Connect with us

Livros

Especial Irmandade da Adaga Negra: Nossos Livros Preferidos!

Avatar

Published

on

Para dar continuidade ao nosso especial dessa semana, eu (Letícia) e a Francine hoje vamos abrir nossas mentes e corações para vocês queridíssimos e contar tudo o que sentimos e o porque de amarmos a série mas, em especial, aquele livro da série que mexeu conosco. Para você que já conhece a série, seja bem-vindo, sente-se, relaxe e venha relembrar com a gente. Para você que ainda não leu nenhum, ou está no meio da série, CUIDADO. Este post pode conter spoilers do destino de um dos seus personagens favoritos.

Começaremos por um dos livros mais sofridos, e o que mostra mais confusão e pressão social do mundo Vampiro; principalmente, da alta classe de figurões chamada Glymera, influenciando a vida de Blaylock e Quinn em Amante Finalmente.

Desde a primeira vez em que apareceram, nos primeiros livros da série, como dois membros de famílias da Glymera que foram admitidos no programa de treinamento da Irmandade, Blaylock e Quinn se tornaram muito amigos do protegido da Irmandade e irmão da rainha da raça, John Matthew. Bem rápido ao longo dos livros os três começam a finalmente entenderem o que seus corpos pós-transição podem fazer, e os problemas chegam ao trio tão rápido, que rapidamente Quinn se vê expulso de casa, surrado até quase a morte, nomeado como Ahstrux Nohtrum (uma espécie de guarda-costas de John) e depois “liberado do cargo” muito rapidamente, o que claramente afeta seu comportamento normal e irrita Blaylock, que se sente incomodado ao ver Quinn dormir com literalmente qualquer ser vivo que se mexa, seja homem ou mulher, mas não ligar para suas investidas tímidas.

Como J R Ward adora fazer, em livros anteriores já havíamos tido vislumbres de como seria difícil a vida de Blaylock por ser obrigado a observar seu amado se autodestruir, e de como Quinn se odiava tanto por levar em consideração a opinião de todos ao seu redor. O que Quinn não entende é que são justamente seus olhos de cores diferentes, que o tornam tão odiado pela Glymera, que fizeram com que Blay se atraísse afeiçoasse a ele.

Ao perceber o quanto sente falta do amigo, e o quanto daquele amor que ele achava que era amizade na verdade era amor, Quinn já havia perdido Blay para seu próprio primo Saxton; e teve sofre com a ideia de não ser merecedor do amor que poderia ter tido com o ruivo.

Tudo se torna apenas mais complicado ao Quinn auxiliar a Escolhida Layla em seu cio. Layla fica grávida, e os dois se vêem finalmente completos por terem algo somente seu no mundo, mas isto apenas aprofunda mais o problema entre Quinn e Blaylock, até o momento em que todo o peso emocional que Quinn carrega contra si mesmo e o sofrimento por ter perdido Blay se tornam pesados demais, e depois de muito lutar contra, o ruivo se vê finalmente se entregando ao seu amante.

O livro é maravilhoso por tratar de todos os tipos de preconceitos presentes na sociedade vampírica(e obviamente também na nossa sociedade atual). Para os vampiros, “não ser perfeitamente saudável” e ter um defeito nos olhos como Quinn tem é visível e abominável, o que o fez sofrer e se sentir indigno desde sempre. Quinn se vê preso aos esteriótipos e acorrentado à sua diferença, sempre querendo se proteger, porém o amor vence seu medo e ele finalmente consegue se unir à quem realmente ama.

 

Bem agora chegou a minha vez de falar sobre o meu livro favorito da série; uma coisa que por sinal é muito difícil de fazer, ainda mais porque cada um dos personagens tem a sua particularidade. Mas o Zsadist, do livro Amante Desperto, foi para mim o personagem que mais me envolveu.

Zsadist é um homem temido por todos à sua volta, inclusive pelos seus Irmãos da Irmandade.

No passado Z foi abusado sexualmente e, além disso, foi escravo de sangue, vivendo a vida de tal modo que ele achava que não era digno de ter alguém ao seu lado. Ao conhecer Bella, ele tenta de todas as formas ficar longe dela, mas era tarde demais, Bella estava decidida a conquistar o coração daquele homem que tinha muitas cicatrizes no seu corpo e na sua alma.

Acho que por ser um personagem que teve uma história muito complicada no passado, Z fez eu me encantar por ele. A forma como a Ward fez da Bella uma personagem com uma personalidade muito forte foi um fator importantíssimo para que eu escolhesse este livro como um dos meus favoritos. O amor dela por Z, mesmo sabendo de todo o seu passado, foi lindo de se ler e viver em cada página.

A cena em que Zsadist consegue romper suas inseguranças pelo fato de ter sido abusado e desfrutar de todo amor e carinho que Bella tem por ele, foi uma das cenas que mais gostei nesse livro. Como sempre a Ward conseguiu descrever uma situação que se tem uma carga muito pesada, a tornando algo romântico e sucinto.

De forma geral, todos os livros dessa série são especiais para mim, cada personagem com a sua essência,  uma história diferente a ser contada e o mundo criado por J.R. Ward que torna todos eles sensacionais.

Comments