Connect with us

HQs

O abuso da homossexualidade nas HQs

Avatar

Published

on

Pois é, quem diria que a Arlequina segundo a própria DC Comics informou, estaria ao lado colorido da força oficialmente. Primeiro de tudo que este post não é homofóbico e não quero fazer nenhuma análise profunda do tema, da problemática nem nada mais profundo. Então a intenção aqui não é polemizar coisa nenhuma então se a intenção for mimizar nos comentários, pode clicar no x lá em cima.

Esse texto é sobre o excesso de personagens que tem assumido uma posição homossexual ou mesmo bissexual nas hqs. Recentemente tivemos o caso de Bobby Drake dos novíssimos X-Men , que a Jean Grey revelou sondando sua mente de que ele era homossexual e que sua versão futura (do nosso presente) não o era por ter rejeitado/suprimido sua opção sexual pois seria complicado em um mundo que já odeia mutantes, carregar o fardo de ainda ser gay.

O caso do Homem de Gelo foi um pouco forçado, pois Bobby nunca deu pinta (sem trocadalhos do carilho,ok?) de ser gay nas hqs. Ou seja, o Bendis usou um ponto de vista interessante mas talvez com o personagem errado. Talvez se outro fosse escolhido, seria mais interessante.

O fato é que usam o argumento do homossexualismo para polemizar e causar impacto nos leitores, colocando personagens já conhecidos de longa data em uma situação diferente. Dizem que é para popularizar os personagens, causar maior identificação com o público, mas sinceramente parece oportunismo. Por que não criar novos personagens nesta condição?

A DC Comics quando mudou a orientação sexual de Allan Scott, o primeiro Lanterna Verde ( agora o LV da Terra-2), aproveitou a oportunidade do reboot, de apresentar novas versões dos personagens e Allan convenceu, mesmo que em sua versão anterior, fosse um senhorzinho de meia idade e pai de dois heróis.

Mística nos anos 80 com seu romance velado e muito subentendido com Sina, as quais ainda tinham uma filha adotiva, a Vampira (que quem lembra das primeiras histórias dos X-Men era meio machão, só ganhando feminilidade e sensualidade conhecidas quando foi parar nas maõs do Jim Lee). Ou a Estrela Polar da Tropa Alfa, o primeiro héroi Marvel a se declarar gay e que tinha horror a mulheres nos anos 80 e atualmente casou em uma edição de X-Men.

Essas foram jogadas inteligentes que não tentaram vender comics em cima de um comportamento e foi bem desenvolvido, sem a intenção de polemizar em excesso. Como exemplo de novos personagens temos Hulkling e Wiccano dos Jovens Vingadores que desde o princípio são um casal e de maneira alguma tiveram rejeição ou mimimi do público. Agora, os melhores são Apolo e Meia Noite os fodões de Authority e StormWatch que arrebatam centenas de fãs sem causar polêmica em seu relacionamento que é uma versão distorcida do que rola entre Superman & Batman.

O que temos hoje é o embate da sociedade conservadora contra alguns mais liberais e infelizmente os liberais acham que pessoas que usam a mídia para causar polêmica e ganhar algum faturamento com isso, são pessoas que realmente apoiam a causa homossexual nas hqs e fora delas. É um público que está se mostrando, mas por exemplo, o lance do bissexualismo parece ser muito mais polêmico (por que deixa o personagem em cima do muro) do que para identificar o personagem com o público.

No caso citado no início do post, a DC Comics esclareceu via twiter que Arlequina e Hera Venenosa tem sim um caso entre elas. Se isso é bom ou mau, o tempo irá dizer, mas eu estaria 100% tranquilo se fosse nas mãos de Judd Winick que sabe lidar com esse tema sem ser banal ou supérfluo, com certeza seria melhor.

Abaixo os esclarecimentos da DC Comics.

Personagens conhecidos se tornando homossexuais são certeza de polêmica, mesmo que não seja sinônimo de agrado aos fãs, seja por preconceito ou por ter sido mal conduzido pelos escritores.  De qualquer forma é necessário o público saber aceitar mudanças e escritores a não explorar o sensacionalismo desnecessário.

Físico, nerd, quadrinheiro e dono do Enquadrinhados - enquadrinhados.blogspot.com.br Sua frase preferida é “Só pode haver um”. Qualquer dia desses ele perde a cabeça.

Advertisement
Comments

HQs

Resenha | East of West: A Batalha do Apocalipse volume 2

O segundo volume de East of West é o grande lançamento do mês da Devir.

Avatar

Published

on

O grande lançamento deste mês da editora Devir, East of West volume 2, dará continuidade a história dos quatro Cavaleiros do Apocalipse, do escritor Jonathan Hickman e do artista Nick Dragotta.

Esta matéria contém spoilers.

Já no início do enredo, o guardião Ezra convoca uma reunião com os Escolhidos para revelar que o mesmo decifrou A Mensagem enviada pela irmã da Xiaolian, Hu, e nela é dito que há um traidor entre eles.

“A mão sangrada direita empunhará a espada e a sangrada esquerda, a flor. Do hospedeiro escolhido, a perfídia se seguirá à queda do dragão.”

As mesas mudam rapidamente quando um dos Escolhidos decide espontaneamente revelar quem é o traidor e uma iminente chacina se inicia. Ezra, ao tentar capturar o traiçoeiro, libera a Fera, entretanto, ela acaba se mesclando ao corpo do guardião, fazendo com que a presa fuja. Em apuros, os Escolhidos convocam os três Cavaleiros do Apocalipse: A GuerraFome Conquista.

Em outro núcleo, a Morte, acompanhado dos seus servos Lobo e Corva, vão atrás de informações que os ajudem a descobrir o paradeiro de seu filho. Sua obsessão o leva até aos confins dos mares e o faz jurar por qualquer coisa. Mesmo que essa abrangência seja muito arriscada.

Neste volume podemos ter uma noção do outro lado da moeda. Aqui não vemos apenas as mãos dos Escolhidos tramando algo ou os Cavaleiros matando quem estiver na frente, e sim o descontentamento da população liderada por um dos Escolhidos. A fome, a raiva e a injustiça levaram o povo a se rebelar contra todas as figuras de poder, e o lema “pratiques a justiça, ames a piedade” que os corruptos juízes pregavam criou os indesejáveis justiceiros da sociedade. Esse núcleo criou mais uma camada ao mundo que o Hickman tinha introduzido no primeiro volume.

East of West volume 2 traz alianças, política e muito sangue para a tal Batalha do Apocalipse, conseguindo ter seu peso próprio na história. Pelo caminhar dos dois volumes, esta história promete surpreender ainda mais, já que novos temas são abordados a cada volume e camadas mais densas são apresentadas ao leitor.

Se interessou pela obra? Para conseguir este volume, basta clicar aqui.

Continue Reading

HQs

Marvel Zombies | Edição mais recente remete a momento do título de 2012

Parece que o cenário mudou drasticamente para o grupo liderado por Peter Parker.

Jacqueline Cristina

Published

on

Na edição mais recente de Marvel Zombies: Resurrection, Peter Parker, Val e Franklin Richards, e Blade escaparam de um ataque zumbi ao esconderijo da Coalizão robótica, que tinha membros como Viv Visão e Frank Castle.  Atualmente, longe do local atingido, o grupo busca por sinais de Atlantis, que foi transformada em um refúgio para sobreviventes pela aliança S.H.I.E.L.D./A.I.M.

Atenção: Os parágrafos a seguir contêm spoilers.

Momentos após a chegada em um dos navios próximos à cidade afundada, a equipe é atacada por um Namor zumbificado, junto a outros heróis infectados. Em meio à luta, Peter encontra um elevador e assim guia “Nana” (uma sentinela modificada para cuidar e proteger o grupo, principalmente as crianças) para o ponto, o qual segura todos em seu braço para começarem a descida que os levaria a Atlantis.

Chegando ao fundo do elevador, eles descobrem que aonde era uma entrada acolhedora para o Reino Aquático, restou apenas grafites e sinais de devastação em sua estrutura. Por meio de um conjunto de portas, o grupo encontra, para sua surpresa, um Logan, acorrentado e bem machucado, o qual avisa ao Homem-Aranha que tudo não passa de uma armadilha. Logo, surge uma Magia zumbificada, que transporta a todos para Blackspring, a nova dimensão limbo.

Destaca-se que é lá que a Colmeia de Galactus está, junto às legiões de ressurgidos, estando todos sob a sombra de seu cadáver, o qual em meio a muitos infectados já alguém inesperado para Peter, o qual traz de volta, um dos horrores de outra narrativa passada.

A frase familiar “Ei, Tigre…” soa por trás do herói, que ao se virar é recebido pela versão infectada de sua esposa, Mary Jane, que garante a ele, a união para sempre de ambos neste momento de caos. Vale lembrar, que não é o primeiro cenário zumbi envolvendo Peter/M.J., contudo, é aquele em que seus papéis são invertidos.

Os fãs da Marvel nos quadrinhos, devem se lembrar dos títulos Marvel Zombies, lançados em 2012, o qual nessa época, Mary Jane e Tia May estavam protegidas e assustadas em casa, enquanto lá fora estava tudo uma bagunça. Até que se acalmam com a chegada de Peter em seu traje do Homem-Aranha, contudo, o mesmo não estava bem e pediu para que fugissem.

Quando M.J. levanta a máscara, ela vê que seu marido se transformou em um zumbi, que partiu ao ataque contra elas.  Depois de devorá-las, Peter se mostra arrependido, com uma grande culpa por ter “dizimado” seus entes queridos. Aparentemente desta vez não será muito melhor, visto a circunstância atual, mas quem sabe haja uma saída para os heróis, qualquer que seja o lugar.

Marvel Zombies: Resurrection #3 já está disponível nas lojas físicas e digitais dos EUA.

Continue Reading

HQs

Marvel | Revelados detalhes do novo título de Guardião Vermelho e Yelena Belova

Se preparem para muitas surpresas nessa nova história de Devin Grayson e Michele Bandini.

Jacqueline Cristina

Published

on

Da mesma forma que Natasha Romanoff, Yelena Belova foi recrutada para ser treinada na Sala Vermelha, o qual uma vez quase assassinou sua rival, até que resolveu largar tudo de mão, para procurar respostas sobre quem ela era. Em um dado momento, ela imaginou que o manto da heroína Viúva Negra era sua sina, mas o futuro tinha outros planos para ela.

Agora, o passado está chegando, e com ele está Alexi Shostakov, também conhecido pelos leitores, como o Guardião Vermelho. Com toda a certeza, o personagem já teve diversos títulos, assim como já foi marido de Natasha, o qual enquanto ela “trabalhava” como vingadora, ele aguardava pacientemente nas sombras, pela oportunidade de retorno, em que desta vez, ninguém ficará no seu caminho.

Confira abaixo as primeiras imagens da publicação Widowmakers: Red Guardian and Yelena Belova #1, que contará com roteiro de Devin Grayson, junto às ilustrações da artista em evolução, Michele Bandini:

Widowmakers: Red Guardian and Yelena Belova #1 chegará às lojas físicas e digitais dos EUA em 18 de novembro.

Continue Reading

Parceiros Editorias