Connect with us

cinema

Próximo filme dos X-Men será definido na década de 90

Avatar

Published

on

Você já deve ter notado uma tendência nos filmes dos X-Men. Em 2011 X-Men: First Class foi criado na década de 1960 e sua continuação, X-Men : Days of Future Past, ocorreu na década de 1970, assim como X-Men: Apocalypse na década de 1980. Você pode ser capaz de adivinhar onde o próximo filme dos X-Men, será dirigido logicamente. Em entrevista ao site ComingSoon.net, Simon Kinberg confirmou que já está pensando em uma continuação da franquia, como e em que década irá ocorrer.

“O próximo é definido nos anos 90,” o produtor da franquia nos disse.

UIIIIIIIIII, mds (desculpem o delírio nessa matéria)

Não está claro se Kinberg ao dizer isso somente quis especificar a década que vai acontecer o filme. Os quadrinhos dos X-Men tiveram um boom comercial durante a década de 1990, seguindo as reformulações dos personagens de Jim Lee, que passou a ser a base para a série animada favorita dos fãs e hoje, alguns dos quais, ainda estão sendo usados.

O que você acha dos anos 90 no set do filme dos X-Men? Nos diga abaixo.

Revisado por: Bruna Vieira.

Avatar

Produtor, escritor nas horas vagas, administrador, editor e fundador do site CDL.

Advertisement
Comments

cinema

Crítica | A Caminho da Lua “concilia mitologia e ciência como lição para seguir em frente”

A Caminho Da Lua é uma animação bem marcante e, por mais que siga os moldes clássico Disney/Pixar, sabe se expandir e abraçar a representatividade sem um teor panfletário gritante.

Davi Alencar

Published

on

Depois de uma árdua jornada com seus originais de 2020, em uma proposta despretensiosa, imaginativa e revigorante, a Netflix acertou em cheio com seu novo lançamento animado. A Caminho Da Lua é um drama espacial que concilia mitologia e ciência para ensinar a importância de seguir adiante. Um longa que, por mais que sofra em achar sua personalidade, pode ser o início de uma rede de animações da plataforma.

O filme gira em torno de Fei Fei, uma menina que, após a morte de sua mãe, tem dificuldades em aceitar seu pai se relacionando com outra pessoa. Por isso, ela decide partir em uma jornada à Lua para provar a existência de Chang’e, deusa presente nas histórias que sua mãe contava, e convencer seu pai de não se casar com outra mulher.

O primeiro longa metragem de Glen Keane, animador experiente da Disney (A Pequena Sereia, A Bela e A Fera e Enrolados), é bem preciso na forma que ambienta a história e não se apoia exclusivamente na representatividade para desenvolver a narrativa. Ele sabe abordar temas complexos que vão desde as lições clássicas de amizade, até a aceitação de um modelo familiar diferente para criar um cenário que integra muito bem todos os seus recursos cinematográficos.

Por mais que aspectos da cultura chinesa estejam intimamente ligados à trama, eles conseguem se unir de uma forma bem honesta com o resto. Um baita mérito, já que, por diversas vezes, esse tipo de homenagem acaba roubando a cena. De quebra, o filme ainda consegue interligá-los perfeitamente com a ciência que instiga, criando uma narrativa mista e muito interessante que reflete o misticismo dentro da exatidão.

Da mesma forma, sabe muito bem traduzir o seu conceito em algo visual. A ideia de uma deusa ancestral presa na Lua se interliga muito bem com a proposta de ficção científica e o resultado é um show de luzes e cores único. Atualizar o caráter lendário de uma história para algo mais contemporâneo não só ajuda a criar um elo com o espectador como também corrobora para aproximar o mito das personagens, humanizando uma figura que sofre de algo tão mundano quanto saudade.

Devido a um caráter mais tecnicista, transportar essas ideias para a tela é claramente uma dificuldade. Por mais que uma boa porcentagem do resultado final seja belo, no teor mais bruto, vide animação de personagens, movimentos, roupas e tecidos, o filme engasga. Parece faltar um certo polimento e atenção para as cenas que ele próprio considera “menos relevante” e isso faz com que a experiência só seja interessante e bem feita quando aposta na eloquência ou no sentimentalismo de momentos pontuais.

De todo jeito, o filme sabe muito bem dobrar sua narrativa para refletir os temas que quer abordar. A história de Fei Fei é um paralelo da história de Chang’e e isso é muito bem estabelecido e construído. Ele também é bem assertivo no que externaliza na fala e no que deixa restrito ao entendimento particular, sendo assim, ao mesmo tempo que passa uma mensagem final clara para os públicos infantis, usa da sutileza imagética para potenciar os sentimentos da audiência geral. Dois exemplos disso são, respectivamente, quando Chang’e diz que Fei Fei é o seu verdadeiro presente e quando a menina deixa a imagem com a deusa queimar. Usos precisos de palavra e imagem.

A Caminho Da Lua é uma animação bem marcante e, por mais que siga os moldes clássico Disney/Pixar, sabe se expandir e abraçar a representatividade sem um teor panfletário gritante. Um “pipocão” como deve ser, amplo e sensível.

A Caminho Da Lua já está disponível na Netflix.

Continue Reading

cinema

Stardust, cinebiografia sobre David Bowie, tem 1º trailer revelado

Produção mostra astro nos anos 70, quando criou a persona Ziggy Stardust.

Avatar

Published

on

A IFC Films liberou nesta quarta (28) o trailer de Stardust, filme que irá mostrar como David Bowie criou a persona de Ziggy Stardust em uma viagem pelos EUA no início dos anos 70. Confira a prévia:

O longa dirigido por Gabriel Range (I Am Slave) tem Johnny Flynn (Genius) no papel do astro e ainda conta com Marc Maron (Glow) como o único executivo de gravadora que apostou no sucesso de Bowie; e Jena Malone (Jogos Vorazes), na pele de Angela Bowie, mulher do roqueiro na época.

Com algumas salas de cinemas ainda fechados por causa da pandemia, o lançamento de Stardust nos EUA será via on-demand em algumas locadoras virtuais. O longa não tem previsão de chegar ao Brasil.

Stardust será lançado nos EUA em 25 de novembro.

Continue Reading

cinema

EXCLUSIVO | Disney+ terá conteúdo da 20th Century Studios no Brasil

Confirmamos que terá sim conteúdo da Fox na Disney+ Brasil.

Avatar

Published

on

By

A Disney+, serviço de streaming que chega ao Brasil no dia 17 de novembro, tem sofrido com especulações a respeito do seu lançamento, e um deles foi a respeito se o conteúdo dos estúdios FOX, (adquirido pela Disney que o renomeou para 20th Century Studios) estariam disponíveis no Brasil.

Ao contrario do relatado anteriormente pela imprensa, o Cabana do Leitor recebeu a confirmação diretamente da Disney, que o conteúdo da 20th Century Studios vão estar disponíveis no Brasil, porém nem tudo.

Os Simpsons, como anteriormente dito, vão ter alguns episodios disponibilizados na plataforma, porém não todos, alguns filmes produzidos pela antiga Fox Filmes (20th Century Studios) vão estar também disponíveis. Nada foi dito sobre as séries da Fox, que não devem mesmo integrar a plataforma.

A Disney também divulgou que dias antes do lançamento da plataforma, os canais Fox Channel, FX, Disney Channel, Disney XD, Disney Junior e National Geographic exibirão uma seleção de episódios das séries originais do Disney+: The Mandalorian, Star Wars: A Guerra dos Clones, High School Musical: A Série: O Musical, Diário de uma Futura Presidente e A História do Imagineering; além da produção original do Disney Junior para o Disney+: Il Ristorantino de Arnoldo.

A História do Imagineering. No dia 11 de novembro, às 21h, o National Geographic exibirá o primeiro episódio da série documental que leva o espectador em uma viagem pelos bastidores do Walt Disney Imagineering, o pouco conhecido centro de design e desenvolvimento da The Walt Disney Company.

Diário de uma Futura Presidente. No dia 12 de novembro, às 21h, no Disney Channel, o público poderá assistir ao primeiro episódio da história de Elena Cañero-Reed, uma garota cubano-americana de 12 anos que, um dia, será presidente dos Estados Unidos.

Ristorantino de Arnoldo. No dia 13 de novembro, os canais Disney Junior (20h) e Disney Channel (21h), convidam a família a assistir ao primeiro episódio da produção original para o Disney+, totalmente produzida na América Latina e protagonizada por Diego Topa (Junior Express).

Star Wars: A Guerra dos Clones. No dia 14 de novembro, os canais Disney XD (21h) e FX (22h) exibirão os dois primeiros episódios da última edição dessa série de animação vencedora do Emmy que retorna para sua conclusão épica no Disney+.

High School Musical: A Série: O Musical. No dia 15 de novembro, às 21h, o Disney Channel exibirá o primeiro episódio desta inovadora série que conta a história de um grupo de alunos que espera ansiosamente pela primeira produção teatral de sua instituição.

The Mandalorian será exibida em 17 de novembro, às 22h30, no FOX Channel, apresentando à sua audiência THE MANDALORIAN e The Child, nos dois primeiros episódios da épica série live action da saga STAR WARS que venceu sete prêmios Emmy e tem Jon Favreau como showrunner e Pedro Pascal como o Mandalorian.

Também ainda não existe uma lista final de filmes da 20th Century Studios que vão estar disponíveis na plataforma.

Continue Reading

Parceiros Editorias