Connect with us
Avatar

Published

on

A continuação de The Black Monday Murders já está disponível na Devir e o Cabana do Leitor decidiu mostrar aos nossos leitores um pouquinho sobre a história. Por ser uma continuação direta do volume um, esta matéria pode conter spoilers.

Atrás de respostas, o policial Thomas Dane procura pelo professor Tyler Gaddis, para descobrir mais sobre esse submundo, mas será que ele realmente estava preparado para isso? O professor decide então guiar Thomas até o Sistema de Reserva Federal (famosa Casa da Moeda), onde ambos poderão fazer suas perguntas a quem mais saberá sobre tudo, o Deus Mamoa.

Enquanto isso, Grigoria Rothschild, irmã do falecido Daniel, continua atrás da vingança pelo o que aconteceu com seu irmão e nada melhor do que uma vingança ao adquirir poder. A trajetória da Grigoria é bem construída. Muitos dos outros líderes caçoam do seu poder, mas ela está ali para mostrar que tudo não passa de uma fachada e ela mostra isso com sangue.

Os diálogos nesse volume são ainda mais interessantes e envolventes do que no volume anterior. Aqui é possível ver as consequências dos efeitos passados, o que esclarece ainda mais as histórias das famílias por trás das grandes escolas. As escolas são como as grandes nações e cada escola tem uma família líder que a reina. Por saber disso, a Grigoria está querendo ter o poder da magia suficiente para liderar dentre todas as famílias. Mesmo que isso signifique a morte de outros.

The Power of Silence - Comic Cut Down

Como no volume anterior há fragmentos de emails, diários e mapas que nos auxiliam no andar da história, assim como esboços de alguns personagens e locais visitados. Mais uma vez, a Devir está de parabéns pela qualidade do material. O quadrinho conta com 192 páginas coloridas e tem sua versão em capa dura, exclusiva pela Amazon.

The Black Monday Murders não é uma história para qualquer um. O enredo é repleto por um suspense e horror que envolve ocultismo, violência explicita e uma trama muito envolvente. Caso tenha se interessado pela história, você pode adquirir este volume clicando aqui.

Não leu nossa resenha sobre o primeiro volume? É só clicar aqui.

Advertisement
Comments

HQs

Power Rangers | Quando enfrentaram o grande e fatal Psycho Green

Quem se lembra da equipe criativa formada por Higgins, Di Nicuolo, Baiamonte e Ed Dukeshire, que trouxe uma mudança inesperada na formação dos heróis em 2017?

Jacqueline Cristina

Published

on

Os fãs de Power Rangers devem se lembrar da longa e histórica galeria de vilões que os heróis já enfrentaram em sua caminhada, como Rita Repulsa, Lorde Zedd e até mesmo Drakkon. Entretanto, a lista não para por aí, uma vez que na história de 1969 contada em Mighty Morphin: Power Rangers #20 tem a revelação de detalhes de um dos personagens mais perversos da história da Morphin Grid, sendo Psycho Green, o Ranger de Poder Negro Perdido.

O vilão era a mão direita de Espectro Negro, o monarca e entidade cósmica que criou os Psycho Rangers através da canalização da energia escura em Morphers que corromperam seus donos, a equipe do Planeta Xybria.

O personagem Trek serviu como o Ranger Verde da equipe “Supersônica”, contudo, o herói traiu e matou toda a sua equipe para o Espectro Negro, que foi tomado por suas ações, transformando-o no primeiro Psycho Ranger.

Vale lembrar que Psycho Green possui uma joia embutida em sua armadura que lhe dá capacidades empáticas, permitindo-lhe sentir as emoções dos adversários, sem contar que pode canalizar também, explosões de energia através dela. Além dos poderes citados, o vilão consegue se transformar em uma criatura gigante demoníaca, que amplifica as suas tendências psicóticas e implacáveis.

Em meados de 1869, Espectro Negro enviou Psycho Green à prisão na lua da Terra que se encontrava Rita Repulsa e seus generais, para libertá-los, entretanto, Zordon havia instalado um sistema de defesa a laser para proteção do local, o que impediu e derrubou a nave do vilão.

Após o pouso catastrófico, foi redirecionado energia da nave para os sistemas de suporte de vida de Psycho Green, ficando em um estado de hibernação até a chegada dos primeiros astronautas da Terra na Lua em 1969. Antecipados, Zordon e Alpha 5 já haviam bloqueado as comunicações da nave, impedindo a comunicação com Espectro Negro, contudo, mesmo assim o vilão foi acordado para concluir sua missão.

Ao detectar o despertar de Psycho Green, Zordon decidiu montar uma nova formação dos Power Rangers, surpreendendo a todos, uma vez que era composto por Grace Sterling, Terona Washington, Daniel O’ Halloran, Jamie Gilmore e Nikolai Chukarin, que foram respectivamente os Rangers Vermelho, Amarelo, Rosa, Preto e Azul. Mesmo não tendo preparação e treino, a equipe foi enviada a Lua de qualquer maneira, não demorando muito para que o arrependimento da decisão chegasse.

Já no local de combate, facilmente, Psycho Green se aproxima do Ranger Azul e Negro, separando-os e por fim matando Jamie, a Ranger Negro, com uma pedra gigante. Enquanto isso, Daniel, o Ranger Rosa, corre em direção ao inimigo que o contra-ataca com um golpe devastador que quebra a sua viseira, condenando-o à morte no espaço.

Restando apenas três membros da equipe de 1969, eles convocam o Power Blaster, acertando Psycho Green com um poderoso ataque a laser. É de se imaginar que tal golpe o derrotaria, entretanto, o leitor o vê se levantando como um gigantesco monstro esmeralda. Antes de qualquer reação do monstro, Nikolai pega um canhão laser e pula na barriga da besta para assim disparar um tiro mortal por dentro. Tal sacrifício funciona, destruindo o inimigo.

Embora “a vida” de Psycho Green nos quadrinhos de Mighty Morphin: Power Rangers seja relativamente curta, ele ainda é um dos inimigos mais violentos dos heróis, que proporcionou a Zordon a sua maior e marcante derrota.

Ficou curioso para mais histórias assim? Então fique ligado nas notícias do Cabana do Leitor.

Continue Reading

HQs

Deadshot estará se tornando um verdadeiro… Herói?!

Quais serão os planos de Floyd Lawton nessa nova fase de sua vida?

Jacqueline Cristina

Published

on

Por anos, Floyd Lawton (Deadshot) tem sido um dos membros mais fatais do Esquadrão Suicida, sendo que em seu tempo no “programa de trabalho de supervilões”, forçaram-no a pagar por seus crimes, mandando-o em missões do grupo secreto de operações do governo, intitulado Força-Tarefa X.

Em seu período no Esquadrão Suicida, Floyd transformou-se em uma espécie de anti-herói, uma vez que as situações em que ele se encontrava, o pintava, de maneira heroica, como na vez que lutou por seus amigos, e impediu a ocorrência de terríveis tragédias.

ATENÇÃO: Os parágrafos a seguir pode conter spoilers.

Após uma longa temporada na equipe, Deadshot percebeu que seu tempo com eles tinha sido oficialmente servido, na edição #6 dos quadrinhos. Com o perdão conquistado, o restava a tão sonhada liberdade, que foi “tirada” por Ted Kord, o homem que está atualmente por trás da Força Tarefa X.

Com tal acontecimento, Floyd se encontra em uma situação complicada em Esquadrão Suicida #7, o qual prova que o seu tempo com o grupo realmente o mudou, visto que ele está agindo, mais do que nunca, como um herói.

Vale lembrar que com sua “liberdade”, Floyd optou por passar um tempo com a sua filha Zoe, indo visitá-la na casa da mãe. Lá, ele esclarece que obteve o perdão pelos seus crimes, conquistando assim a independência e a chance de recomeçar, não sendo mais um assassino.

Infelizmente, a reunião familiar é interrompida pelo FBI que chega a casa. Deve-se pensar que Floyd iria lutar até o fim para não ser pego, contudo, com a sua filha presente e o desejo de não continuar com os “assassinatos”, ele opta por se render sem objeção.

No entanto, a situação só piora a partir daí, pois mesmo se rendendo pacificamente, os “oficiais” começam a agredi-lo, fazendo com que sua filha decida lutar para protegê-lo. Ocorre que ela tem treinado se tornando eficiente com o arco e flecha, logo Zoe consegue incapacitar um “inimigo”, incitando assim para que os outros a derrube, mas antes que tivesse sucesso, Floyd pega uma arma e parte para a luta. É nesse momento que ele demonstra o seu crescimento, visto que apesar de poder matá-los facilmente, ele decide atirar apenas para ferir cada um.

“Ela está vendo. Não mate.”

Logo, nota-se que o desejo de se tornar uma pessoa melhor, está mais do que presente através de suas ações. Com a questão chegando ao fim, Floyd decide voltar a ser Deadshot, dessa vez com o objetivo de matar aqueles que estão atrás dele, está indo também atrás dos bandidos que tinham como alvo pessoas inocentes, que é um trabalho reservado para super-heróis.

Esquadrão Suicida #7 já está disponível nas lojas físicas e digitais dos EUA.

Continue Reading

HQs

Grandes surpresas por vir nos quadrinhos de Hellions #3

Será que os Hellions (Satânicos), estarão preparados para este novo conflito?

Jacqueline Cristina

Published

on

É notório que ao abrir as portas para todos os mutantes, perdoando todos os crimes passados, os líderes de Krakoa teriam que aceitar alguns de seus piores inimigos no encalço. Felizmente, Sr. Sinistro criou um plano para lidar com os “encrenqueiros” que pudessem aparecer.

Na terceira edição de Hellions, os leitores verão Caçador de Escalpos (John Greycrow), Selvagem (Kyle Gibney), Empata (Manuel Alfonso), Nanny, Orphan-maker, Psylocke e Destrutor, irem contra a grande dama dos condenados, Madelyne Pryor!

Confira abaixo as imagens divulgadas:

Com roteiro de Zeb Wells, arte de Stephen Segovia e cores de David Curiel, Hellions #3 chegará às lojas físicas e digitais dos EUA em 26 de Agosto.

Continue Reading

Parceiros Editorias