Connect with us

cinema

Por quê dar uma chance aos filmes antigos? Assista A MOSCA e descubra!

Susu Oliveira

Published

on

LOJA DC 4

A MOSCA (1986)

“Assista filmes novos”, ele disse. “Não assista A Mosca”, ela disse. Pois sim. Eu e essa mania de ouvir certas coisas e simplesmente não segui-las porque sim.Gostaria muito de não ter aquelas imagens na minha cabeça. Quero fugir de assisti-las novamente, por isso, acabei de assistir ao filme e comecei o texto pra ver se eu esquecia logo.

Pois muito bem… Vamos por partes.Já assisti ao filme sabendo que iria encontrar muita, muita, muita coisa nojenta. Em todos os sentidos. Pelo  menos pra mim.Percebi que o personagem principal era completamente maluco porque, né… Um maluco reconhece o outro de longe.A festa estava uma graça, mas isso não significa que eu gostaria de estar lá. Muito menos de conhecer um certo cidadão que poderia me levar à loucura mesmo antes de tudo aquilo acontecer.Confesso que fiquei super irritada só de ouvir o camarada tagarelar e ver que a moça estava mais preocupada com outra coisa, assim como eu.

Resolvi prestar atenção no filme de verdade quando ela tirou sua meia e olha, gente, que cena gostosa. Mas só essa também.
Você encontra um macaco do avesso, um babuíno carinhoso, um cara louco virando mosca, uma mocinha abalada e um ex-namorado irônico até o ultimo fio de cabelo. Ah… E um bebê larva, é claro. Não poderia faltar, não é? E aquela namoradinha/esposa/peguete do cientista maluco, ham? Bem safadinha. Hehe

Bem, o filme é nojento, mas me ensinou duas coisas importantes:

1º Como uma mosca come
2 º Como fazer uma garota sorrir dizendo “x-burguer”. É claro que a segunda lição só deve funcionar comigo. Afinal, só penso em comida.

É um excelente filme, apesar de ser pesado para o estomago, mas curti. O que eu mais gostei no filme foi a maquiagem. Mais perfeita que aquilo, só aquilo duas vezes, mas ninguém quer ver aquilo duas vezes, correto, Susu? Sim!

O filme passa bem rapidinho, ao contrário da transformação dele que dura a maior parte do tempo. Ainda inconformada com a perfeição daquela maquiagem, mas ok. E não! Não é coisa de menininha. Assista ao filme e me conte depois. Não o que achou da maquiagem, mas o que achou de tudo. Bom, então é isso. É essa a minha primeira dica de filme aqui na Cabana, e eu espero que vocês assistam A Mosca e se deleitem do programa leve e educativo que o titio David Cronenberg nos proporciona. Confira o trailer:

Susu Oliveira
Sou um Terra de Siena natural com queimada e um tantinho de amarelo ocre.
Comments