Connect with us

Resenha

Supernatural | Review 13×02 “The Rising Son”

LOJA DC 4

No episódio 13×02 de Supernatural, os irmãos Winchester esperam descobrir o que Jack é capaz de fazer.

Eles recebem a visita de Donatello que os informa que o Nephilim é mais poderoso do que pensavam. Enquanto isso, o inferno ganha um novo rei e Michael do mundo paralelo faz sua primeira aparição.

Na ida para o Bunker, Dean está convencido que burlar as regras e fingir que o mal não é tão mal assim não dá certo e por isso eles deveriam matar Jack de uma vez, mesmo com Sam argumentando que ele poderia ser a chave para trazer Mary de volta.

Eles param em um motel para passar a noite e usam símbolos para proteger o quarto. Jack que tem apenas 3 dias, 17 horas e 42 minutos de vida, começa a copiar todos os modos de Dean à mesa e eles falam sobre a bíblia. É impossível não rir com Jack perguntando se Deus é famoso ou algo assim. Sua ingenuidade lembra claramente o Castiel no início de suas aparições. Tanto é que, ao tentarem descobrir mais sobre os poderes de Jack, Dean pergunta se ele pode se teleportar para o outro cômodo e Jack simplesmente se levanta e vai andando.

Apesar das proteções, Sam e Dean são encontrados pelo profeta Donatello. Para quem não se lembra, a última vez que o vimos foi na 11 temporada quando Amara sugou sua alma. Ele explica para os irmãos que sentiu um poder muito forte dias antes e foi atraído até eles, descobrindo ser Jack a fonte de poder. Com isso, Sam e Dean levam Jack para a proteger com tatuagens, mas elas não tem efeito sobre ele e logo somem, o que só deixa Dean mais desconfiado sobre o garoto.

Sam, Dean e Donatello discutem sobre a natureza de Jack na frente do garoto, dizendo que ele não pode ser mudado e se for pra ele ser mau, é o que vai acontecer. Donatello chega a compará-lo com um leão, dizendo que não se pode exigir que um leão não aja como tal. Sam fica irritado e então eles se dão conta de que Jack sumiu. Também descobrimos que os poderes de um Nephilim são maiores do que os poderes de quem o criou. Ou seja, Jack será ainda mais poderoso que um Arcanjo.

Sam consegue encontrá-lo e Jack está completamente confuso e desacreditado de si mesmo, lembrando de sua mãe dizendo que o amava. Jack está com medo do que pode se tornar e pergunta se é por isso que Dean o odeia. Sam explica que Dean não o odeia, apenas acha que é seu trabalho salvar todo mundo. Mesmo assim, Kelly acreditava na bondade de Jack, Cas também e, por isso, Sam também acredita.

Enquanto isso, no mundo paralelo, Mary está presa a Lucifer e na primeira chance que tem aproveita para fugir, apenas para encontrar um caçador que tentar abusar dela. Felizmente, nesse caso, Lucifer salva sua vida, mas só porque quer usá-la como moeda de troca para recuperar Jack. A versão do Arcanjo Miguel desse mundo alternativo matou o seu Lucifer e espera matar esse também. Porém, não o faz. É possível que ele seja outro vilão que os Winchester terão que enfrentar nessa temporada, além do novo rei do inferno.

Se no episodio anterior os anjos estavam à procura de Jack, essa foi a vez dos demônios. Para ocupar a posição do falecido Crowley (R.I.P) e esquentar o lugar de Lucifer enquanto ele está desaparecido, conhecemos Asmodeus, o quarto e último Príncipe de Inferno, depois do famoso e odiado Azazel, Ramiel e Dagon.

Interpretado pelo ator Jeffrey Vincent Parise, não posso dizer que gostei totalmente da apresentação do personagem. Vestido todo de branco e com sotaque do interior dos Estados Unidos, talvez apenas para contrastar com a imagem de Crowley, ele me pareceu bem clichê de início. Apesar disso, ele se mostrou efetivo no seu primeiro dia e com certeza trará mais dores de cabeça para os Winchester.

Asmodeus pode mudar de forma assim como os Metamorfos, e com isso ele se passa por uma barista e tira informações de Dean, que não se importa em compartilhar. Depois, ele se passa por Donatello e leva Jack para longe. No seu princípio com Lucifer, ele trouxe para a Terra, na tentativa de agradar seu criador, os Shedim – criaturas selvagens do inferno –, mas Lucifer não gostou e os aprisionou novamente.

Agora com Jack, ele quase consegue que o Nephilim abra os portões do inferno e traga essas criaturas para a Terra. Sam, Dean e o verdadeiro Donatello rastreiam Jack e chegam à tempo de impedir que ele liberte os Shedim. Mas quando Asmodeus ameaça machucar os três, Jack não hesita em ficar ao lado dos irmãos e os salva.Mesmo assim, Dean acredita que foi apenas um reflexo Jack tê-los salvo e deixa claro para o garoto que se ele for para o lado do mal, ele próprio se encarregará de matá-lo.

O segundo episódio da 13 temporada serviu para explicar um pouco mais da dinâmica que será explorada esse ano. Ainda estamos no começo, mas já foram apresentados os principais conflitos que os irmãos Winchester precisarão encarar.

Apesar de não concordarem em relação a Jack, é possível compreender os dois lados. Dean ainda está de luto por Castiel e Mary, então Jack é a última das suas prioridades. Mas para Sam, Jack é uma forma de se redimir pelos erros das temporadas passadas, como quando ele se viciou em sangue de demônio e se aliou a Ruby. Ele quer provar que Jack pode sim ser diferente de Lucifer e eu espero que pelo menos dessa vez ele esteja certo.

A 13 temporada de Supernatural estreia nesta terça, às 21:40h, na Warner.

Estudante de Jornalismo, apaixonada por escrever, maratonar séries e ouvir música. Caçadora de monstros com Sam e Dean nas horas vagas.

Comments