Connect with us

edilson

Quem é Anna Michiles?

Edi

Published

on

LOJA DC 4

Quem é  Anna Michiles? Uma resposta simples é a coisa mais coerente a ser feita. Anna Michiles é uma mulher comum, linda, mas comum. Com problemas que beiram a normalização da vida de todos hoje em dia. E talvez seja por isso que esta mulher tenha os melhores escritos sobre comportamento e sentimentalismo que raramente vi igual na minha vida. Segue alguns deles e que sejam  inspiração para você:

“A arte de esquecer me parece a mais moderna das sabedorias sentimentais, aquela que mais permite mover-se no mundo como ele é, não como nos fizeram crer que ele seria. Nesse mundo haverá sexo, haverá paixão e, às vezes, haverá amor. É provável que haja desencontro e ruptura e que sejamos forçados a começar de novo, sozinhos. Esse é o ciclo da vida como ela se apresenta. Nele, deixar para trás e esquecer é tão essencial quanto reconhecer e se vincular. Consiste no nosso legado sentimental.
É isso!”

“Aos olhos dos outros, somos projetados de uma forma errônea… às vezes, mais do que realmente somos; outras vezes, nos despem de nossas virtudes…visão turva! Precisamos, portanto, saber quem somos. Porque há pessoas que nos roubam e há pessoas que nos devolvem…essas são as que eu procuro na vida.”

“Às vezes, a gente FORÇA A BARRA para “aquilo” acontecer, e na verdade, o futuro acaba revelando que tudo era erro. E erros foram feitos para serem consertados”

“Definitivo, como tudo o que é simples. Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram. Por que sofremos tanto por amor, meu Deus? O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável, um tempo feliz, não é?! Sofremos por quê, então? Porque, automaticamente, esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos, por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos. Por todos os beijos cancelados, pela eternidade interrompida. Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar. Mas… ainda bem que o mundo continua de pé, lá fora, nos esperando para nos surpreender com aquilo que realmente merecemos!

Edi on FacebookEdi on InstagramEdi on Twitter
Edi
Produtor, escritor nas horas vagas, administrador, editor e fundador do site CDL.
Comments