Connect with us

Colunistas

5 momentos que a DC abordou o tema de estupro dentro das HQs

Caroline Julião Vieira

Published

on

LOJA DC 4

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.

Pra começar, o que é estupro? Diferente do que muitos acreditam, no nosso ordenamento jurídico brasileiro, não há necessidade de conjunção carnal para que o crime esteja tipificado.

Segundo o ordenamento jurídico nacional “Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso”, constrangimento vem de coação, e a coação é qualquer forma que não deixe a vítima ter escolha ou, se você emprega de qualquer modo algo que tire a capacidade de escolha da vítima, que não esteja em condições de negar ou resistir, mesmo sem haver violência física para praticar o ato, o crime está configurado. Portanto, embebedar, drogar ou dopar a vítima para que ela não resista, ainda é estupro, sendo que não tinha aptidão física ou mental para consentir ou negar, violando a sua integridade.

Mais de uma vez a DC tratou do tema em seus quadrinhos, sendo talvez o mais famoso, o suposto estupro da Barbara Gordon pelo Coringa, mesmo sem imagens ou algo relacionado posteriormente que entenda que o ato ocorreu, os fãs de quadrinhos realmente acreditam que aconteceu, mas não foi o único, vou listar 05 casos que aconteceram nos quadrinhos, mesmo que alguns não tenham obtido tanta repercussão quanto esse, mas estupro é estupro e deve ser levado a sério.

05- Shado e Oliver Queen

Oliver havia sido atingido e se encontrava muito doente, alucinando com a sua amada esposa Dinah e sobre a conversa que eles tiveram sobre filhos, e que aquele momento não era o certo para que tivessem um bebê, que o ramo de trabalho deles era muito perigoso e que ela não queria um filho sem pais.

Juntando sua alucinação da febre intensa mais os pensamentos na mulher, Shado aproveitou do momento que o nosso querido Oliver estava fora de si e fez sexo com ele, ficando grávida posteriormente.

11-206x300

04- Talia Al Ghul e Bruce Wayne

Um caso que ninguém levou a sério como estupro, mas considerando que Talia drogou (literalmente) o Bruce para fazer sexo com ele e ter um filho, e sim, isso é estupro. É difícil pensar que o Cavaleiro das Trevas tenha passado por essa situação, pois todos temos uma imagem dele de um jeito forte, e nesse caso, vimos ele extremamente impotente e drogado, ficando com Talia. É estranho ver o “invencível” Batman tenha caído nessa armadilha, por isso as pessoas ignoraram o fato da droga. Mas o resultado dessa noite, foi um filho com Talia, Damian Wayne que posteriormente virou mais um Robin.

A história foi recontada recentemente na animação “O filho do Batman”, onde Bruce deixa claro a Talia que o sexo só aconteceu, porque ela o havia drogado.

talia-kiss-e1398151560309

03- Comediante e Espectral

Alan Moore é muito conhecido por contar histórias de extrema violência, e Watchmen não foi diferente disso. Durante o desenrolar da história, foi revelado que o Comediante (que é um dos personagens mais amados) agrediu e estuprou Sally Jupiter, simplesmente porque ele achava que ela dava “mole” para ele e, porque mesmo dizendo não, ele achava que ela queria.

Muitas pessoas tentaram justificar o comportamento do Comediante pelo jeito que a Sally se comportava na revista, além de bonita e sensual, com estilo pin-up, era amável com todos, não justificando o que ele fez. A culpa do estupro nunca é da vítima, e sim de quem cometeu o ato.

A repercussão foi imensa, porque Moore quis mostrar que o Comediante não era pra ser visto como o garanhão da Hq, e sim o impacto que isso causa na vítima. Os reflexos disso, vieram, no nojo que Laurie, filha de Jupiter, ao descobrir que o homem que havia violado sua mãe na juventude, e que ela passou a vida odiando, na verdade era seu pai. Sally ficou depressiva e auto destrutiva depois do ocorrido, se tornando uma senhora amargurada.

Digitalizar0045-194x300

02- Coringa e Bárbara Gordon

Esse foi o mais comentado e controverso das histórias em quadrinhos. O Coringa vai até a casa do comissário Gordon, atira em sua filha, a espanca e estupra, tirando fotos, para provar ao Batman que até o homem mais correto, tem um ponto de ruptura onde perde a sua sanidade.

Por vários anos, Bárbara tentou tocar a sua vida normalmente, mesmo ficando paraplégica depois do ocorrido, mas ela nunca superou. Em todas as suas histórias, mostra como ela ficou amargurada, e que seu maior desejo é matar o Coringa com as próprias mãos, pois ele a havia violado, exposto, humilhado e a deixado impotente.

Mesmo com o reboot dos novos 52, a história permaneceu cannon, e nas edições de Batgirl na morte da família, você consegue sentir todo o ódio que a batmenina tem pelo Coringa, todo o desprezo por ele e como ela se sentiu depois do ocorrido, ficando em depressão por alguns anos e, mesmo depois de ter voltado a andar e recuperado a sua antiga vida, ela ainda desejava ele morto. Vítima de estupro nunca supera!

Batman-Killing-Joke

01- Doutor Luz e Sue Dibny

Mesmo não tendo sido conhecido por muitos fãs como é o caso da Piada Mortal, esse com certeza é o fato mais impactante das Hqs da Dc Comics, uma vez que a história gira em tentar esquecer, literalmente que isso aconteceu.

O Doutor Luz invade o Satélite da liga da Justiça e então ataca sexualmente a esposa do Homem elástico (Sue), o terror físico e psicológico sofrido por Sue é tanto, que os desenhos conseguem transcender os sentimentos da personagem e literalmente chocar o leitor com o que está acontecendo.

A história gira em torno de Zatanna apagar a memória do Dr. Luz para ele nunca se lembrar do que havia feito (mesmo depois de ameaçar fazer isso com ela novamente e com as mulheres dos demais heróis) e dos integrantes da Liga que haviam chegado quando o ato estava acontecendo.

Gavião Negro fica do lado radical, dizendo que merecia uma punição pior, e a Canário Negro indica que sabe se cuidar, por isso esse fato jamais iria acontecer com ela.

Independente de uma mulher ser uma lutadora ou não, muitas não conseguem reagir em situação desse jeito, e ela não tem que saber se defender, o correto é o homem não atacar, ninguém merece viver com medo.

0910

 

Estupro não tem justificativa! Não busque tentar explicar o porquê do fato ter acontecido. Não existe porquê, não existe culpa da vítima, não existe banalização do sexo não consentido. A culpa do estupro é exclusiva do estuprador. As mulheres e homens, não precisam viver com medo de que alguém os violem. Colocar drogas ou fazer com que a pessoa use álcool ou qualquer outra coisa que impeça o raciocínio ou dificulte a resistência da vítima também é estupro. Crie forças e denuncie, isso não é normal e não pode ser tratado como algo natural, CRIE FORÇAS DENTRO DE SI E DENUNCIE.

Revisado por: Bruna Vieira.

Comments