão, mas por lembrar de ser firme comigo mesma.Pra começar, fiquei exageradamente encantada com a fotografia.  Comecei trabalhando em seu figurino. Depois subi acompanhando seu modo de caminhar. Depois deitei e descansei ao chegar no seu olhar.adeline

Cada cena era um mini choque pra mim. Sua forma e o ambiente se encontravam. Era como se fosse uma fusão de um momento nostálgico muito bom com chuva, chocolate quente e quatro pés quentinhos e juntos. Seu modo de vestir lhe entregava um pouco. Mas acho que era porque já sabíamos mais ou menos da história. Parecia muito com as roupas que tenho guardadas no armário. Aquelas roupas que uso só quando acho alguém muito especial. Ela não caminhava. Ela desfilava. Ela dançava. Ela flutuava. Com medo, mas ia. Só até um certo ponto. Por ultimo, seu olhar doce e triste ao mesmo tempo. Com medo de sentir o que eu gostaria muito de sentir por alguém que sentisse o mesmo por mim.

Comecei a sentir saudade de várias coisas, pessoas e amigos.  Comecei a lembrar dos cheiros e dos jeitos. Dos meus favoritos. Comecei a lembrar de alguns que me marcaram e que ali, me fizeram chorar e a sentir saudade e arrependimento por não ter feito diferente. Tive uma explosão de sentimentos, como diz o Luan Santana, ao perceber que além de estar emocionada por ter finalmente um momento só pra mim em um dos meus lugares favoritos, saber que eu poderia sim, dar uma chance aos meus sentimentos.  Poderia sim, dar uma chance pra sentir algo e não ter medo de falar. É muito triste ser só. Em todos os sentidos.Eu não quero ser só. Quero ser a filha corajosa que incentiva a melhor amiga a ser forte e a se abrir pro mundo. Se abrir pro seu carinho. Pro seu amor. Pro seu lar.

Eu quero, porque não há sentimento pior do que o do arrependimento. Não de ter feito algo, mas de não ter nem tentado.
As vezes eu acho que faço errado. Que tento errado. Deveria me arriscar mais. Porque eu acho, que mesmo se no futuro ou na hora, não desse certo, eu não ia chorar e dizer que não tentei. Acho que você já se sentiu assim. Não pelo mesmo motivo que o dela, é obvio, mas por alguém ou por algo que achava que era inalcançável e que hoje em dia, graças a sua coragem de não tentar, se tornou distante. Não fica com medo, não. Se você acha que gosta de alguém ou de algo, por que não se permite apaixonar-se? Por que não se permite sentir aquela coisa boa que o outro está sentindo? Não fica com medo, não. Sente, respire, pense e tome uma atitude. Seja tão incrível quanto a Estelar dos jovens titãs. Tenha equilibro, paciência e sabedoria para não “meter os pés pelas mãos” e não desistir de contar a verdade. De contar o que você acha ser agradável pra você e pra mim.

Quero criar coragem na mesma quantidade de lágrimas que soltei assistindo o filme. Por que não faz o mesmo? Se quiser, pode assistir ao filme também. Tá liberado. Confira o trailer:

Comments