Connect with us

cinema

Um dos maiores jornais dos EUA Washington Post, lamenta “fim da era” Zack Snyder

Edi

Published

on

LOJA DC 4

Em artigo publicado em um dos jornais mais respeitados dos EUA, o crítico de cinema do Washington Post, lamenta o que ele chama de fim da era Zack Snyder.

“E enquanto a “Liga da Justiça” era certamente ruim – um produto que remetia à intromissão corporativa da Warner Bros.; um filme que teria custado mais de US $ 300 milhões para ser feito e de alguma forma, parecia barato e de má qualidade – ainda estou triste por isso (alegadamente) marcar o fim dos esforços de Zack Snyder com no DC Extended Universe.”

Ele diz ainda:

“Ele trouxe uma unidade de visão, tanto ideológica quanto estética, para a Warner Bros. em um esforço para contrariar o MCU da Disney”

O articulista também fala sobre a forma de Snyder dirigir:

“Esta visão estética pode ter provocado sniggers – esteticamente agressivo – mas é muito superior ao estilo do MCU, que é um mecanismo de CGI com cautela, que define as aventuras dos Vingadores e seus amigos.”

“Snyder supervisionou o estilo de uma casa. E é aqui que a recente onda de filmes da DC – tão descontroladamente desiguais como eram, tão desordenados quanto poderiam ser, puramente em termos de narração – sempre foi mais consistente e mais interessante do que suas contrapartes na Marvel”

Mas há uma unidade de visão para os filmes da DC dirigidos por Snyder, que simplesmente faltam na Marvel. A ideia, começando com “Homem de aço”, era simples: o que aconteceria se os deuses aparecessem na Terra? A reinicialização de Snyder do Superman nos pediu para considerar quais responsabilidades um homem com poder divino estaria disposto a aceitar. “Batman v. Superman” perguntou como os homens mais poderosos do mundo – bilionários impressionantes e gigantes tecnológicos – reagiriam instantaneamente ao se encontrarem mais baixos na cadeia alimentar. Como eles protegeriam a humanidade dos novos monstros em seu meio? “Esquadrão do Suicída”, perguntou-se como o governo poderia responder a uma invasão desse tipo, enquanto a “Mulher Maravilha” dizia respeito à necessidade de deuses (ou, pelo menos, semideuses) compreender que o livre arbítrio às vezes leva à morte e à destruição “

“Essas perguntas foram muitas vezes perdidas ou enlameadas no decorrer da adulteração corporativa. Enquanto a Marvel de Kevin Feige contratou uma série de diretores que se conformarão com o estilo da casa e criou um universo lentamente, mas com certeza, Snyder sempre parecia estar empurrando para mais e estava preso a uma gigante corporativa que exigia uma cinemática do estilo Vingadores”

Talvez a “Liga da Justiça”, que pergunta como o mundo responderia à perda de seu novo deus, é um ponto final para a questão inicialmente levantada em “Homem de Aço”. É muito ruim que nunca possamos ver o que Snyder realmente queria fazer com o filme…”

Você pode ler o artigo completo aqui.

Edi on FacebookEdi on InstagramEdi on Twitter
Edi
Produtor, escritor nas horas vagas, administrador, editor e fundador do site CDL.
Comments