Connect with us

Tempo

Resenha: “Zatch Bell”. Um anime que marcou sua época.

Avatar

Published

on

Lançado em Abril de 2003, Zatch Bell foi um anime marcou uma geração na chamada “Era de ouro” da televisão brasileira.

Antes de mais nada, gostaria primeiramente de falar que Zatch Bell! também é conhecido por Konjiki no Gash!! ou ainda Gash Dourado (Em Portugal). Contudo, para essa resenha, usei a versão mais conhecida pelo o público brasileiro.

Primeiro volume do mangá de Zatch Bell! Lançado em janeiro de 2001.

Desde já, nos anos 2000 a televisão brasileira vivia seu auge dos animes, isto é, os canais abertos tinham uma grande variedade de animes em sua grade: Dragon Ball Z, Saint Seiya, Digimon, Pokemon são apenas alguns exemplos. Por outro lado, um anime tinha uma pegada diferente dos demais. O anime é uma adaptação do mangá, apesar de ter 150 episódios bem animados, a história não tem o final, que só veio a ser finalizada no mangá.

ENTENDO A HISTÓRIA

A cada mil anos, um torneio é iniciado no chamado mundo dos Mamodos. O vencedor, por sua vez, será aquele que sobreviver ao mundo dos humanos, será proclamado rei do mundo Mamodo. Primeiramente, o protagonista Gash/Zatch (dependendo da versão, no Brasil Zatch), chegou a Terra com todas as suas memorias apagadas, sem saber quem é ou ainda sobre seu passado. Entretanto, isso não impede dele se tornar amigo de Kiyamo Takamine, um estudante do ensino médio.

Zatch/Gash e Kiyamo Takamine, os protagonistas da obra.

ENTENDO OS PODERES DA OBRA

Todos os mamodos levam consigo um livro com letras indecifráveis, posteriormente, descobrimos que conforme um Mamado luta, o seu guardião consignará ler seu livro. Em suma, apenas o guardião de cada Mamodo consegue ler o livro dele. A principio, apenas algumas habilidades estão disponíveis, isso se deve ao fato de cada livro, só se torna legível, quando um guardião e Mamodo ganham experiência juntos.

O livro de Zatch/Gash. Somente seu guardião pode ler seu livro

UMA BREVE ANALISE

Zatch Bell é uma obra mais voltada ao público infantil, porém, está longe de ser um anime ruim, muito pelo o contrário, apesar de não ter o tradicional sangue de animes da mesma época, o anime consegue ser bom.

Os personagens por sua vez tem um desenvolvimento que pode ser considerado razoável, e os vilões tem uma boa justificativa para o que fazem, ainda mais no final, quando descobrimos porque Zatch/Gash perdeu a memória. A trilha sonora do anime é boa, principalmente sua segunda abertura:

Contudo, nem tudo é perfeito. A animação do anime deixa a desejar em alguns momentos, principalmente com alguns episódios com animação bem a baixo do normal. O anime não tem o mesmo final do mangá, que deixa bem a desejar, além disso, algumas pessoas podem considerar bobo alguns momentos, embora eu particularmente, goste disso.

CONCLUSÃO

Zatch Bell até hoje consegue ser um bom anime, não chega a ser espetacular, mas não é ruim, é uma pena que após quase 20 anos, poucos ainda falem sobre, e pior que nenhuma empresa de mangás nacionais tenha trazido ao Brasil. Outro fato triste é quem transmitia o anime no Brasil era a extinta Jetix, hoje Disney XD, porém, até hoje, não temos nada do anime na sua grade de programação.

Em 150 episódios é possível se divertir bastante, e se apagar a alguns personagens, as lutas por sua vez são boas, embora se tornem repetitivas em alguns momentos, eu diria que Zatch Bell é um anime nota 7.0

VEJA TAMBÉM: SARANZAMAI: O ANIME QUE QUASE NINGUÉM ASSISTIU

Advertisement
Comments

Anime

Bleach terá seu último arco adaptado para anime junto com seu spin-off “Burn The Witch”

Mai Inoue

Published

on

Em 2012, “Bleach“, que foi um dos grandes nomes da Shonen Jump e concorria com One Piece e Naruto na televisão japonesa, nos deixou prematuramente bem antes do final do mangá. Depois do arco “Fullbring” a animação foi cancelada, deixando centenas de milhares de fãs pelo mundo todo inconsoláveis, seguindo apenas com a publicação em mangá. Os quadrinhos chegaram ao fim em 2016, com um final que não agradou muitos. O autor Tite Kubo continuou seu trabalho de mangaká, publicando uma série spin-off intitulada de “Burn The Witch“, que em breve também será adaptada para anime ainda esse ano.

Porém, 2020 foi ano do 20º aniversário da série, trazendo várias comemorações e uma notícia inesperada: a volta da série animada. Vamos poder acompanhar o último arco, “Thousand-Year Blood War“, totalmente animado com previsão para 2021. O arco vai do capítulo 480 até o último de número 686 no mangá.

Anúncios do projeto de aniversário de 20 anos de Bleach, publicados pela Weekly Shonen Jump

O anúncio desse arco animado desperta a esperança de mudanças em alguns aspectos do final do mangá que não agradou muitos fãs, além de trazer de volta o que segundo muitos, nunca deveria ter parado.

Quanto ao spin-off “Burn The Witch“, vamos contar com a adaptação de um one-shot do mesmo universo de Bleach, trazendo bruxas e dragões para essa realidade. A história de Noel Niihashi e Spangle Ninii se passa em Londres, 12 anos depois da história que a originou e vai ser animada pelo Studio Colorido, porém não temos informações qual será o estúdio que irá animar Bleach. A animação de Burn The Witch tem previsão de ser lançado no meio desse ano, no verão japonês.

Noel e Spangle, as protagonistas no mangá “Burn The Witch”

Continue Reading

Tempo

Vivo Keyd assume a vice-liderança. RPD, INTZ e KBM empatadas em último na tabela

Eduardo Seroa

Published

on

A oitava rodada do CBLoL começa com um espetáculo: paiN contra Flamengo. E logo durante o draft, tivemos uma surpresa: Volibear suporte no CBLoL na mão do Luci, o suporte do Flamengo. O Flamengo começou o jogo extremamente agressivo, forçando dive em ambas as rotas laterais. Com o começo de jogo rápido e explosivo do Flamengo graças às rotações do Ranger e do Luci, o Flamengo controla totalmente os objetivos neutros, pegando três dragões e dois arautos. O Flamengo conseguiu se segurar um pouco contra o ímpeto do Flamengo, e ganhou uma luta cinco contra cinco que os botou de novo ao jogo. Porém logo depois, o Flamengo pega seu quarto dragão e pega a alma do dragão de fogo. Com essa vantagem, o jogo é praticamente garantido pelo Flamengo. A Pain ainda tentou uma última jogada desesperada, emboscando o caçador do FLA, Ranger, e forçando o barão. O Flamengo respondeu a tentativa da Pain e saiu com quatro abates e o barão, sem perder nenhum dos jogadores. O jogo se encerrou com a vitória do FLA um pouco depois do barão, com a Pain fraca demais para contestar a força da equipe rubro-negra.
No segundo jogo da rodada, um embate entre a parte debaixo da tabela: Redemption contra INTZ. Ambos os times estão tendo péssimas atuações, com problemas graves dentro de jogo. O jogo começa com algumas lutas em todos os lugares do mapa com a Redemption levando a melhor, porém os dois primeiros dragões do jogo ficaram na mão da INTZ. O jogo seguiu empatado, com os times parelhos em ouro e algumas eliminações que não resultaram em nada, até uma luta que a INTZ saiu na frente e conseguiu fazer o barão. Com a pressão do Barão, a INTZ conseguiu ir minando a base da Redemption e, com a pressão do pick de Camille nas mãos do Tiancy, jogador do topo da INTZ, e a falta de resposta da Redemption, a INTZ levou o jogo onde os dois times pareciam estar cautelosos demais.
No terceiro confronto do dia, Keyd enfrenta a PRG. Ambos os times vêm em boa fase e o jogo começou com Yampi, caçador da selva da PRG de lee sin, invadindo e tentando tirar recurso do caçador da keyD, Grell. A Keyd conseguiu ler os movimentos e impedir as jogadas que a PRG tentou armar, comprando tempo até a primeira luta importante do jogo: Uma luta no rio onde os guerreiros da Keyd perderam o dragão, mas pegaram alguns abates no time da PRG e a pressão do jogo. A Keyd consegue controlar bem o mapa e não cai em nenhuma luta desfavorável, deixando a Camille livre para puxar a rota lateral com a cobertura da Sejuani. A Keyd se junta para lutar o segundo dragão, e novamente perde o dragão mas ganha a luta. Em um movimento do time da PRG para tentar aliviar a pressão que a Camille estava criando na rota inferior, quatro jogadores se moveram para lá sem sucesso. Como resposta, a Keyd já estava preparada para fazer o Barão escondido. Quando a PRG se deu conta, tentou responder a tentativa de Barão dos guerreiros da Keyd. Foi uma jogada desastrosa para a PRG, perdendo não só o Barão como vários jogadores. Após o Barão, a Keyd controlou aproveitou a vantagem e o jogo se resumiu em lutas em volta dos jogadores do topo. O jogo terminou em um backdoor incrível por parte do time da Keyd, onde os guerreiros ameaçaram fazer o segundo Barão e, quando a PRG chegou para contestar, Robo e Nosferus usaram o teleporte para puxar junto dos super minions que já estavam dentro da base do time da Prodigy enquanto o resto do time segurou a volta à base dos campeões inimigos.
O último jogo do dia é protagonizado por Kabum e Furia. Com a entrada de Sting na posição de caçador, o time da Furia parece ter mudado extremamente. A Furia tem um começo de jogo muito mais agressivo, forçando lutas pelo mapa. A Kabum, que tinha como sua força principal o começo de jogo, pareceu ficar um pouco atordoada com a Furia e começou o jogo atrás. A Furia continuou a forçar as torres do time da Kabum, rotacionando quatro membros do time para levar tais objetivos. Após a agressividade inicial da Furia, o ritmo do jogo ficou mais lento e a Kabum conseguiu respirar no jogo. No meio de jogo, quem começou a ditar o ritmo do jogo foi, impressionantemente, a Kabum. Devido às decisões ruins tanto no draft quanto dentro de jogo, a Furia perdeu o controle da partida. A Kabum conseguiu pegar quatro dragões de montanha, obtendo a alma do dragão e o Barão. A Kabum, que não deixa os erros graves da Furia passar em branco, agradece pela partida e leva a vitória.

Continue Reading

Tempo

Série de Obi-Wan começará filmagens em janeiro, afirma Ewan McGregor

Produção terá roteiros reescritos e estreia programada para 2021.

Avatar

Published

on

Participando da premiere de Aves de Rapina, o ator Ewan McGregor conversou com os jornalistas sobre as mudanças no cronograma da série de Obi-Wan Kenobi, desmentindo rumores de cancelamento e minimizando conflitos na produção da Disney+.

“Nós só atrasamos as filmagens para o início do ano que vem. Os roteiros estão muito bons, eu vi 90% deles e eu gostei muito. Toda essa porcaria de ‘diferenças criativas’ e essas coisas, nada disso é verdade”, disse McGregor para a CBM. Já para o site IGN, o ator confirmou que as filmagens começarão em janeiro, mas a previsão de estreia permanece a mesma.

“Acredito que agora que o Episódio IX saiu, todo mundo da Lucasfilm quer passar mais tempo escrevendo”, explicou. “E ao invés de gravar em agosto, eles querem começar em janeiro, só isso. Nada mais dramático que isso (…) Terá a mesma data de estreia, eu não acho que isso afetará a previsão de lançamento”

A produção, que terá seis episódios em sua primeira temporada, teve seu desenvolvimento adiado por Kathleen Kennedy, presidente da Lucasfilm, que estaria insatisfeita com os roteiros da série. A trama seguiria os passos do Jedi entre A Vingança dos Sith e Uma Nova Esperança. A diretora Deborah Chow (The Mandalorian) e o roteirista Hossein Amini (O Alienista) estão à frente do seriado.

A série de Obi-Wan Kenobi será exibida no Disney+, mas sem data de estreia prevista.

Continue Reading

Parceiros Editorias