Connect with us

cinema

Crítica – Pokémon: Detetive Pikachu “Temos que pagar, vale a pena”

Wendy Stefani

Published

on

O Live-action, detetive Pikachu, tão esperado nesse mês de Maio, vai levar a nostalgia para todos os fãs de Pokémon.

Pokémon já tem uma longa trajetória desde seu surgimento, criado por Satoshi Tajiri e dirigido por Kunihiko Yuyama, o desenho japonês conseguiu conquistar os anos 90, trazendo uma animação carregada de criatividade, apresentando um universo excêntrico com inúmeros Pokémons, de todos os formatos, nomes e tamanhos, que habitavam a terra, juntamente com os seres humanos.

O anime, que têm mais de 20 anos, teve sua inspiração no videojogo criado no Japão que teve o nome “Pocket Monster”,mas conseguiu se expandir além dos games e jogos do Nintendo, inclusive, sua última grande febre foi com o aplicativo Pokémon Go, onde seus usuários conseguiam ter uma maior interação com o universo e ter seus prórpios pokémons virtual.

O filme vai girar em torno dos dois protagonista Tim (Justice Smith) e Pikachu. Ambos estão em busca de respostas pelo desaparecimento do detetive Harry Goodman (Paul Kitson) pai de Tim. Pikachu é um Pokémon decidido a também se tornar um detetive, e juntos eles percorrem as ruas de neon da metrópole de Ryme City, onde humanos e Pokémon vivem em harmonia.

O enredo vai trazer toda essa saudade idealizada para todos que acompanharam e vivenciaram o universo.  Logo no ínicio, ele tenta mostrar essa união pacifica entre os humanos e os Pokémons, além de satisfazer os fãs mostrando o processo de uma caçada Pokémon. Entretanto, os primeiros minutos do filme podem não prender tanto o expectador, mas as cenas começam a melhorar após a entrada triunfal de Pikachu.

Pikachu, um dos mascotes mais famosos, obviamente, tem grande aparição em quase todas as cenas. Seu personagem foi adaptado para uma forma bem humanizada, com chapéu de caçador, humor de comediante, misturado com frases irônicas, e vício em cafeína. Nesse ponto, é positivo informar que não vai faltar humor na história. Por outro lado, algo que pode ser negativo é que, dependendo de quem assiste, em alguns momentos podemos ter a impressão de que Pikachu é somente um ursinho peludo, muita semelhante a aquelas coleções de ursinhos que muitos fãs deveriam ter guardadas, que ganhou vida de uma forma estranha e agora fala sem parar.

Os personagens conseguem levar a história muito bem nas cenas de investigação, tentando mostrar e liberar aquela sensação de detetive, onde ninguém confia em ninguém, mas não deixa de se perguntar: o que aconteceu com Harry?, por que e para quê? As respostas serão mais do que inesperadas.

Algo desfavorável são as cenas emotivas envolvendo os protagonistas, elas podem parecem um pouco forçadas e o nível de interação deles não é o mesmo como nas outras cenas.

O cenário do filme lembra muito as construções de cidades asiáticas, como os comércios onde tem muita informação em uma única cena, semelhantes aos filmes vistos em telonas a fora, além de um misto da Times square (Nova York), com vários letreiros.

Também temos a aparição de inúmeros Pokémons, alguns bem conhecidos e outros não, essas cenas são para fãs mesmo, cheia de nostalgia! Elas conseguem fazer a fusão das lembranças de infância da animação, com o desejo que todos tinham do “como seria se fosse real?” e a ficção. É único.

O enredo é simples e bem elaborado, conseguindo fazer uma boa construção de cenas e reviravoltas durante a história, todo fã precisa assistir!

Detetive Pikachu estreia dia 9 nos cinemas!



Pokémon: Detetive Pikachu

8.7

Nota

8.7/10

Pros

  • A interação dos personagens nas cenas de investigação são muito boas
  • Pikachu mais humanizado e humorado deixa o filme divertido e leve

Cons

  • A interação emocional dos protagonista não foi legal, nem quando envolvia a garota, pra mim não desceu muito
  • Acho que poderia ter sido um enredo sem colocar essa parte de paquera, mesmo que inclusive a garota

Bióloga - UFSCar. 26 anos. Apaixonada pelo mundo Nerd. Se perde em páginas de livros. Busca sempre o empoderamentos das Mulheres, e lutar contra todos tipo de exclusão racial e social.

Advertisement
Comments

cinema

Jim Carrey diz que só faria O Máskara 2 com um diretor “visionário”

Jim Carrey é um dos atores mais queridos dos últimos tempos, muito disso se deve ao seu icônico papel no filme O Mascara.

Edi

Published

on

By

Jim Carrey é um dos atores mais queridos dos últimos tempos, muito disso se deve ao seu icônico papel no filme O Máskara.

Agora, mais recentemente, Jim fará icônico vilão Robotnik no novo filme do Sonic e em uma entrevista ao site ComicBook.com o ator respondeu se voltaria a fazer o papel de Stanley Ipkiss.

“Eu não acho que em termos de sequências e coisas assim, quero dizer, este [ Sonic ] é meio certo para isso, porque ainda não desenvolvemos o personagem [Dr. Eggman] completamente”, admitiu Carrey. ” Acho que o máscara depende de um cineasta. Depende mesmo de um cineasta. Não quero fazer isso apenas para fazer. Mas só faria se fosse um visionário maluco cineasta. Claro.”

O O Máskara foi lançado originalmente nos cinemas há mais de 25 anos e fo o primeiro papel importante da co-estrela Cameron Diaz.

Ele acrescentou: “Gostaria que fosse outro filme de personagem sobre uma pessoa que lida com poder absoluto. Todo o tema O Máskara era que todos dizíamos o que faríamos se tivéssemos poder absoluto, assim como Stanley Ipkiss. Quando obtemos poder absoluto, geralmente recorremos aos esforços mais mesquinhos e isso supera nossa natureza humana de usar o poder para o bem”

O que acha de O Máskara 2?

Pokémon: Detetive Pikachu

8.7

Nota

8.7/10

Pros

  • A interação dos personagens nas cenas de investigação são muito boas
  • Pikachu mais humanizado e humorado deixa o filme divertido e leve

Cons

  • A interação emocional dos protagonista não foi legal, nem quando envolvia a garota, pra mim não desceu muito
  • Acho que poderia ter sido um enredo sem colocar essa parte de paquera, mesmo que inclusive a garota
Continue Reading

#OMG

Crítica: Modo Avião “passa uma mensagem de auto conhecimento “

Modo avião é um filme leve, romântico, engraçado, que tem seus momentos dramáticos, mas que acima de tudo passa uma mensagem de reconexão e auto conhecimento.

Mariana Franco

Published

on

Modo avião estrelado por Larissa Manoela estreou ontem (23) no catálogo da Netflix, o Cabana já assistiu e te conta tudo que você precisa saber antes de assistir.

A trama gira em torno de Ana e seu sério vício em celular e nas redes sociais. A garota é uma famosa Digital Influenciar que trabalha para Carola, dona de uma importante e influente empresa de moda e marketing digital, na qual Ana é a garota propaganda da marca juntamente com seu namorado Gil (Eike Duarte).

Ana posta tudo e cada coisa que ela faz, fala ou come durante 24 horas, 7 dias na semana, e depois da oitava batida de carro no mês por dirigir usando o celular, Ana é obrigada pela justiça a fazer um Detox digital total. Com isso, ela é enviada para a casa de seu avô Germano (Erasmo Carlos).

Um dos grandes pontos positivos do filme é sua ambientação, onde cada aspecto contribui para uma imersão muito bem feita: cenários, trilha sonora repleta de músicas nacionais e figurino deixam bem claro quando Ana está na cidade ou na fazenda. Você mergulha na história e se sente no corpo da protagonista.

Outro ponto bem explorado são os personagens secundários, que tem um bom tempo de tela e rapidamente conseguem o carinho do público, como Pedro (André Luis Franbach) que logo de cara se sente atraído pela garota vinda da cidade grande, ao contrário de sua irmã Júlia, a qual Ana tenta diversas vezes pegar o celular. Temos também Carola (Katiuscia Canoro) que se prova uma grande vilã.

Modo avião é um filme leve, romântico, engraçado, que tem seus momentos dramáticos, mas que acima de tudo passa uma mensagem de reconexão e auto conhecimento, nesses tempos onde nos preocupamos muito com a nossa aparência perante a sociedade quando deveríamos nos preocupar com a maneira que enxergamos a nós mesmos.

Modo Avião está disponível no catálogo da Netflix.

Pokémon: Detetive Pikachu

8.7

Nota

8.7/10

Pros

  • A interação dos personagens nas cenas de investigação são muito boas
  • Pikachu mais humanizado e humorado deixa o filme divertido e leve

Cons

  • A interação emocional dos protagonista não foi legal, nem quando envolvia a garota, pra mim não desceu muito
  • Acho que poderia ter sido um enredo sem colocar essa parte de paquera, mesmo que inclusive a garota
Continue Reading

cinema

DC e Puma criam um novo tênis inspirado no filme Aves de Rapina

Saem as primeiras imagens do novo tênis da Puma inspirado no filme Aves de Rapina.

Isadora Meneses

Published

on

Falta muito pouco para o lançamento do novo filme da DC e Warner, Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa, e as empresas estão investindo fundo na divulgação do longa.

Com isso, a DC fechou uma parceria com a empresa Puma para a criação de um novo tênis edição especial inspirados nos looks da Arlequina em seu novo filme.

Na última quinta-feira, a ilustradora responsável pelo projeto, Jen Bartel, divulgou nas redes sociais as primeiras imagens desse novo produto. Além da caixa completamente estilizada, com o desenho da Margo Robbie como Arlequina, o tênis possui um cadarço inspirado nas faixas de isolamento da polícia, detalhes holográficos, furta cor e um pingente com o desenho do famoso martelo da personagem.

Aves de Rapina: Arlequina e Sua Emancipação Fantabulosa chega aos cinemas no dia 6 de fevereiro.

Pokémon: Detetive Pikachu

8.7

Nota

8.7/10

Pros

  • A interação dos personagens nas cenas de investigação são muito boas
  • Pikachu mais humanizado e humorado deixa o filme divertido e leve

Cons

  • A interação emocional dos protagonista não foi legal, nem quando envolvia a garota, pra mim não desceu muito
  • Acho que poderia ter sido um enredo sem colocar essa parte de paquera, mesmo que inclusive a garota
Continue Reading

Parceiros Editorias

error: Conteúdo Protegido