Connect with us

Fandom

Shadowhunters | Review 2×04 “Day of Wrath”

LOJA DC 4
Ao mesmo tempo em que não tenho palavras pra descrever, eu tenho tanto a dizer sobre esse episódio!

Ontem, na Freeform, foi ao ar o episódio 2×04 “Day Of Wrath” e foi de abalar estruturas.

Pra quem não viu ainda, posso adiantar que para assistir esse episódio, é preciso de preparo psicológico. Eu não me preparei e não me sinto bem até agora. Ainda não consegui digerir tudo o que aconteceu. Foi “eita” atrás de “eita”.

A partir daqui conterão *Spoilers* sobre o episódio e sobre os livros, então se você não assistiu ou leu, cuidado! É por sua conta e risco.

O episódio começou na cena do sneak peak liberado na semana passada, com a Clary indo para a Cidade dos Ossos. Devo dizer que a produção do cemitério dos Shadowhunters está bem melhor que na primeira temporada. Para Clary entrar, ela precisa provar ter sangue de Caçador de Sombras e o interior está simplesmente ótimo. Se ano passado parecia com um cenário, agora é bem mais como um mundo inferior. As camadas de escadaria descendo, as vozes sussurrando… Incrivelmente assustador.

Clary está lá para ver Jace, como ela mesma diz, e um Irmão do Silêncio a leva até a cela onde Jace está sendo mantido. Clary quer mostrar seu apoio a ele, mas aí vem a primeira surpresa do episódio, pelo menos pra mim. Ele diz para ela se afastar, com a explicação de que ele é a arma de Valentine e ela, a sua fraqueza.

“Não existe um “nós” para você e eu.” – Jace. “Nunca existirá.”

Mais tarde, no episódio, podemos entender o porquê do pedido. Em uma cena onde Clary volta a Cidade do Silêncio, e você não entende bem porque, Jace esfaqueia Clary e, então, acorda. Você entende que era um sonho, mais para pesadelo e que Jace sente medo de machucar Clary, ainda pela história do sangue de demônio.

“Perto de mim, você me lembra do que eu quero, mas não posso ter” – Jace

Uma coisa que eu não vi ninguém comentar, por estarem em choque de mais com o evento fatídico, foi Jace e suas tentativas de suicídio. Primeiro, ele ameaça se matar com a espada, depois diz para Valentine matá-lo. Ninguém achou isso preocupante?

Após a cena na Cidade dos Ossos é que começa o plot do episódio realmente. Alec e Magnus estão conversando no Instituto, Magnus comenta que vai ser punido por suas ações no 2×03 e Alec cria coragem para chamá-lo para um encontro. Porém, os dois são interrompidos por Raj, que avisa de um ataque de demônio e Alec precisa ir caçar, fazendo jus ao nome da série, finalmente.

Magnus, sarcástico como sempre, não deixa a aparição de Raj passar em branco.

“Meu querido Raj, você parece bem”. – Magnus

Vocês se lembram dele servindo de cobaia para tirarem Alec do instituto no episódio passado, certo?

Com a falta de Jace e contra a vontade de Alec, Isabelle e ele chamam Clary para ir junto a missão. No centro da cidade, Luke despista alguns policiais mundanos e Izzy examina o corpo encontrado, dizendo que vai levá-lo para o Instituto para realizar alguns testes. Enquanto isso, Clary e Alec examinam o perímetro.

Eu preciso falar dessa relação Clary X Alec que a série está construindo. Não romanticamente, é claro, mas a interação dos dois.

Jocelyn conversa com Clary sobre precisar ir para Idris provar sua lealdade à Clave. Clary pergunta se não tem como ela provar sua lealdade ficando em NY e Jocelyn explica que suas únicas opções são ir para Idris ou fugir, e que já está cansada de fugir. Por isso, quer que Clary a acompanhe.

Como Clary mesmo diz, as notícias correm rápido na rede social dos Shadowhunters, pois Alec já está sabendo de sua possível partida. E os dois tem um diálogo interessante, levemente cômico sobre isso. Mas Clary não tem certeza se quer ir e precisa decidir durante o episódio.

No Review da semana passada, eu comentei sobre as prioridades da Clave; nunca os Submundanos. Agora, as ações de Victor nos leva a questionar se a Clave é honrável e se os ideais do Ciclo estavam totalmente errados. Se antes os Submundanos não eram prioridade, dessa vez Victor prova que aos olhos da maioria dos Shadowhunters, eles não tem valor.

Para saber o paradeiro de Camille, Victor tortura Raphael com raio ultravioleta, mesmo após o vampiro afirmar não saber de nada.

Uma das melhores partes desse episódio, sem dúvida, foi a relação de Magnus com as crianças do submundo. Nós vimos um pouco disso com Simon, quando eles vão até a índia, mas aprofundaram mais quando Raphael vai até seu apartamento após ser liberado por Aldertree e Magnus o ajuda a se curar.

“Você é como um filho pra mim”

Além dessa relação, temos a relação Magnus X Camille. Não é segredo pra ninguém que os dois já foram um casal. E é interessante ver como funciona quando dois imortais se relacionam e como é depois do fim. Magnus claramente ainda se importa com Camille, mas não do jeito que ela gostaria. E o fato de ela não dar a mínima para suas criações, machuca Magnus. A balança pesou para um lado e ele a entrega para a Clave.

“Eu não posso ter filhos meus” – Magnus

Calma, Magnus, sua hora vai chegar!

De volta ao plot do episódio. O demônio que eles estavam caçando se infiltrou no Instituto e está matando gente. Seria um erro enorme, comparando com o livro, mas felizmente foi explicado que um experimento de Valentine permitiu que isso acontecesse.

Na Cidade dos Ossos, Jace tem seu julgamento utilizando a Espada. Victor pergunta se ele sequestrou e matou Gretel, entre outras coisas. O que me chamou atenção foi Victor falando sobre como ele sabia de coisas sobre o passado de Jace. E o que me deixou bem animada foram as perguntas sobre os sentimentos de Jace pela Clary.

“Você ama Clary como um irmão ama sua irmã?” – Victor
“Não. É mais que isso.” – Jace

Pra terminar, vamos falar sobre as mortes chocantes desse episódio. Como assim eles mataram a Jocelyn? E o Hodge… Tudo bem, Hodge deveria morrer mesmo, mas não nessa situação, não pelas mãos de Valentine. Só nos resta esperar pra ver como o futuro vai se desenrolar. E a Jocelyn, claramente os produtores estão tentando consertar os erros da temporada anterior, mas será que esse foi o movimento certo?

Outra morte marcante foi a morte de um Irmão do Silêncio. No livro, eu achei bem triste e ver na série me deixou feliz e triste ao mesmo tempo. Feliz por estar próximo da história original e triste, é claro, pela morte.

Mais um acontecimento importante é que Valentine conseguiu o segundo Instrumento Mortal, ou seja, só falta o Espelho Mortal. Estou ansiosa pro resto da história.

E por último, agora sim, eu preciso falar sobre a Clary. Vamos concordar que ela se mostrou bem forte nesse episódio, o que me faz ter orgulho dela como protagonista. Ela perdeu a mãe pela segunda vez desde que a série é série, mas não se deixou abalar e lutou até finalmente matar o demônio. Merece o reconhecimento.

O que vocês acharam do episódio? Comentem! E se eu esqueci de alguma coisa, digam também. Semana que vem tem mais, fiquem com a frase icônica da Izzy e a promo do próximo episódio.

“Você acha que eu deveria ir?” – Clary
“É claro que não. Ninguém em Idris vai te ensinar a lutar em um salto de 12cm.” – Isabelle

Promo 2×05 – “Dust And Shadows”

Estudante de Jornalismo, apaixonada por escrever, maratonar séries e ouvir música. Caçadora de monstros com Sam e Dean nas horas vagas.

Comments