Connect with us

CCXP 2018

CRÍTICA – Bird Box

Beatriz Souza

Published

on

Casos de homicídios seguidos por suicídios deixaram de ser raridade para se tornarem cada vez mais comuns, causando pânico generalizado na população do mundo. Malorie, no entanto, não acredita que o surto seja uma ameaça até ver acontecer de perto. Mas esse é o problema, pois quem vê a Criatura está imediatamente condenado.

É nesse cenário apocalíptico que a nova produção da Netflix, baseado no livro “Bird Box” de Josh Malerman, se situa. Nele, Malorie (Sandra Bullock) precisa criar seus filhos pequenos para sobreviverem em um mundo que vive no escuro. Quando não tem mais escolha, ela embarca na jornada perigosa de atravessar o rio de olhos vendados para chegar a um abrigo na qual não tem certeza se é, de fato, seguro.

O filme, assim como no livro, mostra os momentos antes de tudo acontecer logo quando Malorie descobre estar grávida e o depois, na missão para chegar até o abrigo. Apesar de ser uma história de terror que carrega cenas fortes, o filme se diferencia de outros do gênero por mostrar as reações humanas diante de um cenário de fim de mundo.

Isso fica evidenciado nos personagens muito bem construídos que dão sentido a trama. Malorie é dona de uma personalidade curiosa. Ao mesmo tempo em que tem que aceitar que vai ser mãe no meio do o caos, ela precisa aprender a ter esperança de que todo seu esforço para manter as crianças à salvo valerá a pena. A atuação brilhante de Bullock é o que faz tudo funcionar. Em todos os momentos, a atriz consegue transmitir exatamente o que Malorie está passando com veracidade.

Outros personagens que merecem destaque são Douglas (John Malkovich), que perde a esposa quando ela tenta ajudar Malorie e deixa a pior parte de sua personalidade transparecer no convívio com outros, mas não desiste da luta; Olympia (Danielle MacDonald), uma mulher grávida de bom coração e com vários sonhos; e Tom (Trevante Rhodes), carismático e a fonte de esperança do grupo, que permanece lutando para proteger todos a sua volta.

Os atores crianças que interpretam o Garoto e a Garota (Julian Edwards e Vivien Lyra Blair, respectivamente) são incríveis. Apesar da pouca idade, são essenciais para conseguir a empatia do público com o desespero da situação. O elenco também conta com a excepcional Sara Paulson, que apesar das poucas cenas, faz valer sua aparição com um relacionamento divertido e doloroso como irmã de Malorie.

“Bird Box” vai muito além de um filme de terror e drama, pois trabalha com as percepções humanas do que seriam as deficiências e as limitações que elas trazem consigo. Mesmo com divergências do livro e não dando uma forma para a Criatura, deixando apenas como uma presença, o longa tem um final surpreendente, capaz de emocionar até mesmo os que já conhecem a história.

“Bird Box” estreia dia 21 de dezembro, na Netflix. O filme foi assistido na première da CCXP 2018.

Bird Box

9.8

Roteiro

10.0/10

Direção

10.0/10

Fotografia

9.5/10

Estudante de Jornalismo, apaixonada por escrever, maratonar séries e ouvir música. Caçadora de monstros com Sam e Dean nas horas vagas.

Parceiros Editorias

error: Conteúdo Protegido