Joel Kinnaman 2

EXCLUSIVO | Entrevista com Joel Kinnaman, o Rick Flag do filme O Esquadrão Suicida

Joel Kinnaman falou sobre como foi trabalhar com o diretor James Gunn e como ele ajudou John Cena em uma das melhores cenas do filme O Esquadrão Suicida.

Tradução de Beatriz Souza.

Joel Kinnaman é o coronel Rick Flag, um dos personagens mais carismáticos do segundo filme do O Esquadrão Suicida.

Enquanto no primeiro filme o personagem é muito mais turrão, neste ele está mais à vontade em fazer parte do famoso grupo, longa com roteiro e direção incrível de James Gunn.

Agora em uma entrevista que o Cabana do Leitor traz com exclusividade com Kinnaman vamos saber para o ator como foi fazer parte do filme mais maluco da temporada.

Cabana: Você lia histórias em quadrinhos quando era criança?

Joel Kinnaman: Sim. Eu li Batman e Superman e adorei O Fantasma por algum motivo. Aquilo foi um grande gibi na minha casa.

Cabana: E sobre o que o Coronel Rick Flag o interessou pela primeira vez quando você começou a assumir esse papel?

Joel Kinnaman: Originalmente, era apenas um projeto muito legal de se fazer parte, mas eu não sabia muito sobre ele. Eu não tinha ouvido falar do Esquadrão Suicida antes de entrar na primeira versão do filme. Então, desta vez, estávamos todos tão felizes por termos James Gunn para embarcar; todo mundo de repente estava realmente animado. Quando li seu roteiro, realmente tive a sensação de que era o que todos esperavam que o Esquadrão Suicida fosse. Era um filme caótico, violento, engraçado, bobo, grande, mas ao mesmo tempo tinha momentos de ternura e intimidade entre os personagens. Era louco e bobo, mas também tinha alma.

O esquadrao suicida 2

Cabana: Descreva o trabalho com James Gunn. Como foi aquela experiência?

Joel Kinnaman: É muito divertido e fácil. Ele tem uma visão muito clara. Todos que estavam trabalhando neste filme sabiam como ele seria. Todo mundo tinha o roteiro, não havia discussão sobre o roteiro; este é o script que todos queriam fazer.

Como pessoa, James é um cara muito gentil. Todo esse prestígio que ele construiu, e toda essa confiança e poder que ele conquistou por causa de seu sucesso, ele apenas usa tudo isso para o bem, para criar um ambiente acolhedor no set. A equipe estava feliz. Todos que estavam trabalhando estavam felizes. É apenas sua clareza. Tivemos tempo para brincar com as cenas e ele está aberto para as pessoas improvisarem. Ele lança novas falas … é realmente um processo lúdico. Acho que tudo isso vem de ele saber exatamente o que quer do filme, o que quer de cada dia, o que quer de cada cena. Ele sabe que vai conseguir o que precisa, e isso lhe dá a liberdade de brincar e ver se algo novo surge.

Cabana: Todos com quem conversei descreveram o ambiente no set como colaborativo e familiar. Alguma memória se destaca?

Joel Kinnaman: Existem tantos. Bastante. É difícil identificar algum em particular.

O Esquadrao Suicida 2 iuhfiuwnrifv

Cabana: Como foi trabalhar com tantas pessoas diferentes de diferentes origens, diferentes nacionalidades? É um conjunto muito diversificado.

Joel Kinnaman: Essa é a parte divertida de fazer um grande filme como este. São apenas pessoas vindo de todos os lugares. A maioria absoluta são pessoas que James escalou. Ele escolhe a dedo as pessoas, muitos caras realmente engraçados. Ele tem esse conjunto consigo, de certa forma, de pessoas com quem trabalhou em filmes anteriores. Acho que é sempre uma prova do caráter de alguém, quando eles constroem uma família ao longo de sua carreira, e essa família continua a trabalhar junta. Você vê isso em seus filmes. Há muitas pessoas que conheci neste filme que agora são amigos queridos.

Cabana: O que você espera que o público tire desse filme?

Joel Kinnaman: Quando eu vi, fiquei realmente comovido, porque pensei: “Esta será uma experiência muito poderosa para as pessoas depois de ficarem trancadas por mais de um ano.” Este filme, eu acho, tem o potencial de realmente dar às pessoas aquela experiência comunal e coletiva de cinema da qual fomos roubados no ano passado. Acho que vai fazer barulho nesses cinemas. Acho que as pessoas vão rir e fazer “ooh” e “aah”. Mal posso esperar que as pessoas vejam isso juntas.

Esse é um dos motivos pelos quais eu queria fazer isso como profissão, porque amo essas experiências. Adoro sentir essa concentração coletiva enquanto assisto uma história. Você está sentado com esses estranhos, mas está tendo essa experiência coletiva. Acho que este filme, mais do que qualquer outro que eu possa imaginar, vai realmente oferecer isso. Este é um filme que você quer ver no cinema porque vai ser muito mais divertido. Acho que as pessoas vão ver várias vezes também.

Cabana: Última pergunta antes de ir: você tem essa ótima cena de luta ao lado de John Cena. Como você abordou isso, trabalhando com alguém como John Cena, que meio que fez seu nome lutando?

Joel Kinnaman: Comecei como mentor. É uma luta de filmes, então é muito diferente. Percebi que John estava um pouco nervoso. Eu o acompanhei durante toda a experiência. Eu disse a ele: “Ligue para mim se tiver alguma preocupação ou pensamento”, e dei a ele meu número de telefone para que ele pudesse me ligar e conversar sobre o assunto. Ele fez isso, muitas vezes. [RISOS] Eu meio que o treinei durante toda a experiência, e acho que foi um grande aprendizado para John. Eu estava muito feliz por poder estar lá para um colega ator que é um pouco menos experiente. Alguém que precisava daquela orientação que eu poderia fornecer.

O Esquadrao Suicida 2w rnj
Joel Kinnaman e John Cena

Cabana: [RISOS] é uma ótima cena! Obrigado por falar conosco.

Joel Kinnaman: Claro, obrigado.

O Esquadrão Suicida está em exibição nos cinemas.

Total
16
Shares
Related Posts
Total
16
Share