Connect with us

CCXP 2018

CCXP 2018 – CRÍTICA: Creed II

Beatriz Souza

Published

on

Depois do hit que foi “Creed: Nascido Para Lutar (2015)”, “Creed II” se apresenta como uma sequência sólida para unir tanto os fãs antigos da franquia Rocky quanto os fãs atuais. Adonis Creed (Michael B. Jordan), além de honrar o nome de Apollo Creed, fez seu próprio caminho como um lutador. Agora, ele tem um novo desafio pela frente: enfrentar Viktor Drago (Florian Montaenu), filho de Ivan Drago (Dolph Lundgren) – responsável pela morte de seu pai.

Em “Creed II”, Adonis tem tudo o que poderia querer. Detém o título e o cinturão de campeão, comprou um novo apartamento, está em um relacionamento com Bianca (Tessa Tompson) e tem Rocky Balboa (Sylvester Stallone) como seu mentor e treinador. Mesmo assim, não parece o suficiente para ele. Ao mesmo tempo, ao lado do antagonista, temos Viktor vivendo toda a pressão de seu pai para reerguer o nome Drago perante a família e ao seu país de origem, a Rússia. Por isso, Drago desafia Creed para que então seja decidido quem é realmente o vencedor.

Quando desafiado, Creed acredita que deva aceitar, apesar dos alertas de Bianca e Rocky para não lutar. Ele fica frustrado ao confrontar Rocky e achar que seu mentor não vê chances de ele vencer. Porém, a questão que fica é: Pelo que ele está lutando? Mesmo não tento a resposta e treinado por Tony “Little Duke” Evers (Wood Harris), Creed decide lutar. O resultado acaba sendo positivo apenas para o monstro que Viktor é nos ringues.

Comparando os dois lados parece que a motivação do protagonista é fraca, principalmente quando vemos o conflito que o antagonista vive. Mas isso não compromete a qualidade do filme pelo carisma de Michael B. Jordan.

Adonis, então, precisa descobrir suas motivações mais profundas para enfrentar esse desafio. Isso nos leva para a temática do longa. O filme é, na verdade, sobre família. Ele retrata as relações familiares nas suas adversidades.

All Rights Reserved.

Com Creed, ele percebe o quanto ama Bianca e o casal logo descobre a vinda de um bebê. Para Bianca, isso significa repensar sua carreira de cantora. Rocky está em conflito consigo mesmo sobre se reconciliar com seu filho e conhecer seu neto. Já Ivan e Viktor buscam a aprovação da matriarca da família, tendo uma conclusão arrasadora.

O elenco transmite toda a emoção necessária para tornar “Creed II” uma bela sequência. A nova direção de Steven Caple Jr. garante uma continuação sólida para a franquia, transportando o espectador para a narrativa.

Creed II” foi assistido pelo CDL na CCXP 2018, com isso, parecia que todo o auditório era uma plateia estendida da arena em que as lutas aconteciam. O vibrar, com certeza, fora mais forte que das próprias cenas e é fácil dizer que nos cinemas a sensação será parecida.

Os momentos que antecedem o final do filme deixam o espectador na dúvida quanto à conclusão. De forma alguma isso é algo negativo, pois a apreensão sobre o resultado da última luta é o que deixa tudo mais emocionante.

Creed II” chega aos cinemas brasileiros no dia 24 de janeiro de 2019.

Creed II

9.2

Enredo

9.0/10

Direção

9.5/10

Fotografia

9.0/10

Pros

  • Cenas de tirar o fôlego

Cons

  • Motivação fraca do protagonista
Comments