Connect with us

cinema

Uma Longa Jornada: Romance sem rodeios, mas com muito potencial desperdiçado

Andressa Araújo

Published

on

Quando o espectador assiste a um filme romântico, a sensação é basicamente a mesma: ele se apaixona e sofre junto com o casal. É fácil se render aos dramas, principalmente aos que envolvem pessoas apaixonadas, mas o que parece é que existe uma única fórmula para produzir romances. Na maioria das vezes, o “cara perfeito” se interessa pela garota dedicada e altruísta; eles têm problemas durante a relação, mas há sempre uma boa possibilidade de um final feliz. Com Uma Longa Jornada não é diferente, mas ele apresenta peculiaridades no enredo e na produção, que se não o torna memorável, pelo menos lhe permite um período de admiração por parte do público.

Dirigido por George Tillman Jr, o longa é uma adaptação do romance homônimo de Nicholas Sparks. Ele traz a história de Sophia Danko (Britt Robertson), uma universitária que está prestes a se mudar para Nova York a trabalho, e Luke Collins (Scott Eastwood), um peão de rodeios. Enquanto o casal tenta se decidir entre o relacionamento e a carreira profissional, eles conhecem Ira Levinson (Alan Alda), um senhor que permanece apaixonado por sua falecida esposa Ruth (Oona Chaplin). As histórias dos dois casais são contadas simultaneamente e reúnem flashbacks e muitos outros fatos em um curto espaço de tempo. No entanto, a cronologia é eficaz, o que é um diferencial.

A obra possui, ainda, um elenco primoroso. Mesmo com o pouco desenvolvimento da personagem Sophia, Britt Robertson se saiu bem como protagonista, principalmente nos momentos de tensão. Ela e Scott constroem uma boa química, o que é importante nos filmes do gênero. O destaque, no entanto, vai para Jack Huston, que interpreta Ira na juventude. Sua performance durante toda a trama é a que mais comove e encanta o público, tanto pela vivacidade quanto pela sutileza. Apesar do papel pequeno, Melissa Benoist também não passa despercebida: sua breve participação como melhor amiga de Sophia merece créditos por trazer o lado cômico, mas na medida certa.

Outra peculiaridade é a construção da história de Ira e Ruth: ela traz um casal feliz, mas que não é perfeito. Juntamente com o carisma de Oona Chaplin, pode-se dizer que foram eles que salvaram o filme. Não fosse isso, a trama envolvendo Sophia e Luke seria rasa e forçada. Seus problemas seriam pouco complexos e tornariam toda a produção cansativa, pois levariam a obra toda para decidir se irão mesmo ficar juntos. Ira e Ruth, por outro lado, dão peso e influenciam diretamente a construção do relacionamento do casal principal. Eles se aproximam do real e trazem mais sensibilidade ao longa.

Além de envolver guerra e falar sobre “o amor que exige sacrifícios”, o filme também é bastante sensitivo de maneiras mais delicadas. Ele faz referência a outras épocas ao enfatizar em algumas imagens o toque. Também utiliza as cores azul e vermelho em uma das cenas de sexo, o que faz lembrar películas antigas. Este recurso permite que o espectador perceba a evolução do casal Sophia e Luke à medida em que eles se aproximam das lembranças de Ira. Outro detalhe eficiente na produção é a trilha sonora, que inclui nomes como Ryan Adams. Nas mãos de Mark Isham, ela se encaixa perfeitamente ao cenário.

Uma Longa Jornada é muito bem produzido. Cheio de boas intenções, peca somente por desperdiçar o grande potencial que tem e apostar em um romance mais cômodo e comum. Com uma história completa, falta pouco para inovar e sair dessa “fórmula batida” de fazer filmes da categoria. O longa se destaca pela força do casal antigo e não dos protagonistas, mas ambos têm muito a oferecer. Por isso, um enredo mais corajoso e aprofundado acerca de Sophia e Luke traria novas possibilidades para uma trama que se torna previsível. Um desperdício que não afeta toda a qualidade da produção, que do elenco ao cenário, agrada e encanta. Apesar de não se destacar dos demais trabalhos do gênero, é uma obra convincente, daquelas que roubam suspiros da plateia.

Confira o trailer:

Comments

CCXP 2019

CCXP 2019 | Diretor e elenco de Star Wars: A Ascenção Skywalker virão ao Brasil

Evento em São Paulo terá painel no dia 7 dedicado à saga.

Kdoo Spiller

Published

on

A Disney revelou nesta terça (19) que os astros Daisy Ridley, John Boyega e Oscar Isaac, além do diretor J.J. Abrams e a produtora Kathleen Kennedy estarão presentes na CCXP19. Todos eles estarão em um painel no sábado (07) para divulgar Star Wars: A Ascensão Skywalker, que chega aos cinemas em 19 de dezembro.

Ainda sem muitos detalhes sobre sua história apresentada, o filme é somente descrito da seguinte forma em sua sinopse: “os sobreviventes da Resistência encaram a Primeira Ordem mais uma vez no capítulo final da saga Skywalker”.

O longa comandado por Abrams ( que dirigiu O Despertar da Força) tem roteiro de Lawrence Kasdan (O Império Contra-Ataca), além de contar com a volta das estrelas Adam Driver, Lupita Nyong’o, Domhnall Gleeson, Kelly Marie Tran, Joonas Suotamo e Billie Lourd no elenco. Os veteranos Mark Hamill, Anthony Daniels, Carrie Fisher e Billy Dee Williams também integram a produção, que terá novos nomes como Naomi Ackie, Richard E. Grant e Keri Russell.

A CCXP19 acontece de 5 a 8 de dezembro no São Paulo Expo. Todos os ingressos já estão esgotados.

Continue Reading

cinema

Michael Rosenbaum sobre a Snyder Cut “A Warner escuta alguém?”

O ator que viveu Lex Luthor foi claro quanto a possibilidade da Warner ouvir os fãs.

Edi

Published

on

By

O ator que interpretou Lex Luthor na série Smallville, Michael Rosenbaum, aderiu a campanha pela versão do diretor da Liga da Justiça, a Snyder Cut.

O ator também criticou o estúdio em uma postagem de Kevin Smith, aonde questinou a afetividade da campanha perante a estúdio que não ouve os fãs.

“A Warner Brothers ouve alguém? Apenas dizendo“.

Já se passaram dois anos desde que a versão desmantelada da Liga da Justiça foi lançada nos cinemas – um filme que teve inicialmente nas mãos de Zack Snyder e depois, devido o suicídio de sua filha, foi substituído por Joss Whedon.

O estúdio lançou um filme diferente do que foi filmado originalmente, o que gerou a campanha na internet pela versão do diretor, conhecida como Snyder Cut. Mas segundo a imprensa americana, mesmo com todos os pedidos do público, atores e executivos, a Warner não pretende liberar o filme por enquanto.

Você acha que a Snyder Cut um dia será lançada?

Continue Reading

cinema

Um espião animal | Nova animação da Blue Sky ganha trailer

Com ninguém menos que Will Smith e Tom Holland!

Mariana Franco

Published

on

Na manhã desta segunda (18) a FOX liberou o trailer de seu próximo lançamento, o longa Um Espião Animal.

O longa que tem Will Smith e Tom Holland no elenco de dubladores conta a história de Lance Sterling (Will Smith) um espião experiente e habilidoso que tem como tarefa diária proteger o mundo.

Já Tom Holland da voz a Walter Beckett, um cientista com incrível capacidade de construir e inventar acessórios para Lance usar em suas missões, porém o que lhe sobra em inteligência falta na hora de se socializar e interagir com pessoas.

E quando um experimento de Walter transforma Lance em um pombo eles deverão confiar nas habilidades um do outro para que juntos possam impedir que o mundo acabe.

O longa é inspirado em um curta chamado Piper e conta com a direção de Nick Bruno e Troy Quane. O elenco tem estrelas como Will Smith, Tom Holland, Ben Mendelsohn, Karen Gillan, Rashida Jones, DJ Khaled e Masi Oka e terá Lázaro Ramos e Tais Araújo na dublagem brasileira.

Um Espião Animal tem estreia prevista para 23 de janeiro de 2020

Continue Reading

Parceiros Editorias

error: Conteúdo Protegido