Connect with us

cinema

O Último Virgem “Um dos piores filmes brasileiros já lançados no cinema”

Avatar

Published

on

Não sabia muito bem como fazer essa crítica, tendo em vista que ao sair do cinema, me decepcionei de forma tão grande por um filme que (pelo plot) tinha tudo para mudar e fazer história no cinema nacional como um Super Bad brasileiro.

Falta de tudo, desde ritmo, até momentos minimamente coerentes, músicas escolhidas para fazer parte do filme passam a ser irritantes. Por mais que o longa seja baseado em uma peça de teatro famosa, O Último Virgem tem momentos constrangedores de tão ruins.

Os esteriótipos criados, até mesmo com traficantes que tem o seu chefe o grande ator André Ramiro, repetem de maneira nada natural o que o seu chefe diz, gerando assim não incomodo, mas uma tentativa sem graça de ser engraçado. Atuação da outra parte do elenco é completamente fraca, desde Dudu (Guilherme Prates) que entrega um personagem estereotipado, não existe virgem sentindo graça da sua virgindade, os momentos constrangedores do filme ficam mais para o Stifler Brasileiro (Lipy Adler) ou mais conhecido como Escova, o mais idiota dos personagens, mas não é um idiota sincero, fica chato quando percebemos que o ator está atuando, ou seja, não se vê atuação, mas um fingimento em atuar.

Fiorella Mattheis  entrega uma professora sedutora que faz de tudo para não ensinar, mas seduzir seus alunos, mas acaba ai, não existe mais nada a acrescentar aqui. Bia Arantes com sua personagem Julia, entrega sim uma adolescente com problemas, mas infelizmente, como sua personagem não é a principal, sua capacidade que me fez ficar feliz no filme, mal teve tempo de tela. Sem momentos engraçados, sem situações que podem nos remeter a momentos que talvez alguém tenha passado, O Último Virgem é um filme que tenta ser de certa forma o primeiro American Pie do Brasil, mas não dá, a ideia que foi passada e até comprada, não se repercute no filme.

O roteiro de L.G. BayãoLipy Adler não convence em nenhum momento, infelizmente todo o filme fica claramente chato, tinha momentos que pareciam eternos, aonde não se poderia levar a sério nada, não vi em nenhum momento a urgência do porque o personagem deveria perder a virgindade. Em alguns momentos eu ri, tendo em vista que grande parte das piadas que acontecem já são conhecidas e este colunista que escreve aqui, ainda é um jovem, mas talvez o roteiro quis passar uma ideia que não se consiste na narrativa, de que ele precisa perder a virgindade custe o que custar.

O grande problema do filme são três, piadas sem graça, atuação fraca e tudo muito superficial. A superficialidade do filme se consiste em uma coisa, você esta vendo algo e é transportado para a história, mas não existe esse acontecimento, o filme em nenhum momento consegue te levar para dentro, porque claramente ninguém ali existe, logo a história é quase nula. Estava torcendo demais por este filme, mas infelizmente não deu.

Não vi É Fada, da Kéfera, filme tão criticado até aqui, mas duvido fortemente que este tenha sido o pior filme nacional lançado este ano. O Último Virgem é uma oportunidade perdida.

O Último Virgem estreia em 1° de dezembro.

Revisado por: Raquel Moscardini

Advertisement
Comments

cinema

Retorno de Henry Cavill como Superman é somente rumor

Apesar do interesse do estúdio no ator, não há negociações no momento.

Avatar

Published

on

A notícia que estava sendo celebrado pelos fãs durante a semana pode ter sido um mero “rumor”: de acordo com informações apuradas pelo The Hollywood Reporter, não há no momento nenhuma negociação entre Warner e Henry Cavill para que o ator reprise o papel de Superman nos cinemas.

Entretanto, o site informa de que os executivos do estúdios tem sim um interesse pelo retorno de Cavill, apesar de sua situação ser, nas palavras da publicação, “complicada”. Independentemente de que o rumor apontava que o novo acordo poderia fazer com que o personagem aparecesse em algum outro filme – como nas sequências de Shazam!, Aquaman ou Esquadrão Suicida, por exemplo – nenhum destes roteiros conta com o kryptoniano atualmente.

A situação é similar ao que ocorreu no ano passado, quando Cavill estava concretamente em negociações para fazer uma participação especial em Shazam!, o que acabou não ocorrendo graças à complicações nos ajustes do acordo. Assim, a cena em questão foi filmada apenas com o torso do Homem de Aço.

De qualquer maneira, vale ressaltar que o ator revelou o desejo de encerrar a trilogia iniciada com Batman vs Superman, inclusive expressando isso durante a live em que Zack Snyder anunciou seu corte de Liga da Justiça. Então aguardemos novas informações sobre o assunto em breve.

Liga da Justiça: Snyder Cut estreia em 2021 na HBO Max.

Continue Reading

cinema

Live-action de Borderlands terá Cate Blanchett como Lilith

Atriz de Thor Ragnarok se une com diretor de O Mistério do Relógio na Parede.

Avatar

Published

on

Agora é oficial: Cate Blanchett, de Thor Ragnarok, foi confirmada como a siren Lilith na adaptação cinematográfica do game Borderlands. A produção irá reunir mais uma a atriz com o diretor Eli Roth, que trabalharam juntos em O Mistério do Relógio na Parede.

Empolgado, Roth falou com o site Variety sobre a adição de Blanchett à produção:

“Acredito que não há nada que ela não possa fazer: do drama à comédia e agora ação, Cate faz cada cena cantar. Trabalhar com ela é um sonho de diretor virando realidade. Sei que, juntos, vamos criar outra personagem icônica para a carreira bem-sucedida dela.”

Na história, a personagem Lilith é uma das poucas mulheres da galáxia pertencentes a uma classe de “sereias” com poderes especiais, como a manipulação do tempo-espaço. No primeiro jogo, lançado em 2009, ela era uma das quatro personagens jogáveis. Entretanto, nos outros títulos da saga, a personagem voltou a aparecer, mas como não-jogável.

Com direção de Roth, a adaptação contará com roteiro de Craig Mazin, criador da minissérie Chernobyl e com produção de Avi Arad, responsável pelos primeiros filmes do Homem-Aranha.

Borderlands não tem data de lançamento previsto.

Continue Reading

cinema

Warner Bros. supostamente estaria planejando filme com Arlequina

Daiane de Mário

Published

on

Desde que estreou no Esquadrão Suicida de 2016, a versão de Margot Robbie da nossa querida Arlequina cativou e encantou o público em todos os lugares. Entre seu papel em Aves de Rapina em fevereiro, e sua aparição no Esquadrão Suicida, os fãs estão vendo a Harley evoluir na tela de várias maneiras impressionantes – e parece que isso está longe de ver o seu fim!

De acordo com um novo relatório da DCEU Mythic, a Warner Bros. iniciou “conversas ” sobre qual será o próximo projeto das telonas para Harley Quinn, de Robbie. Embora não haja indicação do que esse filme poderia ser, os fãs da DC certamente especularão sobre ser potencialmente um filme de Gotham City Sirens, adaptando a equipe que conta com Arlequina, Hera Venenosa e Mulher-Gato dos quadrinhos para as telonas.

Embora a bilheteria de Aves de Rapinha tenha sido interrompida devido à pandemia do COVID-19, não há como negar que o filme teve uma base de fãs bastante apaixonada, especialmente após o seu lançamento no Video on Demand em março. Com isso em mente – e especialmente com os rumores de que as coisas poderiam culminar em um filme crossover Birds of Prey / Gotham City Sirens – essa atualização em torno do futuro da Harley é certamente promissora.

Dirigido por Cathy Yan e escrito por Christina Hudson, Aves de Rapina: Arlequina e Sua Emancipação Fantabulosa é estrelado por Margot Robbie, Mary Elizabeth Winstead, Jurnee Smollett-Bell, Rosie Perez, Chris Messina, Ella Jay Basco e Ewan McGregor.

Aves de Rapina: Arlequina e Sua Emancipação Fantabulosa já está disponível em HD digital.

Continue Reading

Parceiros Editorias