Connect with us

cinema

Crítica – Brinquedo Assassino “É gore pra todo lado”

É um bom remake, com ótimas atuações e enredo divertido

Thalita Heiderich

Published

on

“Ele não segue as regras? É assim que todo apocalipse robótico começa.”

Dirigido por Lars Klevberg, Brinquedo Assassino é o novo remake do já famosíssimo Chucky, personagem presente em qualquer festa de halloween que preste.

Andy (Gabriel Bateman) acabou de se mudar com sua mãe Karen (Aubrey Plaza) e se sente solitário, mas não sabe como fazer amigos. Karen trabalha numa loja de brinquedos e dá de presente para seu filho um boneco animatônico Buddi, que além de ter inteligência artificial, se conecta com os outros produtos Kaslan da casa.

Nessa versão, Kaslan é uma empresa com monopólio em produtos eletrônicos e o boneco Buddi é um robô.O problema todo começa quando um empregado das empresas Kaslan desativa todas as funções de segurança de um dos bonecos produzidos… e esse fofinho vai logo parar nas mão de Andy.

Já vou adiantar aqui que não é preciso conhecer todos os outros filmes da franquia pra entender esse remake, até porque o filme não pode fazer referência às sequências, por razões jurídicas entre estúdios. Mas conhecer o original já te dá uma boa base. 

Na história original o boneco ganha vida quando um serial killer transfere sua alma para o boneco e começa a atuar maldosamente através dele. Aqui o animatrônico aprende maldades vendo filmes de terror e tendo uma obsessão absurda por seu dono Andy.

O filme é repleto de referências à cultura pop, como Leatherface, Robocop, Leprechaum, O Massacre da Serra Elétrica, Jogos Mortais e, para meu deleite e de mais ninguém (pois gosto de umas coisas que ninguém conhece) tem referência ao jogo Five Nights at Freddys. Ele se auto referencia também, tanto no roteiro quando em algumas piadas internas.

Pra quem está reclamando sobre as expressões do novo boneco. Nhé… é até estranho no início, mas o filme brinca sobre esse fator e depois de um tempo você vai relevando.  “Ahhh, mas por que não usaram o rosto que todo mundo conhece?” Por razões legais. Não vou me estender aqui, mas seu bom amigo google te explica rapidinho se tiver interesse 🙂 O boneco precisa ser levemente diferente. Tentem relevar pra que a história te divirta.

Falando em piadas, Brinquedo Assassino 2019 é bem engraçado. Não como na segunda trilogia antiga, ele é sutil e “se leva a sério”, mas contém algumas piadas pontuais.

Outro fator importante do filme é a sanguinolência. É gore pra todo lado, as vezes de forma cômica, como referência e mas sempre como um bom filme de slasher deve ser.

Por último e não menos importante… (O que eu tô falando? Isso é SUPER IMPORTANTE). A voz do boneco é feita por nada mais nada menos do que MARK HAMMIL! Nosso eterno Luke Skywalker. Ele já tem um grande histórico como dublador e sua voz de vilão é sensacional.

Curiosidade: Antes de seu lançamento, foram criados 2 sites, um pro filme e um pra empresa fictícia Kaslan e eles dão dicas do filme. Foi uma forma criativa de mostrar o quão possível é que esse Chucky exista hoje em dia.

Brinquedo Assassino é um bom remake, com ótimas atuações e enredo divertido. Respeita o clássico no qual se baseia e deixa aí em aberto que pode haver uma continuação. E ele te deixa num questionamento eterno sobre a segurança da sua nuvem.

Vale seu ingresso se você é fã. Se não é, vale também! Assiste e conta pra gente o que achou 🙂

Child’s Play (Brinquedo Assassino) estréia dia 22 de agosto nos cinemas nacionais.

6.5

6.5/10

Pros

  • Um Remake Bom!! YAY
  • Ótimo Elenco
  • Mark Hammil está ótimo na dublagem

Cons

  • A utilização de alguns produtos
  • A morte de uma personagem muito fofa

Carioca viciada em séries, filmes do drama ao terror gore. Rabiscadora de livros, nerd, míope e ouvinte de podcast com a cabeça na janela do ônibus.

Comments