Connect with us

Colunistas

Nunca deixe de ler e fazer o que gosta para agradar alguém.

Graziele Fontes

Published

on

LOJA DC 4

Esse não é realmente um post sobre livros, mas é uma postagem para quem gosta de ler, como eu.

Recentemente, me mudei de estado, saí da minha zona de conforto para ir em busca do amor, de uma nova vida. Estou morando em um lugar completamente diferente do meu habitat, com culturas diferentes e onde eu não conhecia nada, mas a vida é assim, cheia de aventuras e resolvi me aventurar.

Ele parecia o cara perfeito quando o conheci há um ano, mas não tivemos muito tempo para conviver

e logo tive que voltar para minha casa, no interior de São Paulo. Mantemos contato e, com o passar do tempo, fui descobrindo que era amor de verdade, que superava a distância e prevaleceu por quase um ano assim, mas nem tudo são flores, né? Muito antes de mudar de estado, as coisas começaram a ficar estranhas, desconfianças da parte dele, estresses atrás de estresses e muito choro, pois não entendia como ele podia desconfiar de mim, achar que o traía, justo eu, a pessoa que não saía de casa praticamente e quando saía, fazia questão de ficar conversando com ele, pois a minha vida era focar no meu trabalho. Estava me sentindo realizada, estava tendo apoio e conquistando algo com o que eu mais gosto de fazer, que é escrever, tenho uma família linda e estava realizada no amor. O que mais eu poderia pedir?

e logo tive que voltar para minha casa, no interior de São Paulo. Mantemos contato e, com o passar do tempo, fui descobrindo que era amor de verdade, que superava a distância e prevaleceu por quase um ano assim, mas nem tudo são flores, né? Muito antes de mudar de estado, as coisas começaram a ficar estranhas, desconfianças da parte dele, estresses atrás de estresses e muito choro, pois não entendia como ele podia desconfiar de mim, achar que o traía, justo eu, a pessoa que não saía de casa praticamente e quando saía, fazia questão de ficar conversando com ele, pois a minha vida era focar no meu trabalho. Estava me sentindo realizada, estava tendo apoio e conquistando algo com o que eu mais gosto de fazer, que é escrever, tenho uma família linda e estava realizada no amor. O que mais eu poderia pedir?

Mas essa não é a história que quero contar. Eu sou apaixonada pela leitura, gosto de escrever histórias também e, em meu relacionamento, fui perdendo isso. Quando me mudei, isso se tornou praticamente impossível. Eu não podia ler, mexer no computador que vinha o famoso: o que você está fazendo? Ou quando mexia no celular: com quem você está falando? E, não bastando as perguntas e as acusações infundadas de que eu o estava traindo, vinha as observações atrás de mim para monitorar o que eu estava fazendo e, com isso, fui desanimando. Para ele, ter acesso ao meu celular sempre que quisesse não era o bastante, desconfiava que eu o traía virtualmente com alguém. Não importava o quanto eu cedesse, deixasse de fazer as coisas por ele, sempre havia uma razão para desconfiar de mim.

Eu deixei de fazer tudo o que gostava, principalmente ler para agradá-lo, me desconhecia, pois eu nunca fui assim, de abrir mão dos meus objetivos e do que gostava de fazer para suprir as desconfianças de alguém, mas não demorei a cair na real. Foram 2 meses dessa experiência desagradável, onde tive que viver um relacionamento que se tornava abusivo e que nunca mais quero experimentar na minha vida. Me sentir oprimida e que estou fazendo algo errado, mesmo sabendo que não, é muito ruim e não desejo essa experiência para ninguém. Por isso digo agora, após essa experiência, nunca deixe de fazer o que gosta para agradar outra pessoa. Se ame primeiro e depois o outro. O amor não é o suficiente para um relacionamento. É necessário mais do que sentimento para ele ser duradouro. Nós precisamos estar com alguém que nos incentive ir à frente e não andar para trás, ou nos faça sentir mal e inferior. É melhor ficar sozinha do que viver um vida assim.

É isso.

Estou de volta, CDL!

Graziele Fontes
Escritora e devoradora de livros seja ficção, comédia, fantasia e muitos outros gêneros, o importante é a história prender sua atenção.
Comments