Crítica | Caminhos da Memória “Para guardar na mente”

Caminhos da Memória traz Hugh Jackman de volta aos filmes de ação.

A co-criadora da série televisiva Westworld, Lisa Joy, dirigiu e escreveu o longa-metragem distópico de gênero noir com direito a todos os elementos presentes: narração do protagonista, sobretudo, construções do século XX e bares em ambientes ocultos.

Junto com o marido, Jonathan Nolan, na produção, cujo portifólio com o irmão Christopher, especialmente “Amnésia” e “Interestelar”, o roteiro de Joy apresenta elasticidade narrativa e interesse nos labirintos da mente, além de brincar com o tempo e o espaço, as convenções de contar histórias e a consciência humana.

As filmagens externas aconteceram em Atlanta e Nova Orleans e as internas apenas para recriar o escritório/banco financeiro abandonado em um prédio do século XX, assim como a Miami inundada pela água, construções abandonadas pelas especulações imobiliárias e tomada pela pobreza endêmica.

A trilha sonora é imersiva através do uso excessivo do piano para dar uma calmaria nos momentos de relaxamento tanto de público quanto de personagem.

Jackman retorna aos filmes de ação como um detetive noir apaixonado pela Femme Fatale, sua performance se divide entre romance e drama em meio a frases de efeito em sua narração irônica sobre a sua busca incessante assim como os problemas sociais da cidade. Fergusson como a Femme Fatale do filme entrega uma atuação para levantar dúvidas sobre o seu caráter para o público. Newton, mesmo sendo apoio moral e do arco do protagonista, entrega uma personagem forte com dificuldade de encarar seus erros do passado.

Como os clientes de Nick, o filme oscila entre o passado e o presente, que se encaixa em um thriller aninhado na interseção do filme noir e da ficção científica.

Caminhos da Memória

Caminhos da Memória
4 5 0 1
Nick Bannister (Jackman), um investigador particular da mente, navega o mundo sombrio do passado ajudando seus clientes a acessar memórias perdidas. Vivendo nas margens do litoral da Miami submersa, sua vida muda para sempre quando ele aceita uma nova cliente, Mae (Ferguson). Uma questão simples de achados e perdidos se torna uma perigosa obsessão. Ao lutar para descobrir a verdade sobre o desaparecimento de Mae, ele descobre uma conspiração violenta, e terá que responder à pergunta: até onde você iria para manter as pessoas que ama por perto?
Nick Bannister (Jackman), um investigador particular da mente, navega o mundo sombrio do passado ajudando seus clientes a acessar memórias perdidas. Vivendo nas margens do litoral da Miami submersa, sua vida muda para sempre quando ele aceita uma nova cliente, Mae (Ferguson). Uma questão simples de achados e perdidos se torna uma perigosa obsessão. Ao lutar para descobrir a verdade sobre o desaparecimento de Mae, ele descobre uma conspiração violenta, e terá que responder à pergunta: até onde você iria para manter as pessoas que ama por perto?
4,0 rating
4/5
Total Score
Good

No entanto, embora Joy tenha lindamente equipado seu mundo futuro com sinistras cascatas de água e outros floreios apocalípticos – os ricos vivem em terra seca enquanto os pobres lutam para não se afogar, literal e figurativamente – o passado exerce uma influência mais forte sobre ela.

Para quem gosta de um longa-metragem de ação, romance e drama pessoal, o filme é uma boa indicação.

Caminhos da Memória está em exibição nos cinemas.

Total
18
Shares
Related Posts
Total
18
Share