Connect with us

cinema

Tomb Raider: A Origem “Reboot traz protagonista forte e com pouco apelo sexual”

Avatar

Published

on

O reboot no cinema da franquia Tomb Raider traz uma nova roupagem para a personagem Lara Croft, protagonista de inúmeros jogos de vídeo game e de outros dois filmes. Em A Origem, Lara é herdeira de uma fortuna deixada pelo seu pai, que supostamente está morto. Mas ela não faz questão de usar o dinheiro e, muito menos, de viver na mansão de sua família.

No início do longa, acompanhamos a jornada da protagonista independente e trabalhando como entregadora de comida. Tudo para poder pagar sua mensalidade numa academia de boxe em Londres.

Vencedora do Oscar de atriz coadjuvante por Garota Dinamarquesa, a sueca Alicia Vikander (Ex Machina) foi a escolhida para reprisar o papel vivido por Angelina Jolie nos dois esquecíveis filmes do início dos anos 2000. Conhecida pelos dramas e longas de baixo orçamento, Vikander tem seu primeiro papel num grande blockbuster e não decepciona.

Com um foco totalmente diferente dos outros filmes, e embalado pelos aclamados Mulher-Maravilha e Pantera Negra que trouxeram um forte empoderamento feminino, o longa de 2018 traz uma personagem mais profunda. Aqui, o apelo não é apenas sexual como no caso de Jolie, que é muito mais lembrada pelos shorts curtos e pela maneira sexualizada do que pelos filmes em si.

A própria escolha da atriz protagonista mostra a preocupação do estúdio com a representatividade feminina nos cinemas. Alicia Vikander entrega uma Lara Croft forte, que não mede esforços para conseguir o que quer e que bate de frente com qualquer um que ouse entrar no seu caminho.

Como não poderia deixar de ser, o filme traz diversas referências para os fãs dos jogos da atual geração, como mostra o vídeo feito pelo site IGN. Até por isso aposta demais na computação gráfica e em cenas exageradas de ação.

Tomb Raider não é o único filme baseado em vídeo games com uma mulher protagonista, também temos o Residente Evil que fez sucesso e teve várias sequências com a atriz ucraniana naturalizada norte-americana Milla Jovovich (O Quinto Elemento). E depois de fracassos como o de Assassins Creed e outros derivados dos games, traz um fôlego novo para adaptações do tipo no cinema.

No decorrer do longa, a história é batida e o final chega até a ser meio óbvio. Mais uma vez temos a aposta na história de Lara indo atrás de um mistério para reencontrar seu pai Richard (Dominic West), ou descobrir como ele foi morto. O destino é um túmulo lendário numa ilha na costa do Japão que esconde uma praga que, se cair nas mãos erradas, pode acabar com o destino da humanidade.

O filme deixa algumas pontas soltas para uma possível continuação e apesar de alguns problemas no roteiro tem potencial para fazer uma boa bilheteria nos cinemas, focando principalmente nos amantes dos jogos de vídeo game que tiveram que esperar quase 15 anos para rever a personagem nas telonas.

Além de Alicia Vikander como a protagonista Lara Croft e Dominic West (O Mestre dos Gênios) como o pai Richard Croft, o filme traz Walton Goggins (Os Oito Odiados) como o vilão Mathias Vogel, Daniel Wu como Lu Ren e Kristin Scott Thomas como Ana Miller. O longa tem direção do norueguês Roar Uthaug (A Onda) e roteiro de Geneva Robertson-Dworet (Transformers – O Último Cavaleiro).

Tomb Raider – A Origem estreia nos cinemas no dia 15 de março.

Tomb Raider: A Origem

7.2

Roteiro

6.5/10

Direção

7.0/10

Fotografia

8.0/10

Pros

  • Protagonista forte

Cons

  • Roteiro previsível

Formando em Jornalismo, cinéfilo fanático pelas franquias Star Wars e Batman. Eclético e buscando atualizar o gosto pelo cinema constantemente. Na TV, fã das séries The Walking Dead, Mr Robot, Westworld Rick and Morty.

Advertisement
Comments

cinema

Warner, Marvel, Globo e outras empresas se posicionam contra o racismo

Gigantes do entretenimento deixaram suas mensagens de apoio ao movimento #VidasNegrasImportam

Avatar

Published

on

By

Os Estados Unidos (e algumas partes do mundo) estão enfrentando a maior crise da sua história, tudo porque de uma vez a economia, a saúde e a parte social estão literalmente entrando em colapso.

A parte econômica e de saúde se deve por conta da pandemia instaurada pelo coronavirus e seus efeitos nestes dois setores, somando-se à parte social que já andava fragilizada, agora ganha contornos raciais após a divulgação de um vídeo na última segunda-feira (25) que mostra um homem negro, o  ex-segurança George Floyd, sendo imobilizado por um policial branco com os joelhos em seu pescoço.

Tendo em vista este cenário, varias empresas e instituições estão se posicionando contra o racismo, entre elas gigantes do entretenimento como a Netflix, Marvel, Amazon Prime, Warner, Globoplay e outras. Confira: 

“Nós nos posicionamos contra o racismo. Nós nos posicionamos à favor da inclusão. Nós nos posicionamos ao lado de nossos funcionários, contadores de histórias, criadores negros e à comunidade negra como um todo. Nós precisamos nos unir e nos pronunciar”

https://www.instagram.com/p/CA3iFJMDBxX/?igshid=15zq3x6byw6nm https://twitter.com/globoplay/status/1267200741430738950?s=21 https://www.instagram.com/p/CA3cdpBgCoi/?igshid=1nuiufv671b1w

“‘Alguém tem que se levantar quando os outros estão sentados. Alguém tem que falar quando os outros estão quietos.’ – Bryan Stevenson.
Estamos ao lado dos nossos colegas, talentos, contadores de histórias e fãs negros – todos afetados pela violência sem sentido. A voz de vocês  importa, a sua mensagem importa. Vidas negras importam.”

View this post on Instagram

#BlackLivesMatter

A post shared by HBO (@hbo) on

“‘Nem o amor, nem o terror cegam: a indiferença é o que cega.’ – James Baldwin.
Nós estamos com os nossos colegas, funcionários, fãs, atores e contadores de histórias negros – e todos afetados por essa violência sem sentido. Vidas negras importam.”

“Estamos com nossos funcionários, colegas, parceiros e criadores negros, indignados com os atos de racismo. Vidas negras importam.”

“Vidas negras importam. Cultura negra importa. Comunidades negras importam. Nós nos posicionamos em solidariedade a nossos colegas, criadores, parceiros e públicos negros e condenamos atos de racismo, discriminação e atos de violência sem sentido”

Os protestos contra o racismo nos Estados Unidos continuaram com manifestantes no último domingo (31) tentando invadir a Casa Branca, sede do governo americano. 

Tomb Raider: A Origem

7.2

Roteiro

6.5/10

Direção

7.0/10

Fotografia

8.0/10

Pros

  • Protagonista forte

Cons

  • Roteiro previsível
Continue Reading

cinema

Retorno de Henry Cavill como Superman é somente rumor

Apesar do interesse do estúdio no ator, não há negociações no momento.

Avatar

Published

on

A notícia que estava sendo celebrado pelos fãs durante a semana pode ter sido um mero “rumor”: de acordo com informações apuradas pelo The Hollywood Reporter, não há no momento nenhuma negociação entre Warner e Henry Cavill para que o ator reprise o papel de Superman nos cinemas.

Entretanto, o site informa de que os executivos do estúdios tem sim um interesse pelo retorno de Cavill, apesar de sua situação ser, nas palavras da publicação, “complicada”. Independentemente de que o rumor apontava que o novo acordo poderia fazer com que o personagem aparecesse em algum outro filme – como nas sequências de Shazam!, Aquaman ou Esquadrão Suicida, por exemplo – nenhum destes roteiros conta com o kryptoniano atualmente.

A situação é similar ao que ocorreu no ano passado, quando Cavill estava concretamente em negociações para fazer uma participação especial em Shazam!, o que acabou não ocorrendo graças à complicações nos ajustes do acordo. Assim, a cena em questão foi filmada apenas com o torso do Homem de Aço.

De qualquer maneira, vale ressaltar que o ator revelou o desejo de encerrar a trilogia iniciada com Batman vs Superman, inclusive expressando isso durante a live em que Zack Snyder anunciou seu corte de Liga da Justiça. Então aguardemos novas informações sobre o assunto em breve.

Liga da Justiça: Snyder Cut estreia em 2021 na HBO Max.

Tomb Raider: A Origem

7.2

Roteiro

6.5/10

Direção

7.0/10

Fotografia

8.0/10

Pros

  • Protagonista forte

Cons

  • Roteiro previsível
Continue Reading

cinema

Live-action de Borderlands terá Cate Blanchett como Lilith

Atriz de Thor Ragnarok se une com diretor de O Mistério do Relógio na Parede.

Avatar

Published

on

Agora é oficial: Cate Blanchett, de Thor Ragnarok, foi confirmada como a siren Lilith na adaptação cinematográfica do game Borderlands. A produção irá reunir mais uma a atriz com o diretor Eli Roth, que trabalharam juntos em O Mistério do Relógio na Parede.

Empolgado, Roth falou com o site Variety sobre a adição de Blanchett à produção:

“Acredito que não há nada que ela não possa fazer: do drama à comédia e agora ação, Cate faz cada cena cantar. Trabalhar com ela é um sonho de diretor virando realidade. Sei que, juntos, vamos criar outra personagem icônica para a carreira bem-sucedida dela.”

Na história, a personagem Lilith é uma das poucas mulheres da galáxia pertencentes a uma classe de “sereias” com poderes especiais, como a manipulação do tempo-espaço. No primeiro jogo, lançado em 2009, ela era uma das quatro personagens jogáveis. Entretanto, nos outros títulos da saga, a personagem voltou a aparecer, mas como não-jogável.

Com direção de Roth, a adaptação contará com roteiro de Craig Mazin, criador da minissérie Chernobyl e com produção de Avi Arad, responsável pelos primeiros filmes do Homem-Aranha.

Borderlands não tem data de lançamento previsto.

Tomb Raider: A Origem

7.2

Roteiro

6.5/10

Direção

7.0/10

Fotografia

8.0/10

Pros

  • Protagonista forte

Cons

  • Roteiro previsível
Continue Reading

Parceiros Editorias