Connect with us

Colunistas

A presença da mitologia nos games

Edi

Published

on

Dentre tantas linhas de videogame disponíveis, há um fato em comum entre elas que é evidente. Todos os jogos contam uma história, um enredo geralmente criativo. Jogos como os do encanador Mário e seu irmão, Luigi, narram o resgate de uma princesa sequestrada de seu reino. Já Space Invaders, um dos primeiros jogos inventados, fala de uma batalha espacial. 


Foto: Unsplash

É notório que os jogos que se inspiram em histórias mitológicas rapidamente ganham o coração dos gamers. Com jornadas bem elaboradas, os personagens e as missões são complexos e agregam mais emoção ao alcance do objetivo. Não é para menos, pois a mitologia é repleta de símbolos, deuses, heróis e aventuras que povoam o imaginário coletivo e que são um prato cheio para a criação de uma nova história em um universo único. 

Inspirado na mitologia grega, a saga God of War (PlayStation2, 3, 4, PSP e PSVita) é um dos mais famosos enredos de games de mitologia da atualidade. A trilogia já conta com mais de uma década e rendeu dois spin-offs para PSP. A franquia da Sony conta a história de uma jornada de altos e baixos, cheia de cenas de ação, enquanto Kratos, personagem da saga, busca se vingar dos deuses que arruinaram sua vida. 


 por crpgbook (Public Domain)

Jogos com temática mitológica são adaptáveis a diversos contextos. Ainda que a maior parte assuma características de RPG (role playing game, quando o jogador interage como um personagem do jogo), há outros formatos em que esse universo é aproveitado. Em Age of the Gods, por exemplo, é possível protagonizar uma experiência digna do Monte Olimpo, onde habitam os grandes deuses da mitologia, por meio de jogos característicos de outro ambiente de entretenimento. A saga deste jogo para cassino online conta com versões de caça-níqueis com vários focos diferentes, além do clássico, que leva o mesmo nome do jogo. 

Como se pode ver, forças divinas são elementos muito bem explorados em games de diversos gêneros, dada a sua adaptabilidade a diferentes contextos. De acordo com o IGN Brasil, elas servem de força-motriz não somente para a narrativa do jogo, mas também para delimitar sua jogabilidade. 

Embora alguns jogos de mitologia grega flertem com a mitologia nórdica, como é o caso de God of War, é possível encontrar uma série de games mais voltados para a história dos vikings e seu universo cheio de perigos. O site Legião dos Heróis listou alguns dos jogos disponíveis lançados com base nas histórias mitológicas nórdicas, mas que não descartam suas companheiras. Um deles é o Age of Mythology, um clássico que pode ser encontrado nas versões para Windowns ou Mac OS Classic. Neste jogo, a estratégia é fundamental para conhecer não só a mitologia nórdica, mas também a grega e a egípcia. Já em Viking: Battle for Asgard, encontramos uma guerra entre os deuses nórdicos. O objetivo é enfrentar o inimigo para reestabelecer a paz. O jogo roda no Xbox 360, PlayStation 3 e Windows. 

A mitologia nos games é tão valorizada que chegou a ser objeto de estudo acadêmico. Com o lançamento do livro Videogames e mitologia: a poética do imaginário e dos mitos gregos nos jogos eletrônicos, baseado na dissertação de mestrado de Flávia Gasi em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, ficará ainda mais saboroso aprender a respeito da conexão entre os games e o universo mitológico. 

O livro de Flávia é pioneiro, já que são poucas as literaturas publicadas neste sentido. De acordo com ela, a mitologia e o imaginário tomam vida nos games em referências mais claras ou mais sutis. Membro da equipe do site Garotas Geek, Flávia defende o fato de que a mitologia e os games sempre estiveram relacionados e que é o momento de consolidar o videogame como produto cultural, afinal, essa ferramenta é um dos deuses da tecnologia e suas forças estão em ação sobre muitos de nós, amantes dos jogos.

Comments