Connect with us

HQs

Demolidor- crítica sem spoillers (importantes)

Agustin Castro

Published

on

Demolidor estreou no dia 10/04/2015 na Netflix e foi a série mais assistida ( na verdade pirateada) nos últimos tempos. E não é pra menos. A série vem no estilo Netflix, todos os episódios da temporada de uma vez pra assistir. tem gente que curte e inicia a maratona. Eu já curto assistir o episódio e mastigar , vendo um pouco de cada vez. Ver tudo numa lapada só, te faz esquecer ou deixar passar batido alguns pontos interessantes.

Demolidor é a série que coloca a Marvel de vez no topo da preferência por séries, uma vez que Agents of SHIELD não chega a convencer tanto ( seus melhores episódios são os easter-eggs com os filmes). Demolidor se passa no mesmo universo dos Vingadores, mas você nem se prende a esse detalhe, a história por si só já te faz deixar qualquer referência aos Vingadores senão de lado,pelo menos sem achar que é a coisa mais importante do episódio.

Ao assistir a primeira temporada completa constatei dois fatos interessantes:

1º) É uma adaptação da hq, mas não vai ficar presa ao que vemos nos quadrinhos. Algumas coisas podem ou não acontecer, inclusive neste mundo de Demolidor, nenhum personagem é vaca-sagrada, pode acontecer algo a qualquer momento. Isso é perfeito e mostra que quando bem feito, a galera não liga para fidelidade ( graças a Odin).

2º) A série do demolidor já começa a se ligar as futuras séries do Netflix como a do Punho de Ferro.

O Demolidor é muito humano e briga como a gente briga, ou seja apanha também. Ora ele bate, ora apanha. Muito diferente de uniformizados que derrubam só com o deslocamento do ar, o Demolidor tem esse lado mais “humano” o que o deixa um personagem mais palpável.

O dois primeiros episódios tem cenas finais que te deixam achando a série tão foda que você vai dar o play várias vezes e rever, rever e rever tais cenas. e muitas outras na série te farão agir assim.

Os sentidos aprimorados estão lá, mas o radar de Matt Murdock fica subentendido, sendo resultado de uma fusão dos sentidos ampliados.

Matt Murdock é o advogado cego da Cozinha do Inferno ( Hell’s Kitchen) que, em sociedade com seu amigo Foggy Nelson, abre um escritório de advocacia, a Nelson & Murdock. Logo eles conhecem a Karen Page, uma funcionária de uma empresa que quer mata-la por talvez saber demais. Pronto, a partir daí o que se vê é uma rede do crime muito ampla e da qual quase todo mundo faz parte e não dá pra confiar em ninguém.

O vilão principal, o Rei do Crime, custa a aparecer e quando aparece conquista o telespectador de cara. As vezes odiável, as vezes com traços de humanidade que até te fazem querer acreditar nas intenções dele. Fato é que esse Rei do Crime só pôde ser tão bem desenvolvido por que séries são o espaço adequado para desenvolver melhor os personagens, sejam mocinhos ou bandidos. Espetacular a atuação de Vincent D’onofrio.

Essa primeira temporada é a formação do vigilante Demolidor, como ele vai deixando de ser um simples vigilante mascarado até estilizar um uniforme, um nome de batalha e se ver como um herói.Um herói urbano no MCU.

A personagem mais chata da série é sem dúvida a Karen Page, mas até isso é justificável, pois ela representa a sede de justiça que falta na cidade e se ficar acomodado, o sistema te engole. Ela é meio que o grito dos oprimidos e tem segredos a esconder.

Diversos personagens estão na HQ, mesmo que não necessariamente na do Demolidor. Seria motivo suficiente para detonar uma série, mas como Demolidor é tão bem produzido,os personagens estão tão  bem trabalhados que  não há problemas em romper com o que conhecemos nas hqs. Lembrem-se que é uma adaptação!!!

Conversando com o público que assistiu, vários personagens cativaram o gosto dos fãs. Uns adoraram Foggy, outros  o Ben Urich, alguns curtiram muito o estilo do Wesley( amigo e segunda pessoa do Rei do Crime). No meu caso, eu curti pra caramba o humor ácido de Leland Owsley, pense num cara comédia. Sempre com o comentário certo.

Então vamos falar dos personagens mais secundários:

1º) O Tucão.

Pouca gente cita esse marginalzinho que ficou até mais assustador na série, mas mata de rir de tão zé ruela que é nas hqs. A série optou por um Tucão menos cômico.

2º) Claire

Não sei se ela seria a versão Marvel da Enfermeira Noturna. Talvez quando sair a série do Luke Cage, pois já existe na Marvel uma personagem com esse nome só que ao invés de enfermeira é médica e também interesse amoroso do Luke ( mas e a Jessica Jones?). E isso é o bom da Netflix. os personagens conhecidos são ao mesmo tempo novidade para quem já os conhece. Parei de achar que Jessica Jones vai casar com Luke Cage e que os quadrinhos serão obedecidos.

3º) Wesley

Elegante e astuto. Personagem com muito potencial, presente nos quadrinhos e que teve ótimas participações na série. Wesley sempre era sinônimo de tramóia no ar e lealdade ao Rei, seu único amigo.

Na realidade se você parar pra analisar a série do Demolidor, sem Wesley, o Rei é só um marginal qualquer. Wesley foi quem manteve os pratos girando nesse império de Fisk e apagando todas as provas. Afinal quando Wesley dá um tempo na série o Matt Murdock passa a ter uma certa vantagem.

Pois é, quem sabe Wesley não seja o principal vilão da série?

4º) Leland Owsley

Nas hqs ele é o vilão Coruja, um contador que parte pro mundo do crime. Aqui não rola isso. Ele nem voa. E é um senhorzinho que tem comentários perfeitos!

 Nos quadrinhos este é Owsley que vira O Coruja:

5º) Nobu

Ele vai proporcionar a melhor luta dessa primeira temporada. Aí sim,e como o Matt já apanha pra marginal, imagina prum cara metido a ninja?

6º) Gao

Ela nem é tão surpresa, mas a quadrilha dela sim, já que a heroína que o grupo dela comercializa, traz a marca do Punho de Ferro. E esse é o lado mais místico dos heróis Marvel/Netflix. E  Gao ainda vai dar o que falar.

7º) Foggy Nelson

O Foggy nas hqs é o melhor coadjuvante de Daredevil, na série ele repete a proeza sendo o mais humanos dos personagens. E é pegador, pegando a mulher mais bonita da série. Aeee Foggynho!!!

8º) Ben Urich

O repórter amigão de Matt Murdock tá lá ajudando a desmascarar Wilson Fisk. Ben de todos os personagens, acho que ficou nessa temporada o mais subaproveitado. Interessante suas cenas no jornal aonde vemos diversas referências a Batalha de Nova Iorque e ao Terror no Harlem.

9º) Stick

Sim, o mestre do Demolidor, o ninja vestido de faxineiro está na série em um episódio que relembra a origem do lado mais ninja  Demolidor. Episódios de flashback são sacais as vezes, mas todos os dessa série são bem encaixados e justificados.

10º)Vladimir

Um ex-Power Ranger na série do Demolidor. Nikolai Nikolaeff interpreta Vladimir, um mafioso russo ligado ao Rei do Crime. O personagem tem lá sua importância na série, mas coloquei ele aqui na matéria mais pelo fato dele ter feito Power Rangers- Jungle Fury.

11º) Melvin Potter

Muito forte e mentalmente instável. este é Melvin Potter, o “costureiro” de Wilson Fisk que cria ternos revestidos com cota de malha para proteger Fisk. Ele é quem cria o uniforme do Demolidor na série, e nos quadrinhos ele se torna o vilão Gladiador.

12º) Padre Lanton

Este personagem existe nas hqs mas somente na revista dos Fugitivos, heróis adolescentes que descobrem que os pais são vilões e fogem para se tornarem heróis! A presença dele na série serve para reforçar ao espectador da formação católica de Matt e como ele lida com  sua fé e seu desejo por justiça (vale lembrar que nos EUA os católicos são mais rígidos em seguir os mandamentos, assim como os evangélicos são aqui).

13º) Brett Mahoney 

O policial sério amigo de Matt e Foggy,  aparece em edições variadas da Marvel, não sendo personagem específico do Demolidor.

Cabanóides que curtiram essa matéria, vejam em breve mais matérias sobre o Demolidor aqui, na Cabana do Leitor!

Físico, nerd, quadrinheiro e dono do Enquadrinhados - enquadrinhados.blogspot.com.brSua frase preferida é “Só pode haver um”. Qualquer dia desses ele perde a cabeça.

Advertisement
Comments

HQs

Prévia da HQ do filho de Stephen King é revelada

Avatar

Published

on

DC Comics revelou a primeira prévia da próxima HQ de terror do selo Hill House Comics, o Plunge; com a equipe criativa composta por Joe Hill (filho do Stephen King), Stuart Immonen (Superman: Identidade Secreta), Dave Stewart e Deron Bennett.

O comunicado oficial segue abaixo:

“Após um tsunami devastador, um navio de exploração conhecido como Derleth começa a enviar um sinal de socorro automatizado de um atol remoto no Estreito de Bering. O único problema é que o Derleth está desaparecido há 40 anos.

O biólogo marinho Moriah Lamb se junta à equipe Carpenter Salvage para recuperar os mortos de Derleth… Apenas para descobrir que nesta parte remota do Círculo Polar Ártico os mortos têm muito a dizer aos vivos…

Começam aqui o mergulho de Joe Hill, Stuart Immonen, Dave Stewart e Deron Bennett, apresentando capas de Jeremy Wilson e capas variantes de Gary Frank!”

Capa de Jeremy Wilson.

Plunge #1 tem data de lançamento confirmada para o dia 19 de fevereiro.

Continue Reading

HQs

História do Doomsday Clock é reescrita em nova HQ da Mulher Maravilha

Avatar

Published

on

A matéria contém spoiler da HQ Mulher Maravilha #750

Como anunciado anteriormente, a Mulher Maravilha é agora o primeiro super-herói da primeira geração, na linha do tempo revisada do Universo DC.

Durante a Feira Mundial de 1939, em Nova York, a Mulher Maravilha salvou o presidente dos EUA, Franklin Delano Roosevelt, de um assassino. A estréia da heroína foi a inspiração que levou Alan Scott a usar seu anel para se tornar o primeiro Lanterna Verde e formar a Sociedade da Justiça. O problema é que essa versão dos eventos bate de frente com os acontecimentos em Doomsday Clock.

Primeiramente, em Doomsday Clock, o Superman é estabelecido como o primeiro super-herói em 1938. Porém, as inúmeras redefinições da linha do tempo fizeram com que a chegada do Superman à Terra fosse um pouco mais tarde.

Ainda assim, mesmo sem o Super-Homem, Alan Scott se tornou o Lanterna Verde em 1940 e formou a Sociedade da Justiça com outros heróis da primeira geração como Flash de Jay Garrick. Já em Doomsday Clock, o Doutor Manhattan impede Scott de encontrar seu Lanterna Verde, eliminando assim a primeira geração de heróis da DC, estabelecendo que o herói é uma figura crucial para unir o grupo.

Na décima edição do Doomsday Clock, a Sociedade da Justiça tira uma foto do grupo em sua primeira reunião em 1940, no qual Alan Scott afirma que todos os membros da equipe estão presentes, onde não está a Mulher Maravilha.

Com a redefinição de que a Mulher Maravilha estreia em 1939 (Mulher Maravilha #750), a heroína deveria estar na foto que foi tirada, já que ela, por ser a inspiração do Alan Scott e outros heróis, teria sido convidada a participar da equipe.

Espera-se que nas próximas edições seja esclarecido essa diferença de cronologia na linha do tempo.

Mulher Maravinha #751 tem data de lançamento marcada para o dia 12 de fevereiro.

Continue Reading

HQs

Perigoso mutante nível ômega se tornou rei (SPOILER)

Avatar

Published

on

A matéria contém spoilers da HQ Excalibur #6

O enredo de Excalibur se concentra no resgate do Brian Braddock (Capitão Britânia) das garras da bruxa Morgana La Fey no reino mágico do Outro Mundo. Betsy Braddock (Psylocke), a nova Capitã Britânia, e sua equipe de mutantes, incluindo Jubileu, Vampira, Gambit e Rictor, lutam contra as forças de Morgan, à medida que o plano do Apocalipse começa a se revelar.

Mesmo com tudo isso acontecendo, a edição número 6 surpreendeu não só os fãs como também o próprio Reino de Avalon, quando, o mutante nível ômega, Jamie Braddock é coroado o novo rei do Outro Mundo.

Para quem não sabe, Jamie Braddock é o irmão mais velho do Capitão Britânia e da Psylocke. Conhecido por sua grande instabilidade mental, Jamie tem como poder nível ômega a manipulação da realidade quântica, o que o torna perigoso, já que o mesmo acredita viver em um sonho.

Como se nada pudesse piorar, Jamie tem uma “parceria” com Apocalipse, o que com certeza terá consequências maciças.

O Outro Mundo é o reflexo mágico das Ilhas Britânicas. Um reino que existe em uma dimensão a parte do Universo Marvel principal, sendo o lar de toda a magia, sede do Corpo da Grã-Bretanha e do Reino de Avalon.

Excalibur #6, de Tini Howard e Marcus To, já está à venda nos Estados Unidos. Até o momento desta matéria, ainda não há previsão para a versão traduzida.

Continue Reading

Parceiros Editorias

error: Conteúdo Protegido