Connect with us

cinema

Crítica – Os Órfãos “A definição de boa ideia com má execução”

Thalita Heiderich

Published

on

Uma professora é chamada para dar aulas particulares a uma menina órfã que mora em uma mansão isolada. Logo o irmão da garota volta para a casa e a professora começa a experienciar situações sobrenaturais. Dirigido por Floria Sigismondi (The Runaways), The Turning é um filme baseado no livro de Henry James chamado A Volta do parafuso.

Kate (Mackenzie Davis) tenta conquistar o afeto dos irmãos Miles (Finn Wolfhard) e Flora (Brooklynn Prince) e se manter sã em meio às situações que presencia.

O filme começa bem, sem entregar muito ao que se propõe e confesso que até o fim do segundo ato eu ainda estava tentando entender o que ele queria dizer com a mensagem. Que mensagem? 

O que se destaca o tempo inteiro é a fotografia, bem voltada pro preto e branco… muitos tons frios e um vermelho forte se destacando em quase todo take, nas cortinas, nas roupas, em detalhes de decoração. Fiquei buscando e tentando entender a razão dessa cor tão forte se destacando e se isso faria diferença pra narrativa. Não fez.

Esse filme pegou bons atores e os fez entregar atuações ruins e vazias. Apresentou uma mansão gigantesca e maravilhosa e eu queria mais era saber a história da casa do que o enredo apresentado.

Talvez a melhor atuação seja a de Barbara Marten, que interpreta a governanta que quase nunca aparece e enquando aparece… é sempre creepy e rancorosa.

As vezes alguns fantasmas aparecem, reflexos nos espelhos, sombras nas paredes e elas não levam a lugar nenhum. Fiquei me perguntando se tentaram fazer a mesma coisa que em A maldição da residência Hill (Série da Netflix), onde alguns fantasmas são colocados só por easter egg. A diferença é que na séria da Netflix o roteiro é bom, então easter eggs funcionam. Já aqui…

Eu não li o conto, então perdão, leitores… falhei na comparação com o filho. Mas como filme em si, é mais um daqueles que vai desaparecer jájá e ninguém vai lembrar. Diz-se isso de filmes estreados em janeiro, são os filmes que precisavam ser lançados pra fazer dinheiro, apenas isso.

No caso de Os Órfãos, além do nome genérico, houve falta de cuidado na finalização. O filme tem 2 finais. Um preguiçoso, mas efetivo… e outro… que nem se deram ao trabalho de fazer. Você sai do cinema se perguntando se é burro e não entendeu o final… ou sai sabendo que o final é que foi burro e as pistas ao longo do filme só se contradizem e o que sobra é um queijo suíço de filme.

Os Órfãos é um filme com ótima premissa… mas que não soube se concluir nem se definir, com fotografia muito bonita e um elenco mal dirigido.Assista por conta e risco, mas nesse tempo de férias… qualquer coisa que você assistir é uma forma de passar o tempo.

Estreou no dia 30 de janeiro. Se assistir, conta pra gente o que achou!

5

5.0/10

Pros

  • Fotografia
  • dá vontade de ler o livro.

Cons

  • Mal atuado
  • final sem pé nem cabeça.

Carioca viciada em séries, filmes do drama ao terror gore. Rabiscadora de livros, nerd, míope e ouvinte de podcast com a cabeça na janela do ônibus.

Advertisement
Comments

cinema

Jovens Bruxas | Nova produção da Blumhouse ganha trailer

Depois de 24 anos, Jovens Bruxas – Nova Irmandade finalmente volta para as telonas do cinema em um remake.

Davi Alencar

Published

on

Depois de 24 anos, Jovens Bruxas – Nova Irmandade finalmente volta para as telonas do cinema em um remake. Nesta terça-feira (29) o filme ganhou título oficial, pôster, trailer e data de estreia.

Com direção e roteiro de Zoe Lister-Jones (Lola Contra o Mundo e Band Aid), a nova versão da Blumhouse para o clássico cult conta a história de um eclético quarteto de adolescentes aspirantes à bruxas que recebem mais do que jamais esperavam ao se aprofundar no uso de seus recém descobertos poderes.

Enquanto o filme de 86 marcou uma geração com atuações de Neve Campbell, Fairuza Balk, Rachel True e Robin Tunney, em 2020 o elenco é estrelado por Cailee Spaeny, Gideon Adlon, Lovie Simone, Zoey Luna e Nicholas Galitzine. Michelle Monaghan e David Duchovny também marcam presença na produção.

O filme é uma produção da Blumhouse Pictures (O Homem Invisível e Fragmentado) junto da Red Wagon e quem está encarregada da distribuição é a Sony Pictures.

O filme estreia 5 de novembro deste ano.

5

5.0/10

Pros

  • Fotografia
  • dá vontade de ler o livro.

Cons

  • Mal atuado
  • final sem pé nem cabeça.
Continue Reading

cinema

Francis And The Godfather | Oscar Isaac e Jake Gyllenhall entram para o elenco

O novo filme sobre os bastidores do clássico irretocável O Poderoso Chefão parece ganhar cada vez mais forma

Davi Alencar

Published

on

O novo filme sobre os bastidores do clássico irretocável O Poderoso Chefão parece ganhar cada vez mais forma. Com Oscar Isaac (Inside Llewyn Davis e Star Wars) cotado para interpretar o diretor Francis Ford Coppola e Jake Gyllenhall (O Abutre, Os Suspeitos, Homem-Aranha: Fora de Casa) o produtor chefe da Paramount da época Robert Evans, os fãs não poderiam estar mais empolgados.

A direção de Francis And The Godfather recaí sobre Barry Levinson (Rain Man) que também desenvolveu o roteiro junto de algumas anotações de Andrew Farotte sobre o clássico de 72.

Ao que tudo indica o longa vai abordar as constante discussões entre Coppola e Evans. Dentre elas estão as polêmicas escalações de Marlon Brando, que não entregava nenhuma grande performance e anos e Al Pacino, ainda desconhecido na época.

“De dentro do caos dessa produção e contra todas as probabilidades, um clássico do cinema nasceu.” Disse Levinson.

“Qualquer filme que Barry Levinson faça sobre qualquer coisa com certeza será interessante e valerá a pena.” Completou o próprio Coppola.

O filme está sendo produzido por Mike Marcus, Doug Mankoff e Andrew Spaulding da Echo Lake Entertainment e Kevin Turen, Jon Levin e Jason Sosnoff da Baltimore Pictures.

Essa é uma proposta que ninguém poderá recusar!

5

5.0/10

Pros

  • Fotografia
  • dá vontade de ler o livro.

Cons

  • Mal atuado
  • final sem pé nem cabeça.
Continue Reading

cinema

Documentário sobre Billie Eilish ganha data de estreia

O tão aguardado documentário sobre a cantora Billie Eilish ganha data de lançamento.

Davi Alencar

Published

on

O tão aguardado documentário sobre a cantora Billie Eilish, Billie Eilish: The World’s a Little Blurry (que em tradução livre seria algo como Billie Eilish: O Mundo é Meio Embaçado) finalmente ganhou uma data de estreia.

Com direção de R.J. Cutler e produção da Interscope Films, Darkroom, This Machine e Lighthouse Managemente & Media, o novo original apple chega nos cinemas e na plataforma de streaming em fevereiro de 2021.

Sendo anunciado pela primeira vez ainda em 2019, o filme  que vai contar um pouco da história de Eilish depois do sucesso aterrador de seu álbum When We Fall Asleep, Where Do We Go? custou a bagatela de 25 milhões de dólares para os cofres da Apple TV+.

Além de Billie, diversas outras cantoras ganharam seu documentário nos últimos anos. Lady Gaga, Beyoncé e Taylor Swift são só alguns dos nomes que evidenciam essa nova tendência.

Fora mês e ano, ainda não foi divulgada nenhuma data específica.

5

5.0/10

Pros

  • Fotografia
  • dá vontade de ler o livro.

Cons

  • Mal atuado
  • final sem pé nem cabeça.
Continue Reading

Parceiros Editorias