Connect with us

cinema

MAD MAX Estrada da Fúria- crítica com spoillers

Agustin Castro

Published

on

LOJA DC 4

MAD MAX tá aí há quase um mês nos cinemas e praticamente caiu no gosto dos fãs de filmes de ação. Um filme sem expectativas, com pouca divulgação em relação aos grande blockbusters esperados para 2015 ( sim, todo mundo só estava olhando para Terminator, Vingadores Era de Ultron e claro, Star WarsO Despertar da Força). mas e aí, vem a questão. O filme é realmente tudo isso mesmo?

Já respondo: é sim.

Comentando sobre o filme (e deixei para fazer mais tarde, depois que todo mundo já tivesse visto. Para que eu não me segurasse quanto aos spoillers), digo que sim, o filme é tudo isso mesmo. Com certeza o maior e melhor filme de ação já feito desbancando monstros como Mercenários, Rambo dentre outros que sempre estão no top da lista de filmes de ação. MAD MAX-Estrada da Fúria é um filme de ação alucinante baseado no estilo que deixou a franquia conhecida, mostrado desde o dois que realmente foi o filme que consolidou a versão de futuro pós-apocalíptico que o filme quisera insinuar no início, mas que não era tão marcante.

No novo filme, que talvez deva se situar entre o primeiro e segundo filmes, MAX é um cara atormentado tanto pela morte de seus parentes quanto de outras pessoas que ele não conseguiu salvar, inclusive uma menininha que vive aparecendo pra ele (e que eu achei foi bom ele não te-la salvo, ooo personagem chata do cão). Nisso, vemos um ataque dos War Boys a Max Rockatansky que o capturam e tatuam em suas costas algumas frases que não passarão despercebidas por fãs de MAD MAX.

Daí, como de costume Max é jogado no meio de um conflito que envolve a Imperatriz Furiosa (Charlize Theron), que se rebelou contra o tirano Immortan Joe (o Toecutter do filme original) e a perseguição que se inicia.

Ponto forte no filme; mesmo o segundo filme de Max não conseguiu ser tão abrangente em mostrar como a sociedade se encontrava sob diversos pontos de vista nesta realidade.

O Immortan Joe criou uma sociedade na Cidadela em que ele é o senhor absoluto e é venerado como um deus. Para isso sua força vemd e garotos que ele cria desde cedo como os War Boys que acreditam na divindade de Immortan e estão prontos para morrerem em nome do seu senhor, que lhes abrirá os portões para Valhalla. “Eu vivo. Eu morro. Eu vivo de novo!”. Os tais garotos assim como muitos desse mundo tem deficiências, imperfeições geradas pela radiação. E veneram as máquinas, tanto que os volantes são deixados em pilhas e ao pegarem os volantes, fazem atos de respeito religioso. Uma expressão para o fundamentalismo islâmico para quem não associou a idéia.

Este mundo reforça ainda a importância de manter seus guerreiros bem despertos e alucinados. Eles usam um caminhão cheio de equipamentos de som e tambores para com seu guitarrista  um garoto cego que usa a pele de sua mãe como máscara) para entoar sons intensos que age conjunto com tambores de guerra, algo mostrado no segundo filme, aonde temos um aiatolá do rockn’roll.

As mulheres sadias são tratadas por Immortan como  reprodutoras de seus jovens senhores da guerra. Apenas ele as toca e a Imperatriz Furiosa, uma de suas subordinadas, parte levando elas consigo já que acredita que elas não são objetos de Joe. Nesta sociedade, ele controla o acesso a um grande quantidade de água e a um banco de leite que, como não existem mais vacas, o leite é oriundo de mulheres mesmo.

Max cai no meio dessa perseguição, pois como um doador universal sua função é de servir de “bolsa de sangue” para Nux, um jovem kamicrazy que deseja agradar seu senhor e morrer a todo custo. Por falar nisso, este é um dos melhores personagens do filme. Para quem não o reconheceu , ele é Nicholas Hoult, o Hank Mccoy/Fera dos novos filmes dos X-Men e também o zumbi de Meu Namorado é Um Zumbi.

Um ritmo frenético de corridas se desenrola, muito mais gangues são mostradas como os espinhentos e os motoqueiros do deserto, além de aliados como os da fazenda gasolina ou a Cidade da Bala.

Poucos momentos de pausa para respirar, exceto quando a Furiosa chega a seu destino e vê o que sua viagem foi em vão. Impossível não se emocionar. falando em Furiosa, sim é verdade que ela comanda o filme, mas não vejam isso como um contra para o Tom Hardy. Mad Max mesmo interpretado pelo Mel Gibson é um personagem calado, o fato é que neste filme temos personagens como Furiosa e Nux. que são mais desenvolvidos do que os personagens de filmes anteriores.

Com certeza é o melhor filme de ação feito nos últimos anos e o melhor das telonas até o presente momento. a história prende o espectador, os personagens envolvem e a menos que você tenha mimimi contra violência, o filme diverte bastante. E tem é claro, a trilha sonora.

Sim, falo sobre a trilha sonora em um parágrafo a parte, pois se trata de um show a parte. Uma das melhores trilhas sonoras executadas no cinema, sabendo encaixar-se nos momentos certos da trama, além de tudo temos The Doof Warrior(ou Coma Doofy), um personagem que toca uma guitarra que cospe fogo e deixa tudo mais  alucinado ainda, interagindo coma trilha que já estamos escutando. O guitarrista é outro personagem icônico mas que não tem uma só fala no filme todo.

O filme é nota 10 com louvor. George Miller soube aproveitar o melhor da ação, usou pouco CG (só quando necessário, claro) e criou uma história que não é só violência e sim, um conto de esperança, liberdade e redenção sem ser piegas ou chato.

Como todo filme de Mad Max, após a confusão se resolver, ele segue de novo o seu rumo e tudo fica bem. E isso é o ponto chave do qual vou falar agora. o filme levantou questões e certamente deu ganchos para o segundo filme, fora de que não se prendeu a deixar algo para um próximo filme. George Miller em 2015 expandiu o universo de MAD MAX e assim o que vier de agora em diante é lucro. E como o personagem não tem uma cronologia certa, é só inserir histórias em qualquer fase da vida do personagem e tudo está resolvido. Eu gostaria de saber ou confirmar que Max usou vários carros V8 e não apenas os que acabaram sendo destruídos e por que não outros carros?

MAD MAX Estrada da Fúria é exemplo de bom filme com uma ampla divulgação por parte dos fãs na internet, no trabalho e em diversos locais. Como antigamente. E cumpre o que promete. E que venha mais ação desse mundo que de otimista não tem nada além dos últimos dois minutos, mas mesmo assim melancólico.

Que o futuro seja apocalíptico mas com mais filmes de Max!!!

Agustin Castro
Físico, nerd, quadrinheiro e dono do Enquadrinhados - enquadrinhados.blogspot.com.br

Sua frase preferida é “Só pode haver um”. Qualquer dia desses ele perde a cabeça.
Comments