Connect with us

Livros

Resenha – A Guerra dos Fae– Chamado às armas, volume 2

Avatar

Published

on

guerra_dos_fae-vol-2Título: A Guerra dos Fae – Chamado às armas, volume 2

Autora: Elle Casey

Editora: Geração Editorial

Número de páginas: 368

 

 

 

Chegou a hora da guerra no segundo volume da série “A Guerra dos Fae – Chamado às Armas”, os Fae da luz são convocados a fazer uma importante mudança e treinar seus dons mágicos para enfrentar os Fae das Trevas. JayneSparks e seus amigos Spike, Chase, Finn e Becky estão na iminência de uma guerra sangrenta e devem sofrer uma mudança, como crianças trocadas, para serem membros dos Faeda Luz com identidades mágicas. Poderão se transformar em elfos, ninfas, daemons, íncubos, anões e duendes verdes, querendo ou não aceitar suas novas identidades, desapontando-se com elas ou não. Como será resolvida a questão entre os Fae da Luz e os Fae das Trevas? Serão Jayne e seu grupo de amigos capazes de dar conta de uma missão tão espinhosa? Muitas respostas a estas perguntas, e outras tantas que foram provocadas pelo primeiro volume da série, serão respondidas aos leitores. E surgirão novos e fascinantes enigmas.

Juro que tentei fazer uma resenha com o mínimo de spoilers possíveis, mas me perdoem se não consegui. Primeiramente, esse é o segundo livro da série “A Guerra dos Fae”, da autora ElleCasey; como só recebi o segundo, não tenho muita noção do primeiro, todavia não tive muita dificuldade para entender mesmo sem ter lido o primeiro… porém, se quiserem se situar melhor sobre a resenha, aconselho que leiam essa resenha que encontrei do primeiro livro.

Pelo que andei pesquisando por aí, a maioria das pessoas – quase 100% – gostaram do primeiro volume do livro e estão empolgadas com a série. Vou confessar uma coisa: nunca tinha lido livros desse gênero, fiquei com muito receio de acabar odiando e nem chegando mais perto, porém tive que dar uma chance, e, nossa, confesso, foi demais! Claro que não morri de amores por ele, mas gostei, acabou superando minhas expectativas haha.

Jayne é uma garota Fae, como vocês podem perceber pela resenha que pedi (não os obriguei, embora quisesse, não, pera rsrs), que vocês lessem, Fae são seres que tem poderes (ok, isso ficou estranho), e, como o titulo do primeiro livro sugere, as “Crianças trocadas” são crianças – jovens – que eram humanos, porém com sangue fae nas veias, e por isso tiveram o direito de escolher se queriam ou não se tornar fae. Jayne e seu grupo de amigos acabam se tornando, e descobrem que “seres” são.

“(…) Descobri que eu e meu melhor amigo, Tony, somos membros de uma espécie de criaturas chamadas “fae”, e que temos a maior oportunidade de nossa vida de nos tornarmos alguém ou algo extraordinário. Podemos aceitar a mudança que despertará o sangue fae que corre em nossas veias, para nos transformarmos de humanos em fae, e nos tornarmos crianças trocadas.”

Tony, o melhor amigo de Jayne, acaba optando por não se tornar fae.

No começo achei Jayne bem chatinha, só falava palavrões e a achei bem oferecida para cima dos garotos, porém depois acabei gostando e me adaptando ao seu jeito. O livro inclui inúmeros palavrões – no começo pode ser assustador, mas depois acabamos nos acostumando, afinal, todo adolescente tem um vocabulário um tanto quanto diferente.

O livro é bem rápido de ser lido, porém muitas vezes ficamos esperando algumas explicações que acabam não vindo – como a tal guerra que a sinopse menciona.  A única coisa que consegui entender é que a guerra será entre os Fae da Luz e os Fae das Trevas, e que o grupo de Jayne pertence aos fae da Luz. Acredito que esse volume tenha narrado somente otreinamento das crianças trocadas, e a guerra talvez ocorra somente no próximo volume, ou no outro, ou no outro (não sei ao certo quantos são).

Posso citar que existem vários fae – pixies, anões, orcs, bruxas, ninfas, íncubos…, e elementais. Ah, elementais são faes que tem afinidade com algum elemento – terra, ar, fogo ou água e alguns com espíritos também. Todavia, não existe um elemental entre os Fae da Luz há centenas de anos, e acabamos descobrindo muita coisa a respeito desse elemental. (juro que queria falar mais, porém não posso :/ ).

A história é interessante porque o lugar que as crianças estão não é bem num outro mundo, ta, pode até ser, mas não “num mundinho encantado com um nome bem estranho”, mas num lugar da Flórida mesmo.

Não posso deixar de falar da capa, que coisa mais linda! A edição está ótima, aliás, todos os livros da Geração Editorial têm uma ótima edição!

Espero, realmente, que tenham entendido algo da resenha, porque foi uma das mais difíceis que fiz, visto que nunca tinha lido um livro desse gênero. Aguardo ansiosamente pelos próximos volumes; obrigada Geração Editorial, por ter cedido o exemplar.

 P.S.: Tim é a coisa mais fofa do universo! Adoraria ter um pixie coladinho em mim rsrs.

QUOTE: “Você faz o que é certo para você. Ele faz o que é certo para ele. Às vezes, o que é certo os reúne. Às vezes, separa. A única coisa que você tem é a honestidade. Seja honesta consigo mesma agora. Qual é o seu desejo mais profundo?

17 anos, catarinense. Apaixonada por palavras, cachorros, música. Deus e minha família são a base de tudo. Adoro livros, flores e tenho obsessão pela cor azul. Adquiri manias estranhas durante a vida, dentre elas a mais deliciosa: cheirar livros.

Advertisement
Comments

Livros

Feira Internacional do Livro de Sharjah tem edição híbrida em 2020

O evento terá sua programação cultural de forma digital e sua exposição de livro física.

Paulo H. S. Pirasol

Published

on

capa feira do livro Sharjah

Entre os dias 4 e 14 de novembro, a terceira maior feira do livro do mundo, situada dentro dos Emirados Árabes Unidos, abre suas portas com temática O mundo lê a partir de Sharjah.

O evento acontecerá de forma totalmente digital, enquanto as editoras terão uma exposição física no Expo Center Sharjah, segundo os organizadores — para que os leitores possam continuar a desfrutar da experiência pessoal de vasculhar e comprar livros e explorar a leitura. A feira aderirá a todos os protocolos globais de saúde e segurança.

“Acreditamos que as atividades culturais não devem parar mesmo em circunstâncias desafiadoras, e enriquecer a vida das pessoas por meio da leitura, alfabetização e conhecimento é um fator chave para o desenvolvimento social e prosperidade”.

Presidente da sharjah book authority, ahmed bin rakkad al ameri

O tema deste ano se compromete a seguir o legado cultural proposto pelo Sheik de Sharjah, Dr. Sultan bin Muhammad Al Qaisimi, que seria “construir um presente brilhante e um futuro promissor para as novas gerações, promovendo conhecimento e ampliando horizontes por meio da leitura”.

Os detalhes da programação ainda não foram atualizados pelo site oficial.

Continue Reading

Livros

Editora Aleph convida leitores a fazerem doações em prol do Pantanal

Em troca doadores ganharão wallpaper + e-book de “Os despossuídos”.

Mylla Martins de Lima

Published

on

No dia 9 de Outubro (sexta), a editora Aleph, conhecida por seus livros com foco em clássicos da ficção científica, divulgou em uma de suas redes sociais a campanha para combater as queimadas no Pantanal.

Por meio do seu perfil no Instagram (@editoraaleph), a editora lançou uma nota incentivando seus leitores a colaborarem com algumas instituições, citando como exemplo a Comitiva Esperança, ICAS Instituto de Conservação de Animais Silvestres e a WWF Brasil. Apesar dos nomes mencionados, outras entidades que atuam na região também são válidas.

Como forma de agradecimento, os colaboradores podem enviar o comprovante da ajuda e receber gratuitamente o e-book de Os despossuídos ,além de um wallpaper com a ilustração de Marcela Cantuária, artista plástica responsável por produzir as capas dos livros de Ursula K. Le Guin. Basta enviar a foto do comprovante para o e-mail [email protected] .

Mais que receber algo em troca, que tal ajudar o planeta?

Continue Reading

HQs

Resenha | Nimona

O verdadeiro significado do ditado: “As aparências enganam”.

Mylla Martins de Lima

Published

on

A HQ Nimona foi lançada em 2016 pela editora Intrínseca e tem como autora Noelle Stevenson, uma ilustradora e quadrinista incrível!

Nimona é uma menina, as vezes raposa, tubarão, gato e até dragão em alguma parte do seu tempo. Na verdade Nimona é uma metamorfa muito enérgica, que consegue o tão sonhado cargo de comparsa do pior vilão que já existiu no mundo, o Ballister Coração-Negro.

O inesperado começa quando a garota, em sua primeira missão, descobre que seu chefe e ídolo não é tão malvado assim. Enquanto ela sugere acabar com o arqui-inimigo e ex-amigo do vilão, Sir Ambrosius Ouropelvis, matando ele e a quem estiver tentando protegê-lo, Ballister prefere a tradicional luta de espadas, sem sangue e sem morte.

A história começa quando a dupla descobre que a Instituição de Heroísmo & Manutenção da Ordem, empresa que em tese serviria para controlar o caos, planeja prejudicar a população e incriminá-los. Como será a reação do povo quando Coração-Negro levar essa informação à mídia?

Trata-se de uma publicação divertidíssima, ambientada na idade média mas utilizando de elementos futurísticos, mais presente na tecnologia. Os personagens carregam muitas histórias passadas e são muito bem trabalhados, do visual à personalidade. Várias páginas arrancam sorrisos e até mesmo gargalhadas, principalmente quando os quadros pertencem à menina e Ballister.

A trama é cheia de dramas também, e que não passam despercebidos nem com as cenas de humor ácido da personagem principal. O ritmo da narrativa é bem rápido, mas muito fluido e, mesmo com suas 275 páginas, Nimona é uma leitura simples, fácil e que pode ser lida em um único dia. E é impossível não ler!

Noelle sabe prender o seu leitor e isso não é nenhuma surpresa. Esta HQ lhe rendeu o Eisner Awards e a levou para a final do National Book Award. Além disso, a quadrinista garantiu o Slate Cartoonist Studio Prize de Melhor Web Comic e foi indicada ao Harvey Award. Que currículo!

Nimona é uma ótima leitura pós ressaca literária, é a melhor opção para quem ama fantasia e quer fugir dos clicês de heróis. É um misto de fofura, ação, risadas e lágrimas.

A história de uma menina, um vilão que não é vilão e um herói que não é herói.

Continue Reading

Parceiros Editorias