Connect with us

Livros

Cabana Entrevista: Renata Ventura

Avatar

Published

on

Renata Ventura é uma carioca de 28 anos que adora escrever. Uma escritora de mão cheia que este ano vendeu todos os livros que a sua editora levou a Bienal do Livro no Rio e venceu na semana passada o premio Codex de Ouro ( um dos mais prestigiados prêmios literários brasileiros) na categoria Vox Populi. Ela é nossa convidada de hoje e respondeu perguntas sobre A Arma Escarlate ( seu primeiro livro publicado ), Harry Potter e até sobre Crepúsculo.

C.L: Renata, sabemos que A Arma Escarlate é uma obra que surgiu a partir de outro grande sucesso, como foi para você a experiencia de escrever uma historia que mistura o mundo de Hogwarts com o morro Dona Marta?

Eu achei fantástica a experiência de fazer essa mistura. É muito divertido pegar um mundo pelo qual você se apaixonou e trazê-lo para uma realidade totalmente diferente, que é a realidade do Rio de Janeiro e, principalmente, a realidade do morro Dona Marta em 1997 (antes das UPPs). A mistura tornou tudo um pouco mais violento, um pouco mais perigoso, desde o começo do livro. A parte divertida é poder subverter certas coisas e certas normas que, em Hogwarts eram de um jeito todo inglês, e modificá-las para o jeitinho brasileiro. Muito divertido. E os leitores adoram ver essa mudança.

C.L: Você se sente como uma nova tutora dos fãs órfãos do bruxinho, já que as historias do Harry Potter se encerraram ?

Eu, como potterhead de carteirinha, também me senti órfã quando terminei de ler o sétimo Harry Potter, e eu quis dar aos fãs de Harry esse presente, de poderem continuar a ler sobre o mundo mágico, só que a partir de uma ótica diferente: que pudessem perceber como o Brasil também é um país fantástico!

O bom é ver que não são só os fãs de Harry Potter que estão gostando do livro! Tenho vários leitores que nunca gostaram de HP, e isso também me deixa feliz! Alguns deles, inclusive, foram ler HP depois de lerem A Arma Escarlate! Adorei quando descobri.
556116_10150927272542931_392287625_nC.L: Você foi lançada pelo selo selo Novos Talentos e tem sido um sucesso desde então, mas muitos tem dificuldades de decolar sua obra no mundo literário mesmo depois de serem aceitos por uma grande editora, como podemos saber que a nossa historia tem potencial para ser um sucesso?

Acho que uma boa trama tem que ser muito bem amarrada e os personagens precisam ser interessantes, fortes, reais, de carne e osso, entende? O leitor precisa sofrer com eles, chorar e rir com eles. Se o autor conseguir isso, já é um grande passo!

C.L: Como foi escrever o livro A Arma Escarlate?

Foi uma delícia, mas também deu muito trabalho. Fiquei cinco anos pesquisando, escrevendo, lendo de tudo que eu podia sobre cultura brasileira, história brasileira, mitologia brasileira… sobre o Dona Marta em 1997, sobre o que aconteceu no Brasil naquele ano… Tudo para tornar o livro o mais real possível!

 

C.L:  Baseando-se no video, o que você acha da serie Crepúsculo?

Eu não cheguei a ler os livros da Saga Crepúsculo, só assisti os filmes, mas não posso julgar a saga pelos filmes, assim como peço que não julguem o Harry Potter pelos filmes. Apesar de gostar dos filmes de HP, os livros são muito melhores, e talvez seja esse o caso com Crepúsculo também. Não sei. Com certeza, a Stephenie Meyer fez o melhor que pôde e conseguiu emocionar milhares de jovens com a história que criou. Deve ter feito aquilo de coração, e, como todos os livros são os sonhos realizados de seus escritores, eu nunca pensaria em criticar algo que foi feito com amor.

C.L: Qual foi o momento mais difícil para você desde a parte de começar a escrever o livro até a parte da publicação?
Acho que foi a tensão de esperar pela resposta das editoras, e, depois, a espera pela capa… porque isso saía do meu controle. Não era como o livro, que eu podia melhorar como eu quisesse, revisar, modificar, etc. A capa era algo que outra pessoa iria fazer por mim e eu não sabia se ia ficar boa ou não, se eu ia poder dizer que não tinha gostado ou se a editora ia me obrigar a aceitar aquela capa de qualquer jeito, etc! Ainda bem que eu gostei da capa das duas edições! Mas prefiro muito mais a nova, claro.

C.L: Porque devemos ler livros ?
Porque precisamos sempre expandir nosso conhecimento sobre o mundo, sobre as pessoas… precisamos aprender a pensar criticamente. Creio que, quanto mais lemos, mais inteligente ficamos. Há o aspecto do entretenimento, mas este aspecto também podemos conseguir com filmes, televisão, etc. Já o livro nos fornecesse muito mais detalhes; podemos pensar mais a respeito do que lemos do que a respeito do que assistimos, porque a velocidade do livro é outra. Com um livro, você pode parar de ler a qualquer momento para refletir sobre o que leu. Se fazemos isso durante um filme, no cinema, perdemos a cena seguinte!

C.L: O que podemos esperar da escritora Renata Ventura, daqui para frente ?
1459853_569449829791723_1418827398_nEu estou cada mais mais disciplinada, então os próximos livros devem sair bem mais rápido do que o primeiro! E

 eu não costumo segurar a mão; eu sou, sim, cruel com meus personagens, e se acho que um deve sofrer, ele irá sofrer. Eu não tenho pena, não olho idade ou condição moral. Se acho que o personagem precisa passar por aquilo, ele irá passar por aquilo. Desculpe, leitores queridos, rsrs.

C.L: Renata Ventura Por Renata Ventura?

Tímida, mas sempre melhorando.

C.L: Renata, deseja mandar um recado para os fãs?

Preparem seus corações para o livro 2, rsrs.
Há alguns personagens dele rondando pelo facebook e pelo fã-clube Armada Escarlate Brasil! Amo vocês todos!

Advertisement
Comments

HQs

Resenha | Nimona

O verdadeiro significado do ditado: “As aparências enganam”.

Mylla Martins de Lima

Published

on

A HQ Nimona foi lançada em 2016 pela editora Intrínseca e tem como autora Noelle Stevenson, uma ilustradora e quadrinista incrível!

Nimona é uma menina, as vezes raposa, tubarão, gato e até dragão em alguma parte do seu tempo. Na verdade Nimona é uma metamorfa muito enérgica, que consegue o tão sonhado cargo de comparsa do pior vilão que já existiu no mundo, o Ballister Coração-Negro.

O inesperado começa quando a garota, em sua primeira missão, descobre que seu chefe e ídolo não é tão malvado assim. Enquanto ela sugere acabar com o arqui-inimigo e ex-amigo do vilão, Sir Ambrosius Ouropelvis, matando ele e a quem estiver tentando protegê-lo, Ballister prefere a tradicional luta de espadas, sem sangue e sem morte.

A história começa quando a dupla descobre que a Instituição de Heroísmo & Manutenção da Ordem, empresa que em tese serviria para controlar o caos, planeja prejudicar a população e incriminá-los. Como será a reação do povo quando Coração-Negro levar essa informação à mídia?

Trata-se de uma publicação divertidíssima, ambientada na idade média mas utilizando de elementos futurísticos, mais presente na tecnologia. Os personagens carregam muitas histórias passadas e são muito bem trabalhados, do visual à personalidade. Várias páginas arrancam sorrisos e até mesmo gargalhadas, principalmente quando os quadros pertencem à menina e Ballister.

A trama é cheia de dramas também, e que não passam despercebidos nem com as cenas de humor ácido da personagem principal. O ritmo da narrativa é bem rápido, mas muito fluido e, mesmo com suas 275 páginas, Nimona é uma leitura simples, fácil e que pode ser lida em um único dia. E é impossível não ler!

Noelle sabe prender o seu leitor e isso não é nenhuma surpresa. Esta HQ lhe rendeu o Eisner Awards e a levou para a final do National Book Award. Além disso, a quadrinista garantiu o Slate Cartoonist Studio Prize de Melhor Web Comic e foi indicada ao Harvey Award. Que currículo!

Nimona é uma ótima leitura pós ressaca literária, é a melhor opção para quem ama fantasia e quer fugir dos clicês de heróis. É um misto de fofura, ação, risadas e lágrimas.

A história de uma menina, um vilão que não é vilão e um herói que não é herói.

Continue Reading

Livros

Ordem Vermelha: Filhos da Degradação

Um livro sobre luta pela liberdade de uma sociedade oprimida.

Gustavo Carvalho Cardoso

Published

on

Ordem Vermelha foi publicado em 7 de dezembro de 2017 pela editora Intrínseca. O livro foi escrito por Felipe Castilho, autor de Serpentário, O Legado Folclórico e também indicado ao Prêmio Jabuti pelo quadrinho Savana de Pedra. Esse é o início de um universo compartilhado do Omelete, que irá contar com HQs, livros e animações.

O livro conta a história de quatro heróis que lutam pela liberdade de uma sociedade cercada de corrupção, presa eternamente pelos grilhões de uma deusa corrompida pelo poder e tomada pela ira daqueles que pecaram milênios atrás. Ligados pelo destino e pelo sentimento de inconformidade da normalidade com que seus povos aceitaram servir calados, como escravos, eles unirão forças para colocar em prática um plano ousado que mudará o mundo.

” As seis faces da deusa Una observam você aonde quer que vá. ”

Esse volume é recheado de momentos épicos, com passagens que nos fazem repensar sobre a vida real. É um universo totalmente novo, com suas próprias peculiaridades, referências, sistema econômico, religião e costumes. Repleto de raças, algumas já vistas em outros lugares da literatura porém, retratados de forma diferente aqui.

A história aborda a degradação social comandada autoritariamente por uma deusa corrompida pelo erro de seu povo no passado. Com um apelo religioso muito forte, o livro coloca em jogo nossa ideia de fé e o quanto ela pode ser deturpada pelo poder daqueles que usam-na como forma de escravidão global.

Utilizando-se de temas pesados como racismo, prostituição e abuso, o livro mostra até que ponto as pessoas podem chegar quando são escravizadas e tratadas como gado para abate, além de como essa mesma sociedade com um mínimo de poder pode ser adulterada, ficando pior do que aqueles que a explorou.

A luta pela independência é muito bem retratada e contextualizada, claramente apresentada pela personagem Yanisha e sua esposa Raazi, que batalham para serem livres desse trabalho escravo e servidão contínua. Sua raça consegue mudar a cor de seus corpos como um camaleão, e as mulheres de seu povo são usadas como mercadoria para os prazeres carnais daqueles que pagarem mais. A perseverança das duas não está ligada apenas a elas, mas sim à emancipação de todas as mulheres que dão suas vidas e corpos para adquirirem uma semiliberdade, e por todos que morrem em busca desse sonho tão distante.

Ordem Vermelha é o inicio de um universo com potencial expansivo imenso, cheio de laços e caminhos para serem abordados, com mitologias e histórias cativantes. É um ótimo livro nacional, e para aqueles que buscam uma história diferente e bastante complexa, é uma ótima pedida.

É uma leitura bem rápida com uma escrita que prende facilmente, e a cada página queremos saber mais sobre o destino de cada personagem além de torcermos pelo sucesso de sua luta.

Continue Reading

Livros

Bienal do Livro SP ocorre online devido ao coronavírus

Evento se inicia dia 7 e vai até o dia 13 de dezembro.

Gustavo Carvalho Cardoso

Published

on

Neste ano, por conta da pandemia global, a Bienal do livro de São Paulo não ocorrerá como planejado. Uma segunda forma de integrar o público aos livros e promover a leitura foi anunciada e, assim como outros eventos, este também será totalmente online. Organizada pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), com o conceito Conectando Pessoas e Livros, o evento será concretizado em uma plataforma inteiramente digital e de fácil acesso para expositores e público em geral.

A plataforma disponibilizará palestras de difícil acesso fisicamente, venda e compra de livros, negociações e conversas com os expositores de forma fácil e rápida. Alguns espaços famosos da Bienal física estarão disponíveis digitalmente também, como a arena virtual e o salão de ideias que são uma ótima forma para troca de experiências com os convidados.

Terá também rodadas de negócios, encontros que promovem discussões sobre o mercado de trabalho editorial nacional e mundial, para auxiliar aqueles que buscam ingressar nesse ramo e se profissionalizar no meio literário.

A Bienal do Livro, que seria realizada no período normal, foi adiada para 2021. Porém, para todos aqueles que estão sentindo abstinência do evento, a plataforma online é uma ótima pedida.

A primeira Bienal do Livro Digital ocorrerá dos dias 7 a 13 de dezembro deste ano, e espera juntar 150 expositores e mais de 1 milhão de visitantes online.

E vocês, quantos livros pretendem comprar durante o evento?

Continue Reading

Parceiros Editorias