Connect with us

Colunistas

Porque você deve assistir Animais Fantásticos e Onde Habitam apesar do Johnny Depp

Edi

Published

on

LOJA DC 4

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.

Claro que satisfazer determinados grupos e minorias tem sido uma forma de se trabalhar em Hollywood, e isso é uma coisa boa, gays, travestis, bissexuais e etc… Que antes mal tinham espaço hoje começam a ter uma frestinha de possibilidade para demonstrarem o seu lado artístico, logo dar espaço a quem de direito, independente da orientação ou sentimento sexual que essa pessoa tem, é uma coisa que aos poucos o cinema vem fazendo. Logo um destes grupos, feministas e outros grupos (até porque não se precisa ser feminista para defender o óbvio) repudiaram a ideia do ator Johnny Depp fazer parte da franquia Animais Fantásticos e Onde Habitam, depois que ele foi acusado de violência doméstica contra a ex esposa Amber Heard.

O Cabana do Leitor sempre foi um lugar livre para que pessoas pudessem manifestar sua opinião, aqui caso seu artigo tenha um fundamento ficaria muito feliz em publicar as contra razões do mesmo, porém me permita explicar o motivo deste artigo. Eu como estudante de Direito, preciso estudar vários ramos da aplicabilidade das leis, obviamente o direito praticado aqui no Brasil e nos EUA é diferente, porém, ambos buscam uma coisa que não tem explicação fácil, mas sinteticamente é JUSTIÇA, neste caso para os advogados de ambas as partes a justiça talvez tenha sido feita, Amber desistiu do processo após receber 7 milhões e resolveu doar a caridade. Não vou entrar no caso da violência doméstica ou não, não sou mulher para falar sobre essa situação, e jamais vou saber como deve ser irreparável a situação de abusos com violência na própria casa, não estou aqui para falar e fazer juízo de valor sobre o casal, mas a razão de eu não boicotar Animais Fantásticos e Onde Habitam é simples.

No direito temos varias espécies de contratos, quando Depp assinou o contrato para participar do filme e do resto da franquia, ele possui varias clausulas, me espanta no jornalismo ninguém mencionar estas coisas de suma importância. Entre eles existem contratos de multa caso algum dos lados decida rescindir o contrato. Amigos meus escritores que assinaram contratos com editoras sabem disso e foi engraçado que alguns deles resolveram mais atacar a Joanne. Essa multa se tratando em proporções, varia muito, mas podemos entender que atores e estúdios tem uma vida agitada, sem falar que roteiristas às vezes escrevem roteiros de acordo com os atores que farão os papeis, logo uma rescisão, além de gerar uma multa enorme contra todos os envolvidos ainda poderia ter que se reestruturar todo o roteiro. Imagina que você seja uma escritora, descreve um personagem, depois disso, este personagem ganha vida e diz que você não pode mais usá-lo, logo você teria que no mínimo refazer toda a historia, muitos fãs gostariam disso, mas infelizmente não daria mais.

Em outras palavras, Depp já estava escolhido antes mesmo da polêmica e trocar o ator não é tão simples, porque isso resultaria em mudanças drásticas para toda a franquia, pois sabemos que já existem mais 4 filmes vindo por aí. Muitos fãs queriam uma declaração bombástica da Joanne a respeito da escolha de Depp, mas o que fazer? Por que assassinar publicamente seu próprio projeto, se você não teve culpa de nada, para satisfazer seu ego como fã ou sua sede de justiça? Pois nem terá a justiça que você espera, como mostrado Amber já fez um acordo. Logo, a culpa neste caso pode ser um preceito machista? Ao meu ver pode, ao colocar a culpa de tudo na escritora.

maxresdefault

Vi uma coluna no Huffpost Brasil, aonde a maioria dos fãs falaram o seguinte sobre a ideia de tudo isso em Animais Fantásticos e Onde Habitam “Nossa, porque a Joanne nos colocou em uma situação difícil dessas…?”. Porque culpar a mulher é tão fácil? O culpado de todos estarem em uma situação difícil foi do próprio ator. Joanne e praticamente todos os envolvidos na produção, foram tão vítimas de tudo o que foi feito (sem entrar no mérito se houve ou não, não escrevi isso para falar sobre este assunto) quanto você, que se diz fã. Logo perguntar a Joanne sobre o Depp é o mesmo que perguntar ao Robert Downey Jr. sobre o seu passado com drogas, mas tivemos duas reações diferentes do público, Joanne sendo questionada “Nossa, a mulher se vendeu, não vale mais nada”, já quando o Robert foi questionado sobre o seu passado com drogas, ele simplesmente saiu da entrevista e foi aplaudido. A diferença é que ele cometeu alguns delitos, e ela? Não teve culpa de nada, mas preferivelmente é a melhor escolha a ser feita para culpar alguém.

Fãs, entendam uma coisa, Joanne não tem culpa de nada, infelizmente ela não tem um vira tempo, ela deve ter perdido em algum momento e o Johnny Depp deve estar querendo encontrar. Até porque quem precisa é ele, não ela.

Revisado por: Raquel Moscardini

Comments