Connect with us

Livros

Mostra Stephen King: com direito a Pennywise “E você tem medo de quê?”

A mostra também estará presente em São Paulo do dia 4 a 5 de setembro e em Brasília, de 8 de outubro à 3 de novembro.

Mylla Martins de Lima

Published

on

O Centro Cultural do Banco do Brasil abre suas portas, do dia 24 de julho ao dia 19 de agosto, para os amantes das obras do Rei do Horror, Stephen King. Com a mostra Stephen King: O medo é seu melhor companheiro, o público terá acesso não só aos longas originados a partir de seus livros, mas também às suas inspirações.

Ao todo, serão exibidas 41 produções sendo mais 5 que serviram como referência para King. O material da apresentação audiovisual conta com clássicos da literatura e telonas, como O Iluminado, It- Uma obra prima do medo e Cemitério Maldito, além de séries e minisséries do ícone do cinema macabro.

O dia 25 começou com uma palestra incrível de Rita Ribeiro sobre o surgimento do tema terror nos contos do século XVIII, citando as primeiras histórias de cunho bizarro como O Castelo de Otranto, de Horace Walpole escrito em 1764. Logo após a apresentação do gênero, a palestra seguiu destrinchando alguns dos mitos do imaginário assombroso, utilizando como referência autores mais populares como Oscar Wilde, Edgar Allan Poe, Mary Shelley e muitos outros astros.

Ao decorrer do bate papo, onde palestrante e público possuem direito de fala, a literatura cedeu lugar aos filmes e séries, dos quais foram muito bem exemplificados e separados em subgêneros, passando pelo Gore até os seres paranormais. Tudo termina em uma tela com o rosto do famoso Pennywise e a frase “E você, tem medo de quê?“. Os aplausos mais que sinceros e sorrisos nos rostos mostraram a empolgação de todos ali, e não teria como sido melhor o desfecho.

“E a grande experiência do medo vem quando estamos sozinhos, quando apenas uma luz incide sobre as páginas do livro que estamos lendo. É aí que Stephen King produz sua mágica. Nas páginas de suas obras nos tornamos reféns do medo. Um medo que nos faz retornar aos nossos temores primários. Só que dessa vez não é o monstro dentro do armário ou debaixo da cama. Os monstros de King saem sorrateiramente e entram em nossa mente. E depois de nos invadir, não existe mais escapatória”

Curadoria, Rita Ribeiro e Breno Lira Gomes

A mostra traz debates, palestras e uma admirável Master Class, tudo isso muito bem ministrado por quem entende do assunto. Dentre os curadores temos Rita Ribeiro, professora e pesquisadora da UEMG, e Breno Lira Gomes, jornalista e produtor cultural. Em especial, no dia 15 de Agosto, o debate terá participações de Regiane Winarski, tradutora oficial dos livros de Stephen King, e Raphael Montes, escritor de literatura policial e suspense. Dada a temática de cada reunião e o grupo de participantes, não existe discordância de que é um evento de fãs para fãs.

A programação é inclusiva em diversas formas, seja com preços acessíveis ou algumas exibições gratuitas. Além dos valores, filmes como Conta Comigo, Cemitério Maldito e O Nevoeiro terão sessões especiais com intérprete em libras, legenda descritiva e audiodescrição respectivamente.

O evento tem como parceiros a DarkSide Books e a Companhia das Letras, ambos publicantes do ilustre trabalho do autor. Os ingressos custam R$10 a inteira, R$5 a meia. As Master Classes são gratuitas e para maiores de 16 anos. Para participar delas, as inscrições devem ser feitas pelo e-mail: stephenkingccbb@gmail.com a partir do dia 29 de Julho. As demais palestras e bate papos também não tem custo, mas não precisa se cadastrar, os ingressos serão entregues 1h antes de começarem.

“Levo um livro a quase toda parte. Os livros são o entretenimento perfeito. Sem anúncios, sem bateria, horas de prazer a cada dólar gasto. O que não entendo é por que as pessoas não têm sempre um livro com elas para aquelas inevitáveis zonas mortas da vida”

Stephen King

Conheça a programação completa no site do CCBB RJ.

Advertisement
Comments

Resenha

Resenha | O Enigma de Outro Mundo

Novela investiga a existência de extraterrestres entre nós e prospecta teorias sobre a existência humana.

Rodrigo Roddick

Published

on

Existe vida fora da terra? Se sim, é amistosa ou hostil? Essas perguntas já foram feitas diversas vezes em diferentes momentos históricos. Muitas pessoas acreditam em alienígenas. Inclusive há uma ciência dedicada a desvendar os mistérios além da Terra. Há teorias que até apontam que os antigos egípcios foram visitados por seres extraterrestres. Contribuindo para este tema, O Enigma de Outro Mundo ainda suscita outra questão: já não estariam os aliens entre nós?

Apesar desta interrogação já ter se desenhada na cabeça de muitas pessoas, o livro apresenta a tentativa humana de identificar os extraterrestres, presumindo que eles consigam se passar por um humano, assim se camuflando entre nós.

O Enigma de Outro Mundo é uma história criada por John W. Campbell que inspirou o filme homônimo em 1982 e várias outras obras cinematográficas com nomes diferentes. Agora a obra foi traduzida e impressa pela primeira vez através da editora Diário Macabro. O excelente projeto gráfico é evidente logo na capa dura, com ilustração bem feita e ótima organização. A diagramação não deixa a desejar.

O livro possui 164 páginas e conta a história de um grupo de pesquisadores na Antártica que se depara com uma cabeça alienígena enterrada no gelo. Ela possui a capacidade de se transformar em qualquer ser vivo. A volume ainda traz extras contendo curiosidades sobre o contexto do romance, bem como algumas ilustrações dos personagens da história.

A narrativa apresenta uma investigação científica sobre o reconhecimento de espécimes extraterrestres. Por esse motivo, a linguagem dele é técnica, ainda mais porque os personagens principais são físicos, biólogos e meteorologistas. 

Apesar de ser um pouco arrastada as partes em que eles estão conversando sobre os métodos que deveriam ou não adotar para investigar A Coisa (como é chamada a cabeça alienígena na história), é possível compreender a escolha de Campbell. A maneira científica que o livro é narrado ambientaliza o leitor, construindo uma atmosfera coerente e paralela à realidade. Há momentos, inclusive, que você acaba se convencendo que toda a história seria possível.

A despeito do tema inicial, O Enigma de Outro Mundo pretende ir muito mais fundo do que superficialmente demonstra. Ao trazer a questão sobre a dificuldade de identificar quem é alien ou não – já que os extraterrestres podem se multiplicar e se transformar em qualquer um – Campbell, na verdade, está propondo uma investigação do próprio ser humano.

O que faz de nós humanos?

Esta é a pergunta principal que várias teorias tentaram responder. Mesmo sem uma resposta absoluta, o livro nos convida a viajar para dentro de nós mesmo e nos questionarmos sobre a humanidade que nos caracteriza. Em uma das partes mais interessantes da história, o autor chega a caracterizar as células alienígenas como “egoístas” por possuir o princípio de se preservar a qualquer custo. Não seria isso muito parecido com nosso instinto de sobrevivência?

O Enigma de Outro Mundo é uma fonte de teorias. E seu fim propõe que nós, seres humanos, poderíamos ter sido uma raça desenvolvida por vidas extraterrestres. Se isso é verdade ou não, não sabemos, mas é válido para subsidiar argumentações. Afinal, especular sobre vida fora da Terra pode ser a resposta para nossa existência.

“Para além das estrelas, está a resposta. De um lugar além das estrelas, de um planeta mais quente que circula ao redor de um sol mais brilhante e mais azul, eles vieram”

O Enigma de Outro Mundo é um livro curtinho obrigatório a todos os interessados em ETs e aos fãs de ficção-científica.

Continue Reading

Resenha

Resenha | Wild Cards – O Começo

Contos fazem alusão aos X-men e à Liga da Justiça, bem como outros super-heróis.

Gustavo Carvalho Cardoso

Published

on

Wild Cards – O Começo foi lançado em 23 de novembro de 2010 pela Companhia das Letras e organizado por George R.R. Martin em parceria com inúmeros autores. O autor é um roteirista e escritor de ficção-científica, terror e fantasia. Sua maior criação foi a fantasia época “As Crônicas de Gelo e Fogo”.

“Jetboy é o grande herói da nação.”

A história de Wild Cards gira em torno de um ataque com um vírus biológico alienígena que altera o DNA dos afetados, transformando-os em super-heróis, os chamados Áses. Mas o vírus pode transformar em aberrações antropomórficas, os Curingas.

”Tachyon parecia um homem normal, um homem normal que saiu de uma nave alienígena”

O livro se compromete em mostrar os dramas de um Estados Unidos pós Segunda Guerra Mundial, em um universo onde a vida no espaço é existente e carrega consigo uma ameaça à nossa sobrevivência: um teste viral que promete dizimar os humanos dois anos após Hitler ser derrotado.

A história lembra muito um roteiro de histórias em quadrinhos, parodiando super-heróis conhecidos e criando uma lógica por trás de cada poder apresentado, tornando o universo apresentado mais tangível e consolidando a premissa inicial do livro.

O livro é fragmentado em contos contendo narrativas e personagens principais diferentes, fazendo o leitor percorrer cenários e situações distintas. Ele mostra os humanos se adaptando aos poderes e aprendendo a lidar consigo mesmos, abrindo portas a uma nova crise. Como conviver com seres que podem praticamente serem deuses?

É apenas uma das perguntas que o livro traz e uma das crises que gira em torno dos personagens. Trazendo referências diretas aos X-men, à Liga da Justiça e a muitos outros quadrinhos, a narrativa coloca uma curiosidade em cada página e os leitores ficam loucos para saber qual vai ser o próximo personagem a ser central na história.

Assim como em X-men, a ameaça presente nesse universo não só os Áses ou os Curingas, mas sim os próprios humanos com medo dos afetados pelo vírus. Munidos de preconceito e de misoginia, eles se sobrepõe aos Wild Cards, aplicando leis rígidas e praticamente escravizando aqueles que sofreram com a mutação. Estes sendo obrigados a servir no exército sob o pretexto de estarem honrando a nação. A verdade, porém, é que estão sendo presos por baixo dos panos.

A crítica social que o livro propõe casou muito bem com a premissa do livro, assim como as muitas referências aos universos conhecidos dos quadrinhos. A política na história foi empregada de forma impecável como uma real vilã aos interesses dos personagens. Em muitos trechos, as leis mais descriminam e matam do que auxiliam aqueles que já estão sendo caçados diariamente.

O drama e a motivação de cada personagem afetam de forma ativa o mundo à sua volta, de forma que um conto, mesmo que com relatos distintos dos outros, complementa o universo, consolidando as lendas que ali permeiam.

A única coisa que quebra um pouco o ritmo do livro são algumas poucas histórias que se arrastam sem necessidade, demorando muito para expor o personagem. Porém, não afeta em nada a qualidade da obra, vai de leitor para leitor.

Wild Cards possui um drama bastante solidificado e uma trama política baseada na da vida real, é uma obra que fortifica o cenário de heróis e vilões. É quase uma distopia alegórica.

O livro é indicado para aqueles que são fãs de quadrinhos e gostariam de ver uma história um pouco mais realista.

Continue Reading

Livros

Carnaval Fantástico | Fantasias literárias para você se divertir

Una a paixão pela literatura com a festa nos bloquinhos.

Mylla Martins de Lima

Published

on

O carnaval é uma das festas mais famosas do Brasil e o mais divertido de tudo é a escolha da fantasia. Viver um dia na pele o seu personagem preferido é fantástico, seja ele um herói dos quadrinhos, um vilão de conto de fadas ou garotas mágicas de um mangá de ação. Nas linhas abaixo você vai poder conferir algumas dicas de fantasias pra lá de criativas.

Resultado de imagem para bloco carnaval

1. Sailor Moon

Se a ideia é se divertir em grupo, as defensoras representantes cósmicas são uma ótima opção. A série de mangás Sailor Moon foi originalmente publicada no Japão pela editora Kodansha em 1992, com final da série em 1997. Contudo, ainda faz muito sucesso no meio geek e tem seus mangás trazidos para o Brasil pela editora JBC.

2. Malévola

A grande vilã da Disney também é bem representada no evento, com direito a glitter e paetê. A personagem original da Bela Adormecida ultimamente vem ganhando os holofotes, tendo dois livros adaptados dos filmes e outro da série de vilões publicados pela Universo dos Livros.

3. Khal Drogo e Daenerys

E tem espaço para todo mundo, inclusive para casais. Khal Drogo e a maravilhosa Khaleesi são um exemplo de criatividade. Originalmente lançado em 1996 por George R. R. Martin e vindo para o Brasil em 2010 pela editora Leya, As crônicas de Gelo e Fogo é uma das séries literárias mais queridas dos últimos anos.

Hoje seus direitos estão reservados à editora SUMA.

4. Mulher Maravilha

Um clássico carnavalesco e símbolo do poder feminino não poderia faltar na lista das melhores opções na hora de escolher sua fantasia. A heroína mais icônica de todos os tempos surgiu de histórias em quadrinho publicadas na Era de Ouro, em 1941, pela editora estadunidense DC Comics.

5. O conto da Aia

O sucesso literário e televisivo é uma opção tanto para amigos, quanto para casais ou mesmo carnavalescos solitários. O livro publicado pela editora Rocco é um romance distópico situado na Nova Inglaterra totalitária e fundamentalista cristã em um futuro bem próximo.

Continue Reading

Parceiros Editorias