Connect with us

Livros

O lado mais sombrio #quaselá

Bryan Philip Avelar

Published

on

LOJA DC 4

 Sempre fui fascinado pelo mundo de Alice no País das Maravilhas. Acho este universo criado por Lewis Carroll simplesmente fantástico. O impossível possível, o inimaginável tangível. Sempre achei que se tratava de um mundo sombrio, como um pesadelo daqueles que não fazem o menor sentido, ou uma obra de uma mente realmente insana (insira a cara do Chuck Palahniuk aqui). Pelo visto A. G. Howard concorda comigo, e com isso resolveu fazer uma série voltada ao lado sombrio e perturbado do mundo de Carroll. O primeiro livro da série foi intitulado o lado mais sombrio, e é sobre ele que falamos hoje.


– Estamos muito altos… Isso faz meu estômago dar um nó.
– É assim que você sabe que está viva, Alyssa. Os nós.

o-lado-mais-sombrio_1.jpg.1000x1353_q85_cropDa editora Nova conceito, o livro conta a história de Alyssa, uma garota com aparentes distúrbios mentais, roqueira e skatista. Apesar disso tudo durante todo o começo do livro ela é uma personagem extremamente desinteressante durante boa parte da estória (embora o lado psicológico tenha me chamado muito a atenção).

A obra tem personagens laterais muito bem trabalhados, que interferem bem na estória a ponto de serem indispensáveis, como por exemplo Morfeu, um ótimo personagem que surge na segunda parte do livro.

Um livro relativamente curto e de leitura rápida, a obra pode ser vista mais como uma continuação não oficial do que uma releitura da obra original.

A.G. Howard acerta em cheio a mão no estilo da escrita, com um palavreado simples e ágil e um detalhamento para cenas que não deixa escapar nada de essencial para a base, mas deixa o leitor disposto a soltar a imaginação, no melhor estilo de Carroll.

Apesar do começo difícil da obra “O lado mais sombrio” já é um livro do qual eu estou ansioso pela continuação, o desenvolvimento acontece de modo rápido e com reviravoltas o bastante na segunda parte em diante. Quem é fã de Lewis Carroll pode ler e se sentir em casa com a “continuação” e quem não leu a obra original pode ler sem se sentir perdido, pois a mesma possui uma linha própria.

*Nota o livro perdeu meio ponto pelo book trailer (isso tá feliz demais).

Boa Leitura!

Bryan Philip Avelar
Economista de humanas com 22 anos, bissexual, fã de Romancistas que desenvolvem heróis, cinéfilo de carteirinha e arqueiro nas horas vagas. (Gonna save the world).
Continue Reading
Comments