Connect with us

Colunistas

Semana Especial: Dia Internacional da Mulher | Personagens Marcantes Parte 2

Lais Gregório

Published

on

LOJA DC 4

Como já foi dito antes, poderíamos passar horas falando sobre personagens femininas que, de alguma forma, mostra sua força. Esses personagens que citamos e alguns outros, motivam a nós mulheres a muitas coisas como, por exemplo: proteger a família ou conquistar o que lhe foi tomado e ter de volta o que é seu custe o que custar, sem sentir medo.

Daenerys Targaryen (Cronicas Gelo e Fogo)

Crônicas Gelo e fogo, quem não leu ou viu o filme não entende o quão majestosa é Daenerys Targaryen. Daenerys foi obrigada a fugir com seu irmão mais velho e passar anos fugindo depois que o trono que era de sua família foi tomado. Em sua infância, Dany era uma garota tímida e dócil, com pouca confiança e auto-estima. Ela não conheceu outra vida além da que teve no exílio, dependente de seu irmão, Viserys Targaryen, que a amedrontava. Ele era a única família que ela conhecia, mas foi um guardião cruel, propenso a mudanças de humor e surtos de violência.
Seu casamento com Khal Drogo foi um divisor de águas em sua vida: a necessidade de adaptação ao modo de vida dos dothraki no khalasar foi difícil, mas significou o início de sua independência perante seu abusivo irmão, e ela se tornou uma mulher forte, confiante e corajosa. Apesar disso, ela não esqueceu como era ser uma criança maltratada, e suas experiências a contribuíram para que se tornasse uma conquistadora um tanto propensa à piedade. Ela é determinada a trazer justiça a seu reino, e põe o fim da escravidão como uma prioridade particupar. A despeito de sua compaixão, porém, ela é capaz de ser dura e impiedosa com seus inimigos.

Embora Daenerys tenha começado a trama aparentando ser fraca, ela foi abusada física e psicologicamente, mas aos poucos vai tomando força e seu lugar no jogo dos tronos, tomando vagarosamente o controle dos poderes dos homens. Tudo isso, sem ser masculinizada por George R.M. Martins!

Bela (Bela a fera)

Quando se trata de personagens femininas, eu sempre me identifico muito com a Bela. No conto francês, Bela era a filha mais nova de um mercador bastante rico, suas irmãs mais velhas gostavam de vestidos extravagantes e festas luxuosas, enquanto ela, adorava ler, se tornara gentil, bondosa e humilde apesar de suas irmãs a julgarem como estranha por não seguir o mesmo padrão que elas seguiam. (Engraçado isso não?) Certo dia, o mercador perdeu todas suas riquezas menos uma casa no campo distante de toda a cidade, suas irmãs não gostaram nem um pouco da mudança descontando todas suas raivas em cima de Bela, que humildemente fazia o que elas mandavam.  Um dia, o mercador recebeu a notícia de bons negócios e resolveu ir para a cidade, suas irmãs pediram vestidos e coisas fúteis, Bela não querendo pedir nada, pediu apenas uma rosa.

Eu poderia parar por aí e vocês já saberiam o quão boa ela é, mas essa é a versão do conto francês, tem outra que diz que Bela era filha de um construtor, ele era julgado como doido por todos da vila, inclusive Gaston que sonhava em se casar com Bela, devido sua beleza, mas odiava o fato de Bela viver com a “cara nos livros” e dizia a ela que por ser mulher, os livros não a levariam a nada.

Não estou aqui para falar do romance, mas sim da força da Bela em todos os contos, como no conto de Villeneuve onde Bela teve que fugir da fada malvada que tentou lhe matar para casar-se com seu pai, e fingiu-se de filha do mercador tendo que abandonar todo um trono em prol de seu antigo reino.

Bela é forte, segue seus pensamentos apesar do que os outros dizem, bondosa e humilde apesar de seus recursos passados ou atuais, não se deixa abalar por provocações ou medos, na minha opinião, Bela é uma personagem em quem se inspirar.

 

Lais Gregório
Tantos desafios a gente enfrenta, mas nada comparado ao que o mundo da leitura e seus personagens já passaram. Carioca e perfeitamente viciada em ler.
Comments