Connect with us

cinema

Crítica – Bad Boys para sempre “Mais humor, menos ação”

Ele não se eleva comparado aos outros, mas é um bom filme pra se ver, matar a saudade e ficar com a música na cabeça.

Avatar

Published

on

Bad boys, é uma franquia que marcou gerações apaixonadas por ação policial, protagonistas bem humorados e talentosos. Em 1995, seu primeiro filme apresentou Marcus Burnett (Martin Lawrence) e Mike Lowrey (Will Smith) dois policiais do departamento de polícia de Miami que juntos, tentam combater o crime com muitas cenas carregadas de briga, confusão e heroína.

Em seu segundo filme, os policiais conseguiram superar seu antecessor com um orçamento que passou dos 23 milhões de dólares, duplicando o cachê dos astros e caracterizando um filme com um enredo cheio de sequências de ações extraordinárias, como aquela em que 15 carros são arremessados de uma jamanta nos heróis, inclusive um barco, com muita explosão e dezenas de outras colisões, tudo isso em uma ponte.

Com a direção de dil El Arbi e Bilall Fallah e roteiro de Joe Carnahan e Chris Bremner, desta vez, na sequência  de “Bad boys para sempre” os detetives do departamento de narcóticos de Miami, estão envolvido em mais uma investigação com uma conspiração mortal envolvendo um dos agentes, nosso querido Mike Lowrey.

O filme se inicia mostrando a trajetória dos agentes e como suas escolhas os transformaram e impactaram suas vidas, fazendo serem o que são. Mike, continua apaixonado por sua vida e  seus carros, enfatizando que em todos os filmes ele está com um Porsche novo, seu modelo favorito de carro, carregado de velocidade e adrenalina. E Lowrey continua apaixonado por sua família e filhos, buscando somente um descanso e paz longe da violência e adrenalina policial.

As cenas da franquia conservam o humor encontrados nos enredos anteriores. Smith e Lawrence voltam para esses personagens facilmente e mostram como o tempo passa pra todos,  na verdade, mesmo após tantos anos, a parceria e companheirismo fica bem evidente nas cenas e como sempre, Lawrence permanece um resmungão e tagarela, e Mike carrega sua fiel personalidade, embora desta vez seja mais amena. A relação dos dois continua ainda mais divertida do que antes e é justamente essas brigas e conflitos comediantes que salva boa parte do filme.

Mais humor, menos ação

Comparado com os filmes anteriores este apresenta menos cenas de ação, e bem menos empolgantes. É evidente que Lawrence esta fora de forma e Smith acaba fazendo quase todas as poucas cenas que envolve força e movimentos extremos que existem nesse gênero de filme. Apesar disso, as cenas são boas, se não forem comparadas com os filmes anteriores, claro.

É empolgante ver os dois atuando, afinal, são grandes atores que conseguem entrar no personagem de forma única, mas eles não tentam elevar o nível nessa nova sequência, então é melhor não criar muitas expectativas.

O enredo é carregado de conflitos entre relações, e é neste contexto que algumas verdades surpreendentes sobre Mike são reveladas, além de uma inestimável perda para os agentes.

Novos agentes

Para auxilio nessa nova jornada o enredo inclui os novos agentes interpretados por: Paola nuñes, Charles Melton, Alexander Ludwig, e Vanessa Hudgens. Uma das coisas emocionantes foi ter uma nova visão de Hudgens, fora da bolha de personagens de comédia romântica e Disney, sinceramente, sua atuação em filmes de ação é bem melhor do que nos de romance.

A nova equipe parece ter sido colocada justamente para auxiliar os personagens que já parecem bem cansados com sua longa jornada, principalmente Lawrence que esta fora de forma e não parece mais conseguir atuar com tantas cenas de ação. 

O filme também mostra um novo romance para Mike e tem uma reviravolta inesperada, o que não se via nos filmes anteriores. Ele não se eleva comparado aos outros, mas é um bom filme pra se ver, matar a saudade dos personagens juntos e ficar com a canção dos bad boys na cabeça.

Sua estréia está prevista para dia 30 de janeiros nos cinemas, não percam!





7.6

7.6/10

Pros

  • Muito humor
  • Atuação de Lawrence e Smith continuam ótimas

Cons

  • pouca ação
  • se comparado aos anteriores é o mais fraco
  • não eleva o nível da franquia

Bióloga - UFSCar. 26 anos. Apaixonada pelo mundo Nerd. Se perde em páginas de livros. Busca sempre o empoderamentos das Mulheres, e lutar contra todos tipo de exclusão racial e social.

Advertisement
Comments

cinema

Kevin Smith apoia Ray Fisher e diz que Joss Whedon descartou versão de Snyder

Segundo Kevin Smith Joss Whedon estava determinado a mudar toda a versão de Snyder.

Avatar

Published

on

By

Kevin Smith, um dos diretores mais influentes da DC Comics, acaba de dizer que apoia Ray Fisher sobre as alegações de abuso que atores e a equipe criativa sofreram do diretor Joss Whedon durante as gravações da Liga da Justiça.

No episódio mais recente do podcast Fatman Beyond, de Kevin Smith, ele confirma os comentários Fisher falando de conversas que teve com membros da equipe de The Rise of Skywalker, que também trabalhou nas duas versões da Liga da Justiça.

Kevin Smith e o escritor Marc Bernardin estavam discutindo a situação quando Smith abriu uma conversa que ele teve com uma equipe de efeitos especiais da Liga da Justiça , que lhe disse que Joss Whedon estava totalmente contra a versão de Zack Snyder para o filme, negando até mesmo informações anteriores de que Zack Snyder teria escolhido Whedon para a cadeira de diretor e também que ele iria apenas finalizar algumas coisas para o filme. O diretor ressalta que ele não ficou sabendo de tudo antes, mas definitivamente o que ele sabe se alinha às recentes acusações de Ray Fisher.

“Reduziu, descartou e foi negativo sobre a versão de Zack que ele viu que toda a equipe de efeitos especiais [essas pessoas] fizeram juntos”.

 Um rumor antigo dava conta que a diretora de Mulher-Maravilha, Patty Jenkins, não queria mais que Gal Gadot trabalhasse com a personagem nos filmes que o diretor poderia se envolver no futuro da DC, Joss Whedon também foi muito criticado quando o seu roteiro de Mulher-Maravilha vazou, ao qual foi classificado como e machista.

Afastado do filme por conta do suicídio da sua filha, Zack e sua esposa Deborah Snyder – que também produziu o longa – não chegaram a finalizar totalmente o projeto.  Joss Wheldon, diretor de Vingadores e Vingadores: Era de Ultron, foi chamado pela Warner para refilmar boa parte da produção, mudando assim acontecimentos previstos no roteiro original do filme, assim como refazer cenas importantes da trama. Snyder revelou recentemente que jamais viu a versão que saiu para o cinema, sempre dando a entender que gostaria de exibir ao público a sua visão dos heróis.

Liga da Justiça recebeu críticas mistas da mídia especializada na época de seu lançamento, com destaque positivo às atuações de Gadot (Mulher-Maravilha) e Ezra Miller (Flash), as sequências de ação e os efeitos visuais, enquanto que o enredo, a narrativa, o ritmo, o vilão e o excessivo uso de efeitos especiais foram recebidos de forma negativa. 

Arrecadando mais de US$ 657 milhões mundialmente, sendo assim o décimo quarto longa-metragem de maior bilheteria daquele ano, ficou abaixo das expectativas do estúdio (com perdas estimadas entre US$ 50 e US$ 100 milhões) e é o título de menor receita do então universo estendido da DC Comics no cinema.

Liga da Justiça: Snyder Cut estreia em 2021 na HBO Max.

7.6

7.6/10

Pros

  • Muito humor
  • Atuação de Lawrence e Smith continuam ótimas

Cons

  • pouca ação
  • se comparado aos anteriores é o mais fraco
  • não eleva o nível da franquia
Continue Reading

cinema

Produtor da Liga da Justiça nega que acobertou abusos de Joss Whedon

O fotografo Jason Laboy também confirmou que Gal Gadot se recusou a gravar cena que Flash cai sobre ela.

Avatar

Published

on

By

Mais cedo o ator Ray Fisher acusou no Twitter o diretor de Vingadores de comportamento abusivo no set da Liga da Justiça, e que os produtores Geoff JohnsJon Berg, permitiram os abusos do cineasta.

A revista Variety, Jon Berg, se defendeu da acusação de Fisher em um curto comunicado, afirmando que as palavras do ator são “Mentiras categóricas” ele também disse que Fisher ficou bravo com um dos pedidos feito a ele:

“Eu lembro que ele ficou bravo porque queríamos que ele dissesse ‘booyah’, um bordão conhecido do Cyborg nas animações”

Liga da Justiça também foi amplamente criticado por cenas controversas incluindo Gal Gadot, a interprete de Mulher-Maravilha aparece em uma cena mostrando suas nádegas, em uma delas, Ezra Miller (Flash) cai sobre ela, a cena foi gravada com uma duble, pois Gal se recusou a gravar, Joss para obrigar a dublê a filmar o momento teria fechado a porta do seu camarim. A informação foi confirmada pelo fotógrafo Jason Laboy.

Até agora apenas Fisher se manifestou sobre estes abusos supostamente cometidos, um rumor antigo dava conta que a diretora de Mulher-Maravilha, Patty Jenkins, não queria mais que Gal Gadot trabalhasse com a personagem nos filmes que o diretor poderia se envolver no futuro da DC, Joss Whedon também foi muito criticado quando o seu roteiro de Mulher-Maravilha vazou, ao qual foi classificado como e machista.

Afastado do filme por conta do suicídio da sua filha, Zack e sua esposa Deborah Snyder – que também produziu o longa – não chegaram a finalizar totalmente o projeto.  Joss Wheldon, diretor de Vingadores e Vingadores: Era de Ultron, foi chamado pela Warner para refilmar boa parte da produção, mudando assim acontecimentos previstos no roteiro original do filme, assim como refazer cenas importantes da trama. Snyder revelou recentemente que jamais viu a versão que saiu para o cinema, sempre dando a entender que gostaria de exibir ao público a sua visão dos heróis.

Liga da Justiça recebeu críticas mistas da mídia especializada na época de seu lançamento, com destaque positivo às atuações de Gadot (Mulher-Maravilha) e Ezra Miller (Flash), as sequências de ação e os efeitos visuais, enquanto que o enredo, a narrativa, o ritmo, o vilão e o excessivo uso de efeitos especiais foram recebidos de forma negativa. 

Arrecadando mais de US$ 657 milhões mundialmente, sendo assim o décimo quarto longa-metragem de maior bilheteria daquele ano, ficou abaixo das expectativas do estúdio (com perdas estimadas entre US$ 50 e US$ 100 milhões) e é o título de menor receita do então universo estendido da DC Comics no cinema.

Liga da Justiça: Snyder Cut estreia em 2021 na HBO Max.

7.6

7.6/10

Pros

  • Muito humor
  • Atuação de Lawrence e Smith continuam ótimas

Cons

  • pouca ação
  • se comparado aos anteriores é o mais fraco
  • não eleva o nível da franquia
Continue Reading

cinema

Ray Fisher denuncia comportamento “abusivo” de Joss Whedon

O ator disse que o diretor recebeu apoio dos produtores Geoff Johns e Jon Berg.

Avatar

Published

on

By

O ator Ray Fisher da Liga da Justiça, que interpretou Cyborg, denuncia comportamento longe do profissional do diretor que finalizou o longa Liga da Justiça.

Sem entrar em detalhes o ator escreveu um tweet em que alega que o direto Joss Whedon dos Vingadores e Vingadores: Era de Ultron tratou com desrespeito o elenco e profissionais ligados ao filme.

O tratamento que Joss Wheadon deu ao elenco e a equipe da Liga da Justiça foi grosseiro, abusivo, pouco profissional e completamente inaceitável. Ele foi habilitado, de várias maneiras, por Geoff Johns e Jon Berg. Responsabilidade > Entretenimento

Até agora apenas Fisher se manifestou sobre estes abusos supostamente cometidos, um rumor antigo dava conta que a diretora de Mulher-Maravilha, Patty Jenkins, não queria mais que Gal Gadot trabalhasse com a personagem nos filmes que o diretor poderia se envolver no futuro da DC, Joss Whedon também foi muito criticado quando o seu roteiro de Mulher-Maravilha vazou, ao qual foi classificado como e machista.

Afastado do filme por conta do suicídio da sua filha, Zack e sua esposa Deborah Snyder – que também produziu o longa – não chegaram a finalizar totalmente o projeto.  Joss Wheldon, diretor de Vingadores e Vingadores: Era de Ultron, foi chamado pela Warner para refilmar boa parte da produção, mudando assim acontecimentos previstos no roteiro original do filme, assim como refazer cenas importantes da trama. Snyder revelou recentemente que jamais viu a versão que saiu para o cinema, sempre dando a entender que gostaria de exibir ao público a sua visão dos heróis.

Liga da Justiça recebeu críticas mistas da mídia especializada na época de seu lançamento, com destaque positivo às atuações de Gadot (Mulher-Maravilha) e Ezra Miller (Flash), as sequências de ação e os efeitos visuais, enquanto que o enredo, a narrativa, o ritmo, o vilão e o excessivo uso de efeitos especiais foram recebidos de forma negativa. 

Arrecadando mais de US$ 657 milhões mundialmente, sendo assim o décimo quarto longa-metragem de maior bilheteria daquele ano, ficou abaixo das expectativas do estúdio (com perdas estimadas entre US$ 50 e US$ 100 milhões) e é o título de menor receita do então universo estendido da DC Comics no cinema.

Liga da Justiça: Snyder Cut estreia em 2021 na HBO Max.

7.6

7.6/10

Pros

  • Muito humor
  • Atuação de Lawrence e Smith continuam ótimas

Cons

  • pouca ação
  • se comparado aos anteriores é o mais fraco
  • não eleva o nível da franquia
Continue Reading

Parceiros Editorias