Connect with us

Fandom

Suits – Os melhores episódios de uma série sobre relacionamentos

Existem muitos episódios maravilhosos de Suits, cite nos comentários quais vocês mais gostam.

Edi

Published

on

Ja foi dito aqui que Suits é a melhor serie jurídica em exibição na Tv. Séries como How to Get Away with Murder focam muito mais no sensacionalismo da historia, enquanto Suits pondera, sempre pautado em como o mundo real funciona.

Contando que, se você for perguntar a qualquer pessoa, fã de Suits, quais são os melhores episódios para ela, ela vai sempre dizer que sao os episodios com uma carga EMOCIONAL E NÃO NECESSARIAMENTE DRAMÁTICA PARA OS PERSONAGENS.

Curta: SUITS BRASIL

Isso já monstra que Suits sempre focou mais nas historias individuais de cada um, e não existe personagem principal em Suits que não seja importante.

Apesar de Suits ser uma série ambientada no mundo juridico, ela foca muito mais em como as pessoas lidam com seus problemas, suas culpas, sonhos e medos.

Agora segue a lista dos melhores episódios de Suits.

“Ela Sabe” 2×1

Suits tem uma das premissas de que um dos principais advogados da firma é uma fraude, ou seja, jamais cursou a faculdade de direito. Porem, somente seu mentor, Harvey (um do melhores advogados de NYC) sabe sobre isso.

Porém ao final da primeira temporada, a sócia gestora da empresa recebe uma denuncia de que Mike Ross (o advogado) jamais cursou a faculdade de direito. Mike, depois descobre através de uma ex-namorada, que na verdade a sócia diretora já sabe de sua historia, e ela vai usar isso a seu favor.

“Aguas Passadas” 3×12

Henry Gerard é um professor de etica de Universidade de Direito em Harvard, que vai visitar a firma, mas tem um problema.

Mike Ross tem nota 10 em ética e Louis questiona, afinal, Gerard é um professor conhecido nos EUA inteiro, por jamais dar nota 10 para seus alunos. Louis então descobre que Mike nunca cursou direito e pretende desmascara-lo na frente do professor.

“Acertando no Lugar Certo” 5×7

Louis briga com Harvey, por conta de ciúmes com sua irmã. Louis havia pedido para Harvey não a magoa-la.

Além do mais, Harvey dormiu com a irmã dele, no momento de raiva Louis acaba falando coisas para Harvey, e o mesmo da um soco na sua cara.

O que se segue depois é Louis tendo uma carta na manga para a demissão de Harvey. O crescimento da cena, como também a direção do episodio o tornam um dos melhores da série.

“Aos 45 do segundo tempo” 5×16

Mike assume a responsabilidade pelos seus atos e para proteger seus amigos decide fazer um acordo, 2 anos na prisão.

Harvey tenta ajudar ele, mas Mike esta decidido, Mike simplesmente aceita os termos e é preso no dia do seu casamento.

Existem muitos episódios maravilhosos de Suits, cite nos comentários quais vocês mais gostam

Comments

cinema

Coringa | Sites chamam The Hollywood Reporter de “mentiroso”

A jornalista Tatiana Siegel, do THR, disse no Twitter que não vai voltar atrás sobre a informação publicada por ela.

Edi

Published

on

By

As notícias sobre a sequencia do filme Coringa vieram inicialmente do site The Hollywood Reporter, porém dois grandes sites de cinema dos EUA chamaram o site de promover click baits “noticias falsas baseadas em fatos que aconteceram” para promover o conteúdo.

O Deadline alega que o THR – que uma semana após a abertura do Coringa, Phillips se encontrou com Toby Emmerich, chefe da Warner Bros para apresentar um portfólio de histórias de origem de personagens da DC, o Deadline afirma que a historia é tão falsa quanto as histórias anteriores de Martin Scorsese sobre a direção do primeiro filme Coringa.

Scorsese originalmente seria um produtor, mas desistiu por causa de sua agenda lotada. Várias fontes disseram que não houve uma reunião entre Phillips e Emmerich no dia 7 de outubro, e que Phillips não quer supervisionar outros filmes de personagens da DC. O que ele falou em entrevistas é que, quando Coringa estava no início, houve discussões sobre uma iniciativa da DC Black. 

Em vez disso, ele se concentrou no Coringa. Isso foi há muito tempo atrás. Phillips tem um histórico de ser seletivo: depois que The Hangover começou a bater recordes em filmes classificados como R, ele não procurou transformar sua empresa em uma fábrica de comédia.

O site The Wrap afirma que ouvindo outra fonte, confirma a informação do Deadline, que não houve reunião e que Phillips não apresentou planos para outras histórias de origem de vilões da DC. Outro indivíduo diz que qualquer conversa é preliminar, na melhor das hipóteses, sem nada concreto.

A jornalista Tatiana Siegel, do THR disse no Twitter que não vai voltar atrás nas suas informações publicadas por ela no site.

Segundo estes sites o site The Hollywood Reporter inventou a noticia como bait clique, termo para pescar pessoas, mas com conteúdo geralmente falso.

Coringa segue sem sequencia definida e Phillips não sera o arquiteto de filmes da DC Comics.

Continue Reading

cinema

Todo o amante de cinema deveria lutar pela Snyder Cut

O movimento não é sobre um filme de quadrinhos, mas sim de liberdade no cinema.

Edi

Published

on

By

Já se passaram alguns anos desde que a versão desmantelada da Liga da Justiça foi lançada nos cinemas – um filme que teve inicialmente nas mãos de Zack Snyder e depois, devido o suicídio de sua filha, foi substituído por Joss Whedon.

Depois disso, o longa foi refilmado com acréscimos de cenas mas, no geral, o trabalho original de Snyder foi destruído.

E independente do quanto você possa amar ou odiar o cineasta, uma coisa é fato: o movimento na web pela “Snyder Cut” da Liga da Justiça está atingindo patamares incríveis.

Recentemente, o ator Ryan Reynolds (Deadpool) curtiu um post sobre o pedido pela versão do diretor. A atriz indiana Huma Qureshi também manifestou seu apoio.

Jason Momoa (Aquaman) disse que viu a versão de Zack Snyder da Liga da Justiça. Isso nos leva a crer que o filme de certa maneira está pronto, porém pode ser que não esteja totalmente finalizado. O movimento nas entrelinhas é muito mais do que um grupo de fãs birrentos: Um filme para ser feito precisa de muitas aprovações e isso envolve produtores, executivos e investidores. O que na prática torna os filmes muitas vezes um não-retrato puramente artístico do diretor e do roteirista.

Nos filmes do Marvel Studios – como já bem sabemos – Kevin Feige é o homem que põe dedo em todas produções, o que tira um pouco da liberdade artística dos diretores e roteiristas… Na Disney então, nem se fala! Enquanto isso, a DC teve clássicos casos de interferência em Batman v Superman, Esquadrão Suicida e na Liga da Justiça. Consequentemente, todos estes filmes que a Warner mexeu foram mal de desempenho nas bilheterias.

É verdade que Christopher Nolan e alguns diretores tiveram carta branca para fazerem o filme que quiserem com os personagens da editora, porém essa liberdade artística se limita a seleto grupo. Assim, o movimento ‘Snyder Cut’ não sobre um filme de quadrinhos, mas sobre a liberdade no cinema.

Para meu espanto, já vi críticos de cinema de nome no Brasil, desconsiderando este movimento. Na minha cabeça não entra a ideia de que amantes de cinema são os maiores defensores de censura, justamente na área que atuam.

Em recente debate no Twitter com o jornalista Thiago Romariz, disse que por mais que Batman v Superman tenha sido um filme que não tenha tido a aceitação esperada, ele ao menos foi uma tentativa de fazer algo diferente do que a Marvel vinha fazendo (que nas palavras do cineasta Martin Scorsese “não é cinema”).

E atualmente – com excessão recente de Coringa – temos “duas Marvel” no cinema uma vez que, por mais que Aquaman tenha feito seu bilhão, isso se deve graças à fórmula desenvolvida por Feige, do qual o longa dirigido por James Wan bebeu bem.

Não importa qual a sua editora favorita. O importante é entender que todo o artista precisa de liberdade criativa e é disso que o movimento ‘Snyder Cut’ se trata. Todo o artista deveria ter direito de promover e exibir sua obra conforme ele imaginou.

A visão de Zack talvez nem melhore o filme… talvez seja uma versão pior do que a exibida nos cinemas (o que duvido muito), mas as pessoas precisam entender que o movimento vai além disso.

Continue Reading

Fandom

Animações que merecem um Live-Action da Disney

Quais filmes merecem um live-action Disney? Mayara Baunilha escreveu este super texto, confira!

Mayara Baunilha

Published

on

Com a onda de remakes e live-actions da Disney, que somente neste ano emplacou “Dumbo“, “Aladdin”, “O Rei Leão“ e ainda antecipou a estreia de “Malévola 2”, muitos se perguntam, quais serão os próximos títulos?

Em 2020 teremos a estreia de “Mulan”. Porém há mais obras, ainda em produção, já confirmadas. Dentre elas “Cruella”, estrelado por Emma Stone e com direção de Craig Gillespie. Sem contar com um dos projetos em live-action mais adiados pela Disney, “A Pequena Sereia”, que agora terá à frente da direção Rob Marshall, com o papel da sereia Ariel assumido pela cantora e atriz Halle Bailey.

Além destes, também já estão confirmados “A Dama e o Vagabundo”, com direção de Charlie Bean, e uma nova adaptação de “Peter Pan”, cujo cineasta encarregado pela direção do projeto, ao menos até o momento, será David Lowery.

Não há demais obras confirmadas a princípio, porém existem aquelas obras que não há como não pensar que ficariam maravilhosas se adaptadas para uma versão remake, ou live-action, visando agora uma proposta mais realista. É exatamente por esta razão que fizemos essa seleção com animações que deveriam e mereciam ser adaptadas pela Disney.

O Corcunda de Notre-Dame (1996)

O romance “Notre-Dame de Paris” de Victor Hugo já possui algumas adaptações cinematográficas, além da versão animada da Disney, de 96. Porém, algo que destaca a animação das demais versões é a sua trilha sonora impecável. Com canções escritas por Alan Menken, o álbum contendo a trilha do longa, lançado no mesmo ano do filme pela Walt Disney Records, chegou a alcançar o pico número 11, na Billboard 200.

A obra também possui uma versão teatral produzida pelo Disney Theatrical Productions, que realça a musicalidade da orquestra e do coral que tiveram tanta importância na animação clássica. Com 10 canções inéditas, essa versão foi um sucesso de bilheteria e de crítica, podendo assim ser perfeita para inspirar uma adaptação em live-action, que poderia vir a atingir tanto prestígio quanto.

Pocahontas (1995)

Com a onda de representatividade e de personagens femininas que não se limitam mais a meros troféus e pares românticos dos heróis, o quão incrível poderia ser uma versão live-action de uma obra cuja a protagonista é uma independente, corajosa e sábia jovem mulher indígena?

O dramático e emocionante romance animado de 95 certamente seria incrível de ser visto em uma versão repaginada. Além de poder trazer com mais precisão histórica e semelhança a realidade as vestimentas, costumes e cultura da tribo nativo-americana Powhatan, que ocupava a região da atual Virgínia.

Hércules (1997)

A versão da Disney das aventuras do herói grego certamente marcou a infância de muita gente. Mesclando a dosagem perfeita de humor, fantasia, romance, além de possuir uma trilha sonora (Também comandada pelo já citado Alan Menken.) totalmente envolvente, que mescla orquestra com gospel, a obra, se adaptada para uma versão em live-action, seria sucesso garantido.

Há diversos fancastings (Elencos formados por fãs.) de Hércules na internet, evidenciando nomes como Chris Pratt para viver o protagonista, Danny DeVito para reprisar o papel do sátiro Phill, além de atrizes como Anna Kendrick e Elizabeth Gillies para o papel da audaciosa Meg. Tal empolgação por parte dos internautas só prova o quão “Hércules” é uma obra querida pelo público. Ou seja, se a Disney um dia decidir adaptar a mesma, certamente será recebida com o mesmo entusiasmo que suas demais adaptações.

Atlantis: O Reino Perdido (2001)

A lenda sobre uma misteriosa ilha ou continente cuja primeira menção conhecida remonta a Platão em suas obras “Timeu ou a Natureza” e “Crítias ou a Atlântida” possui algumas adaptações e uma série de versões documentais. A versão em animação 2D dos estúdios Disney, embora merecesse, por conter todos os elementos que uma boa fantasia de aventura precisa ter, não atingiu o êxito necessário.

Apesar de não ter sido um grande sucesso comercial, surgiram boatos de que uma versão em live-action estaria sendo planejada pelos estúdios de Mickey Mouse, e que a mesma possuiria Guillermo Del Toro a frente da produção. Porém, o cineasta desmentiu o burburinho.

Apesar do súbito banho de água fria, os mais esperançosos ainda podem torcer para ver uma nova versão da obra nos cinemas. Afinal, quem sabe com novos ares e algumas mudanças, “Atlantis: O Reino Perdido” consiga redimir o que não foi conquistado pela sua versão inicial, que injustamente ocupa lugar dentre os filmes subestimados tanto pelo público, quanto também pela própria Disney.

O que acharam da lista? Podemos ter mais filmes da Disney? Comente abaixo.

Continue Reading

Parceiros Editorias

error: Conteúdo Protegido