Connect with us

cinema

Conheça sobre o Esquadrão Suicida

Avatar

Published

on

 

Depois do visual do Jared Leto ser divulgado, parece que aumentou bastante o interesse do público em saber mais que filme seria este, chamado de Esquadrão Suicida. Pois bem, ES é uma revista da DC Comics e se formos comparar é um gibi um pouco menos obscuro quanto Guardiões da Galáxia na Marvel.

Suicide_Squad

Um pouco menos obscuro pelo fato de que quem é Decenauta já escutou falar do grupo ao contrário de muito marvete que não sabia da existência dos Guardiões. O time do Esquadrão Suicida é formado por vilões capturados e selecionados pelo governo para cumprir missões pra lá de arriscadas e para evitar rebeliões de quaisquer membros, usa-se braceletes explosivos a fim de intimidar seus membros. E também como as missões são muito perigosas, geralmente um membro da equipe morre em cada missão(ás vezes até mais do que isso), portanto o grupo sempre está se renovando em sua formação.

A idéia de Esquadrão Suicida foi criada no final do ano de 1959 na revista Brave and The Bold # 25 com um grupo de presos militares que cumpriam missões em busca de anistia. Normalmente os inimigos eram monstros gigantes.

es00000000000

Só muito tempo depois inseriram a ligação entre o grupo de 59 e o de 1987 , o qual irei falar agora.

Nos anos 80, em 1987,durante a saga Lendas ( ótima mas que poucos falam),essa idéia foi reaproveitada trazendo vilões (alguns até meta humanos) para incorporar as fileiras do grupo.

O grupo é criado por Rick Flagg, Amanda Waller ( que nunca pode ser uma mulher bonita, senão ficaria muito Maria Hill, gosto da Amanda negona, feia e desaforada) e depois começam a recrutar membros como O Pistoleiro, Capitão Bumerangue, Magia, Arrasa-Quarteirão que é o cara forte da equipe. “Ahhh, nós temos o Arrasa-quarteirão”(isso  aqui não cola) e Tigre-de-Bronze que não é vilão.

 

Vejam aí o grupo e quem foi logo a primeira vítima na equipe:

es004

 

Sim, o Arrasa-quarteirão (é, Blockbuster no original). O cara mais forte do grupo foi o primeiro a bater as botas!!!!

A idéia passou para um título mensal , cujas histórias foram lançadas por aqui na revista da Liga da Justiça, um ponto cheio da Editora Abril pois, se compramos a revista para ver os maiores heróis da casa, por que não os maiores vilões também?

O Esquadrão Suicida  passou por diversas histórias e fases sendo sempre desativado e reativado quando necessário, formando equipes emergenciais, interagindo com o Batman ( no qual o vilãao mais foda do grupo é inimigo do Batman, me refiro a Floyd Lawton o Pistoleiro).

E até hoje temos o Esquadrão Suicida na ativa, mesmo nos New 52 e daqui há pouco teremos a versão cinematográfica da equipe, que conta com Will Smith, Jared Leto,Margott Hobbie dentre outros.

Um fato é que a revista do esquadrão Suicida mesmo apresentando histórias legais não mantém o ritmo por muito tempo. E haja a relançamentos edições especiais.

Se você quer ver um pouco do esquadrão Suicida lançado por aqui, que tal ver as edições de Liga da Justiça, Super Powers 25 ( 1992)  e Superboy # 18 a 20, todas da editora Abril. As edições de New 52 sairam aqui num título misto com as Aves de Rapina.

 

Vamos falar então um pouco de cada personagem nas hqs:

O Pistoleiro

Floyd Lawton sempre acerta no alvo e é o membro da equipe que já cumpriu missões suficientes para receber anistia mas continua com o grupo  devido  a ter uma necessidade de morar. Lawton encara e deseja que cada missão sua seja a última, mas ainda não chegou o dia dele.Temos um Pistoleiro em Arrow( lembrem que na DC são separados os universos de cinema e série)

deadshot

Tigre-de-Bronze

Um herói que tá lá fiscalizando os vilões. Um artista marcial que já teve seu lado vilão quando foi manipulado pela Liga dos Assassinos. A maior parte dos membros aqui já apareceram no seriado Arrow, só pra informar.

bronze

Capitão Bumerangue– escroto, nojento e é o alívio cômico do grupo por incrível que pareça. As xavecadas dele são bizarras. Um australiano inimigo do Flash que faz graça sendo repulsivo.

Antes dos New 52, matou o pai do Tim Drake ( Robin III) e voltou a vida em A Noite Mais Densa.

boomerang

 

Amanda Waller

A mulher forte que manda e desmanda e peita até o batman. Fora que encara segurando uma arma um combate contra vilões tao bem quanto qualuer agente. Nos novos 52 ela ficou arrumadinha e perdeu metade do que a fazia Amanda Waller. E sim, se preparem, pois se adotarem a versão New 52 dela nos cinemas, os  hatters dirão que é a mistura de Nick Fury com Maria Hill.

amanda

Víxen

Antes dos New 52, a Víxen que tem o poder de assimilar capacidades animais já foi até membro da Liga da Justiça sendo uma heroína que tá lá de bedel sobre os vilões. vale lembrar que Víxen é a primeira heroína negra a ter revista própria, mesmo que não tenha durado muito. vixen

 

Arrasa-quarteirão

Um carinha que tomou um soro e ficou naquela de médico e o monstro, só que o humano quer que o monstro tome o controle.

arrasa

Arlequina 

A psiquiatra apaixonada pelo Coringa e doida de pedra. Surgiu nos desenhos do Batman dos anos 90 e hoje em dia só aparece em versões sexy, desde que entrou para  o mundo dos games.

arleuina

Magia

Ela é uma vilã que  já  bancou heroína lá em Pacto das Sombras. Não a vejo  tão vilã, já que conheci a personagem mesmo foi em Pacto das Sombras e até por que o visual de bruxinha bonitinha da vassoura de aipim  não cola. Mas o visual atual sim, é mais vilanesco.E ficou foda.

magia

Rick Flag Jr.

O militar que toma conta da equipe,e conta com o apoio do Tigre Dentes de sabre de Bronze. É filho do Flag que criou o Esquadrão Suicida original lá nos anos 60. Mas esse remodelou a equipe para os novos tempos colocando vilões. Já apareceu em Smallville.

rick

Alguém pode vir e perguntar: E o Coringa? sinto, mas o Coringa nunca foi membro da equipe nos quadrinhos. Será no cinema, mas as hqs até hoje ainda não.

 

cinema

Kevin Smith apoia Ray Fisher e diz que Joss Whedon descartou versão de Snyder

Segundo Kevin Smith Joss Whedon estava determinado a mudar toda a versão de Snyder.

Avatar

Published

on

By

Kevin Smith, um dos diretores mais influentes da DC Comics, acaba de dizer que apoia Ray Fisher sobre as alegações de abuso que atores e a equipe criativa sofreram do diretor Joss Whedon durante as gravações da Liga da Justiça.

No episódio mais recente do podcast Fatman Beyond, de Kevin Smith, ele confirma os comentários Fisher falando de conversas que teve com membros da equipe de The Rise of Skywalker, que também trabalhou nas duas versões da Liga da Justiça.

Kevin Smith e o escritor Marc Bernardin estavam discutindo a situação quando Smith abriu uma conversa que ele teve com uma equipe de efeitos especiais da Liga da Justiça , que lhe disse que Joss Whedon estava totalmente contra a versão de Zack Snyder para o filme, negando até mesmo informações anteriores de que Zack Snyder teria escolhido Whedon para a cadeira de diretor e também que ele iria apenas finalizar algumas coisas para o filme. O diretor ressalta que ele não ficou sabendo de tudo antes, mas definitivamente o que ele sabe se alinha às recentes acusações de Ray Fisher.

“Reduziu, descartou e foi negativo sobre a versão de Zack que ele viu que toda a equipe de efeitos especiais [essas pessoas] fizeram juntos”.

 Um rumor antigo dava conta que a diretora de Mulher-Maravilha, Patty Jenkins, não queria mais que Gal Gadot trabalhasse com a personagem nos filmes que o diretor poderia se envolver no futuro da DC, Joss Whedon também foi muito criticado quando o seu roteiro de Mulher-Maravilha vazou, ao qual foi classificado como e machista.

Afastado do filme por conta do suicídio da sua filha, Zack e sua esposa Deborah Snyder – que também produziu o longa – não chegaram a finalizar totalmente o projeto.  Joss Wheldon, diretor de Vingadores e Vingadores: Era de Ultron, foi chamado pela Warner para refilmar boa parte da produção, mudando assim acontecimentos previstos no roteiro original do filme, assim como refazer cenas importantes da trama. Snyder revelou recentemente que jamais viu a versão que saiu para o cinema, sempre dando a entender que gostaria de exibir ao público a sua visão dos heróis.

Liga da Justiça recebeu críticas mistas da mídia especializada na época de seu lançamento, com destaque positivo às atuações de Gadot (Mulher-Maravilha) e Ezra Miller (Flash), as sequências de ação e os efeitos visuais, enquanto que o enredo, a narrativa, o ritmo, o vilão e o excessivo uso de efeitos especiais foram recebidos de forma negativa. 

Arrecadando mais de US$ 657 milhões mundialmente, sendo assim o décimo quarto longa-metragem de maior bilheteria daquele ano, ficou abaixo das expectativas do estúdio (com perdas estimadas entre US$ 50 e US$ 100 milhões) e é o título de menor receita do então universo estendido da DC Comics no cinema.

Liga da Justiça: Snyder Cut estreia em 2021 na HBO Max.

Continue Reading

cinema

Produtor da Liga da Justiça nega que acobertou abusos de Joss Whedon

O fotografo Jason Laboy também confirmou que Gal Gadot se recusou a gravar cena que Flash cai sobre ela.

Avatar

Published

on

By

Mais cedo o ator Ray Fisher acusou no Twitter o diretor de Vingadores de comportamento abusivo no set da Liga da Justiça, e que os produtores Geoff JohnsJon Berg, permitiram os abusos do cineasta.

A revista Variety, Jon Berg, se defendeu da acusação de Fisher em um curto comunicado, afirmando que as palavras do ator são “Mentiras categóricas” ele também disse que Fisher ficou bravo com um dos pedidos feito a ele:

“Eu lembro que ele ficou bravo porque queríamos que ele dissesse ‘booyah’, um bordão conhecido do Cyborg nas animações”

Liga da Justiça também foi amplamente criticado por cenas controversas incluindo Gal Gadot, a interprete de Mulher-Maravilha aparece em uma cena mostrando suas nádegas, em uma delas, Ezra Miller (Flash) cai sobre ela, a cena foi gravada com uma duble, pois Gal se recusou a gravar, Joss para obrigar a dublê a filmar o momento teria fechado a porta do seu camarim. A informação foi confirmada pelo fotógrafo Jason Laboy.

Até agora apenas Fisher se manifestou sobre estes abusos supostamente cometidos, um rumor antigo dava conta que a diretora de Mulher-Maravilha, Patty Jenkins, não queria mais que Gal Gadot trabalhasse com a personagem nos filmes que o diretor poderia se envolver no futuro da DC, Joss Whedon também foi muito criticado quando o seu roteiro de Mulher-Maravilha vazou, ao qual foi classificado como e machista.

Afastado do filme por conta do suicídio da sua filha, Zack e sua esposa Deborah Snyder – que também produziu o longa – não chegaram a finalizar totalmente o projeto.  Joss Wheldon, diretor de Vingadores e Vingadores: Era de Ultron, foi chamado pela Warner para refilmar boa parte da produção, mudando assim acontecimentos previstos no roteiro original do filme, assim como refazer cenas importantes da trama. Snyder revelou recentemente que jamais viu a versão que saiu para o cinema, sempre dando a entender que gostaria de exibir ao público a sua visão dos heróis.

Liga da Justiça recebeu críticas mistas da mídia especializada na época de seu lançamento, com destaque positivo às atuações de Gadot (Mulher-Maravilha) e Ezra Miller (Flash), as sequências de ação e os efeitos visuais, enquanto que o enredo, a narrativa, o ritmo, o vilão e o excessivo uso de efeitos especiais foram recebidos de forma negativa. 

Arrecadando mais de US$ 657 milhões mundialmente, sendo assim o décimo quarto longa-metragem de maior bilheteria daquele ano, ficou abaixo das expectativas do estúdio (com perdas estimadas entre US$ 50 e US$ 100 milhões) e é o título de menor receita do então universo estendido da DC Comics no cinema.

Liga da Justiça: Snyder Cut estreia em 2021 na HBO Max.

Continue Reading

cinema

Ray Fisher denuncia comportamento “abusivo” de Joss Whedon

O ator disse que o diretor recebeu apoio dos produtores Geoff Johns e Jon Berg.

Avatar

Published

on

By

O ator Ray Fisher da Liga da Justiça, que interpretou Cyborg, denuncia comportamento longe do profissional do diretor que finalizou o longa Liga da Justiça.

Sem entrar em detalhes o ator escreveu um tweet em que alega que o direto Joss Whedon dos Vingadores e Vingadores: Era de Ultron tratou com desrespeito o elenco e profissionais ligados ao filme.

O tratamento que Joss Wheadon deu ao elenco e a equipe da Liga da Justiça foi grosseiro, abusivo, pouco profissional e completamente inaceitável. Ele foi habilitado, de várias maneiras, por Geoff Johns e Jon Berg. Responsabilidade > Entretenimento

Até agora apenas Fisher se manifestou sobre estes abusos supostamente cometidos, um rumor antigo dava conta que a diretora de Mulher-Maravilha, Patty Jenkins, não queria mais que Gal Gadot trabalhasse com a personagem nos filmes que o diretor poderia se envolver no futuro da DC, Joss Whedon também foi muito criticado quando o seu roteiro de Mulher-Maravilha vazou, ao qual foi classificado como e machista.

Afastado do filme por conta do suicídio da sua filha, Zack e sua esposa Deborah Snyder – que também produziu o longa – não chegaram a finalizar totalmente o projeto.  Joss Wheldon, diretor de Vingadores e Vingadores: Era de Ultron, foi chamado pela Warner para refilmar boa parte da produção, mudando assim acontecimentos previstos no roteiro original do filme, assim como refazer cenas importantes da trama. Snyder revelou recentemente que jamais viu a versão que saiu para o cinema, sempre dando a entender que gostaria de exibir ao público a sua visão dos heróis.

Liga da Justiça recebeu críticas mistas da mídia especializada na época de seu lançamento, com destaque positivo às atuações de Gadot (Mulher-Maravilha) e Ezra Miller (Flash), as sequências de ação e os efeitos visuais, enquanto que o enredo, a narrativa, o ritmo, o vilão e o excessivo uso de efeitos especiais foram recebidos de forma negativa. 

Arrecadando mais de US$ 657 milhões mundialmente, sendo assim o décimo quarto longa-metragem de maior bilheteria daquele ano, ficou abaixo das expectativas do estúdio (com perdas estimadas entre US$ 50 e US$ 100 milhões) e é o título de menor receita do então universo estendido da DC Comics no cinema.

Liga da Justiça: Snyder Cut estreia em 2021 na HBO Max.

Continue Reading

Parceiros Editorias