Connect with us

e-Sports

Metal League 6 de Heavy Metal Machines começa neste sábado

Torneio online do jogo brasileiro será realizado em parceria com a ESL Play e interessados do mundo todo poderão se inscrever gratuitamente.

Edi

Published

on

 Junto com o início de cada temporada do Metal Pass, o sistema de progressão de Heavy Metal Machines (HMM), a Hoplon promove uma nova edição do Metal League, o torneio online do MOBA brasileiro de batalha de carros free-to-play. A competição internacional é realizada em parceria com a ESL Play a partir de diferentes servidores do jogo, e o Metal League 6, que começa neste sábado, 26 de outubro, será disputado em servidor europeu com times de qualquer parte do mundo, que podem se inscrever gratuitamente e disputar um prêmio total de € 5 mil. 

Para participar, basta que o time interessado entre na fila competitiva do Metal League dentro do próprio jogo no dia e horário da competição.

“Para o Metal League 6 trouxemos como uma das principais novidades a redução do tempo de disputa da fase classificatória, que passou de seis para quatro horas, seguindo feedbacks que recebemos da comunidade. Esperamos que a mudança torne as partidas ainda mais empolgantes e disputadas”, explica Leonardo “Chancellor” Lorenzoni, community manager da Hoplon. “A primeira classificatória vai acontecer neste sábado, das 13h às 17h, e os oito times que tiveram maior pontuação garantem lugar nos playoffs”.

Durante as classificatórias, que vão até 30 de novembro, o Metal League 6 terá confrontos semanais, sempre aos sábados, e graças a um sistema de pontuação inteligente novos times podem entrar a qualquer momento com chances reais de irem às finais.

O playoff final, no dia 7 de dezembro, contará com as oito melhores equipes das classificatórias e será jogado em partidas melhor de 3. O time campeão levará para casa € 2 mil, enquanto o segundo colocado receberá € 1,5 mil, o terceiro € 1 mil e o quarto € 500.

Jogadores de Heavy Metal Machines que ainda não fazem parte de nenhum time podem entrar no canal oficial de HMM no Discord para encontrar uma equipe: http://bit.ly/2Q067ai.

Eleito melhor novo MOBA de 2018 pelo site norte-americano MMOHuts, Heavy Metal Machines pode ser baixado de graça em aqui.

Comments

e-Sports

Esports Awards | League of Legends é premiado como melhor jogo do ano

Riot Games também conquistou o título de Publisher do ano e ainda G2 Esports conquistou o título de melhor time do ano.

Alexia Menezes

Published

on

League of Legends comemorou seus 10 anos com muitas premiações, além do carinho dos seus jogadores.

O Esports Awards na edição deste ano (2019), elege os melhores do ano em esports de diversas categorias. A desenvolvedora não ficou de fora e ganhou não só como Melhor Jogo de Esports do Ano, mas também com sua desenvolvedora Riot Games, conquistando o título de Publisher do ano e ainda como time de Esports do ano, com a G2.

O evento anual é considerado o “Oscar dos jogos eletrônicos”.

Já Nyvi Estephan, ficou na terceira colocação da categoria Melhor Apresentador. Nyvi concorreu ao prêmio ao lado de nomes como Alex “Goldenboy” Mendez, vencedor da categoria, e Eefje “Sjokz” Depoortere. Na categoria Melhor Streamer, Alanzoka ficou atrás de Dr Disrespect e Jack “CouRage” Dunlop.

Confira abaixo os vencedores de todas as categorias:

  • Publisher do ano: Riot Games
  • Cinegrafista do ano: Logan Dodson
  • Agência de Apoio do ano: Loaded
  • Caster do ano: Henry “HenryG” Greer (CS:GO)
  • Parceiro Comercial do ano: HyperX
  • Jogador Revelação no Console: Chris “Simp” Lehr (Call of Duty)
  • Jogador Revelação no PC: Kyle “Bugha” Giersdorf (Fortnite)
  • Jornalista do ano: Richard Lewis
  • Fornecedor de Hardware do ano: Intel
  • Técnico do ano: Danny “zonic” Sørensen (CS:GO)
  • Jogo de Esports do ano: League of Legends
  • Personalidade do ano: Matthew “Nadeshot” Haag
  • Site de Cobertura de Esports do ano: Dexerto
  • Time do ano: G2 – League of Legends
  • Criador de Conteúdo do ano: Craig “Mini Ladd” Thompson
  • Jogador de PC do ano: Kyle “Bugha” Giersdorf (Fortnite)
  • Jogador de Console do ano: Dominique “SonicFox” McLean (Fighting Games)
  • Organização de Esports do ano: Team Liquid
Continue Reading

e-Sports

Desafio UniLol – Final eletrizante no estúdio da Riot Games

O #DellNoUniLoL foi realizado no estúdio da Riot Games, casa do CBLoL (Campeonato Brasileiro de League of Legends).

André Gimenes

Published

on

Na tarde do domingo (17) aconteceu a Grande Final do Desafio UniLol entre Minerva UFRJ e UFABC Storm.

Uma série disputadíssima entre as duas Equipes com um Placar de 3 a 1 para a Storm, mas não pense que foi tão fácil, Closer teve um papel fundamental no 1º Jogo fazendo Ganks precisos e o Matzera brilhando com seu Veigar ApCarry no Bot e um destaque para as ótimas chamadas de Lutas em conjunto extraindo 100% do Potencial da Composição.

Porém no segundo jogo Pombo brilhou com sua Nidalee e fez o jogo tomar um Ritmo totalmente diferente do primeiro jogo ele, Frozenfrost também com seu bom posicionamento morreu apenas 1 vez na 2º Partida e destaque para o ótimo controle de Sentinelas por parte do Puporr4uga.

No 3º jogo da série a Storm se transformou em um carreto passando por cima sem notar a presença da Minerva, Raposa e Matzera se posicionando muito bem e entrando com precisão nas lutas e Closer com um domínio de todos os Dragões da Partida, o Time da Minerva só fez foi anotar a Placa.

A Minerva veio para o 4º jogo da série aparentemente abalados com o carreto do 3º jogo e foi novamente o caminhão passando por cima, o Gangplank do Sidera simplesmente gigantesco e o ótimo controle de visão do Closer juntamente com a mecânica em dia do time fez ser uma vitória suave e sem muito esforço pra cima da Minerva, assim conquistando o seu titulo de TRI-Campeão da UniLoL!

Na Coletiva com a Storm fiz algumas perguntas especificamente para o Closer e para o Matzera.

“O pick de Veigar foi algo trabalhado ou de última hora que você pensou em utilizar devido ao Baixo Desempenho com os AdCarrys convencionais nos jogos de Sábado? E o que você acha que faltou para a rota ser tranquila como a de hoje? “ – André

“O Veigar foi algo que percebemos que seria jogado em Bloco e encaixaria muito bem contra eles e sim era para termos treinado muito porém nunca tinha jogado com esse Boneco mas a gente encaixou muito bem ele e deu muito bom!

E sobre o jogo de ontem a gente tomou muitos ganks e demos muitos vacilos e fomos punidos por isso” – Matzera.

“O que você acha que aconteceu no 1º jogo que você impôs um ritmo super acelerado gankando rapidamente Bot e Mid e tendo controle dos Dois arrongueijos, e depois por 1 morte, por usar o Q antes perdeu toda essa vantagem? Vc poderia ter criado um snowball mais poderoso em cima dela?” – André.

“Cara eu acho que sim, eu vacilei bastante nessa jogada mas ela ainda foi boa por que tiramos o Flash do Beckham, eu poderia sim ter dado mais vantagem as lanes pois Jarvan não é um campeão que necessita de tantos recursos para entrar no jogo e esse Match Up Jarvan tem sempre como encontrar essas lutas com a Sejuani e assim criar Fights e ter sempre a pressão em cima dela” – Closer.

Desafio UniLol foi realizado no estúdio da Riot Games, casa do CBLoL (Campeonato Brasileiro de League of Legends).

Continue Reading

e-Sports

Corinthians é campeão da Free Fire World Series

O jogador Nobru, do Corinthians, foi eleito o MVP (Most Valuable Player) da Free Fire World Series, com 12 abates.

Juliana Revoredo

Published

on

O Corinthians foi campeão da Free Fire World Series (FFWS), o Mundial de Free Fire, que aconteceu neste sábado (16) na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro.

Formada por Japa, FIXA, PIRES, Levelup007 e Nobru, a equipe do Corinthians marcou 2.300 pontos e levou para casa US$ 200 mil. O 2º lugar ficou com a Sbornaya ChR (Rússia) e a 3º posição com Illuminate (Tailândia). Eles levam US$ 80 mil dólares e US$ 40 mil, respectivamente.

O jogador Nobru, do Corinthians, foi eleito o MVP (Most Valuable Player) da Free Fire World Series, com 12 abates.

O show de abertura do Mundial contou com a participação de celebridades, como MC Jottapê, Mano Brown e Alok, um dos principais DJs do mundo.

Pela primeira vez no Brasil, a FFWS reuniu os 12 melhores times de Free Fire do mundo. A última edição da Free Fire World Series foi realizada na Tailândia, em abril, com premiação total de US$ 100 mil (cerca de R$ 380 mil). Desta vez, os combatentes disputaram a premiação de US$ 400 mil. Corinthians e LOUD foram as equipes que representaram o Brasil na competição. No Twitter, a hashtag #MundialFF figurou no topo dos principais assuntos da rede.

Veja a classificação final da Free Fire World Series:
 1 – Corinthians (2.300 pontos)
2 – Sbornaya ChR (2.190 pontos)
3 – Illuminate (2.020 pontos)
4 – LGDS (1.695 pontos)
5 – Infinity eSports Mobile (1.580 pontos)
6 – Team Flash (1.455 pontos)
7 – Arctic Gaming (1.200 pontos)
8 – Dranix eSports (805 pontos)
9 – LOUD (790 pontos)
10 – Infinity_YT (765 pontos)
11 – Nawabzade (630 pontos)
12 – Samurai Team (490 pontos)

Clique aqui para acessar fotos da Free Fire World Series e Free Fire Pro League 3.

Continue Reading

Parceiros Editorias

error: Conteúdo Protegido