Connect with us
Cyberpunk Cyberpunk

Games

Cyberpunk 2077 | Evento é adiado mas ainda acontecerá esse mês

Cyberpunk 2077 teve seu evento adiado por conta das diversas manifestações que estão acontecendo devido a morte de George Floyd, no EUA.

Avatar

Published

on

O evento de Cyberpunk 2077, Night City Wire da Summer Game Fest, que aconteceria no próximo 11 de junho foi adiado para o dia 25 de junho, o motivo é a atual crise politica nos Estados Unidos que cresceu numa proporção gigantesca após a morte do ex-segurança George Floyd por um policia branco, enquanto Floyd era imobilizado.

A CD Projekt Red escreveu em seu Twitter na manhã desta última terça-feira (02):

“Decidimos mudar o Night City Wire para 25 de junho. Ainda estamos ansiosos para compartilhar novas informações sobre o CP’77, mas discussões mais importantes estão acontecendo no momento e queremos que elas sejam ouvidas. Sinceramente, somos contra o racismo, a intolerância e a violência. Black Lives Matter.”

Além disso diversos outros estúdios se posicionaram a favor do movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam).

Cyberpunk 2077 será lançado em 17 de setembro de 2020 para PS4, Xbox One e PC.

Publicitário, nerd, apaixonado pelo mundo dos games, fascinado pelo mundo do cinema. “Ou se morre como herói, ou vive-se o bastante para se tornar o vilão.”

Advertisement
Comments

Games

REVIEW – Death Stranding para PC “um jogo inimaginável”

Que ver como ficou Death Stranding para PC? Confira o Review.

Avatar

Published

on

Death Stranding por fim chegou ao PC nesta terça-feira (14), grandioso game que recebeu alguns prêmios no The Game Awards e ainda teve 10 indicações, incluindo claro o de game do ano. Muitas outras criticas colocaram o jogo lá em baixo e disseram que era um game confuso, com uma historia sem sentido e etc, bom o que poderíamos esperar de Hideo Kojima com esse jogo não é pra menos, com uma expectativa lá em cima pude jogar o game e finalizar seu modo historia com muita emoção. O game traz uma questão um pouco politica também, onde mostra um país um pouco dividido após alguns eventos apocalípticos e você tem essa missão de unir aos poucos essa país.

O jogo conta a historia de Sam Porter Bridges (Normam Reedus), um entregador que de forma corajosa tenta unir os Estados Unidos (que agora é chamado Cidades Unidas da América) após um grande evento apocalíptico conhecido como Death Stranding. O game em si tem um proposito com suas entregas, você faz entregas com o proposito de ir unindo cada lugar a UCA, ligando uma rede no qual eles chamam de Rede Quiral através do Q-Pid, que pode unificar todo o país e evitar mais eventos como o Death Strading.

Durante o game descobrimos que Sam tem Doom’s por ele ser um repatriado, ou seja, ele consegue de certa forma sentir quando os EP’S estão próximos com a ajuda de seu BB claro, além disso seu sangue e fluidos corporais podem ser usados como armas eficientes contra esses EP’S. Além dessas entidades temos os Mulas, que são organizações viciadas em roubarem cargas de outras pessoas e esconderem em armários compartilhados, durante a campanha você é designado para recuperar equipamentos de outras pessoas que foram roubados por eles.

A gameplay do game em si é um pouco ruim, você faz entregas, mas com isso as entregas são demoradas de certa forma, em algumas você pode demorar até 40 minutos ou mais, dependendo da região que você vai passar no jogo. Uma questão que torna o jogo interessante e complexo são as EP’s, que são seres que estão presos no mundo dos vivos e não conseguiram partir para o mundo dos mortos. Outro ponto do game que vale ser destacado é que, os jogadores se ajudam durante o game com construções que aparecem para outros jogadores no mapa, isso ajuda e muito em suas entregas.

Death Stranding traz várias referencias seja elas de itens, hologramas e diversas outras que vemos durante o game, duas que mais chamaram a atenção é do energético que o Sam toma em seu quarto privado que é o Monster Energy Drink e o outro é o holograma que traz Aloy do game Horizon Zero Dawn. Um fator muito positivo do game é sua trilha sonora, que convenhamos é fora de série e surreal, porque as vezes ela toca no meio do nada enquanto você está jogando e são varias músicas.

Hideo Kojima traz algo que nunca vimos antes, em termos gráficos o jogo é totalmente impecável, não temos o que reclamar, a jogabilidade não é perfeita mas não é ruim, para você controlar um veiculo é um pouco difícil principalmente quando você passa em terrenos com alguns obstáculos ou aquelas subidas que são difíceis por terem alguns obstáculos.

Aí fizemos a pergunta de que o porque se demora tanto para finalizar a historia principal do game? Simplesmente por ter diversas, mas diversas cutscenes durante o jogo, Kojima não poupou e transformou o game em um filme em formato de jogo, o que é bom sem duvida alguma e que em certos momentos nos faz imergir dentro da historia cada vez mais.

Diferentemente da versão do Playstation 4 a do PC incluirá algumas novidades como: Modo Fotográfico, suporte para monitores ultrawide, mais frames por segundo (FPS) e conteúdo crossover da saga Half Life, da Valve. O jogo agora tem uma gameplay mais fluida, claro que o ganho exponencial de FPS ajuda e muito na fluidez de sua jogabilidade, sua historia não sofreu nenhuma alteração desde o lançamento no PS4. Claro que para computador precisa ter uma boa configuração para rodar o game, confira:

Requisitos mínimos

  • Sistema operacional: Windows 10
  • Processador: Core i5-3470 ou Ryzen 3 1200
  • Memória: 8 GB
  • Placa de vídeo: GeForce GTX 1050 3 (GB) ou Radeon RX 560 (4 GB)
  • Espaço em disco: 80 GB
  • Outros: DirectX 12

Requisitos recomendados (30fps)

  • Sistema operacional: Windows 10
  • Processador: Core i5-4460 ou Ryzen 5 1400
  • Memória: 8 GB
  • Placa de vídeo: GeForce GTX 1050 Ti ou Radeon RX 570 (4 GB)
  • Espaço em disco: 80 GB
  • Outros: DirectX 12

Requisitos recomendados (60fps)

  • Sistema operacional: Windows 10
  • Processador: Core i7-3770 ou Ryzen 5 1600
  • Memória: 8 GB
  • Placa de vídeo: GeForce GTX 1060 (6 GB) ou Radeon RX 590
  • Espaço em disco: 80 GB
  • Outros: DirectX 12

Atores reais foram usados durante o jogo então vemos Mads Milkesen, Normam Reedus, Leia Seydoux, Guillermo del Toro e muitos outros.

Para entender o contexto da historia demora, mas demora muito, para finalizar seu modo historia é um tempo de mais ou menos 30 horas de game, apenas o modo historia sem platinar ou fazer entregas secundarias, estima-se que para platinar deve demorar em torno de 70 a 80 horas ou mais para fazer 100% no jogo, mas após concluir a campanha o game parece se tornar um pouco mais fácil, o que pode te ajudar a platinar o game e fazer o tão sonhado 100%.

O Sr. Kojima acerta em trazer um jogo totalmente revolucionário, apesar do game ter suas dificuldades e suas limitações ele entrega algo inacreditável e viciante, muitas pessoas podem falar que não é o tipo de jogo que elas jogariam, quando vi a primeira gameplay do jogo pensei a mesma coisa e aí viciei e fiquei durante horas e horas zerando o game. Claramente você pode comprar o jogo sem problema algum e jogar em paz, mas preste muita atenção na historia do jogo é importante demais.

A copia do jogo foi fornecida de forma gratuita pela 505 Games.

Death Stranding está disponível para PC através da Steam e Epic Games Store e PS4.

Continue Reading

e-Sports

REVIEW | Valorant – Análise completa de todas as skins e armas

O Cabana do Leitor teve acesso total a todos os itens de Valorant a convite da Riot Games.

João Gabriel

Published

on

A Riot Games, desenvolvedora do mundialmente famoso League of Legends, lançou há alguns meses seu primeiro jogo de FPS tático 5v5, Valorant. E, por ela ser conhecida pelo LoL desde outubro de 2009, sabemos que a base dos lucros são as skins dos seus campeões e muito mais.

Assim, com Valorant, algumas pessoas poderiam esperar que houvesse um mesmo sistema ou algo semelhante, porém, ao invés de ser nos personagens com skills é com as armas que eles portam. Durante as semanas ou os meses que se passam, a Riot anuncia o lançamento de um pacote de skins com algum título, por exemplo o desta vez foi a Edição ULTRA de Valorant: Ancifogo, que já está disponível para compra no momento que você lê este review. Ela consiste em uma skin de dragão basicamente e tem uma textura com as escamas dele por toda a arma e quando o tiro acerta o inimigo podemos ver o efeito do poder do dragão, ela em jogo, que eu pude testar, ficou bem bonita em algumas armas como Vandal, mas não todas, inclusive na Judge ela fica estranha.

Mas, vamos começar pelas skins que não possuem detalhes muito chamativos e somente alguma pintura ou desenho, como a Marshall Galeria, uma sniper média, inferior a Operator e que tem um custo menor. Seu desenho contém bastante flores na parte do gatilho, mira e a traseira da arma. Também temos a sua skin Couture, uma que possui apenas as cores preta (uma das minhas favoritas) e branca, bem bonita. Passamos para a versão Avalanche, que tem uma temática de cor viva, um azul com branco forte, que se mexe bastante, bonita também.

Valorant: Ancifogo

A Stinger, uma das submetralhadoras mais baratas do jogo, e que possui skins lindas como a Aristocrata com um tom dourado, preto e prateado. A Couture, com os mesmos detalhes anteriormente citados e também a classe Soberania, uma das que foi lançada no começo de junho e belíssima também, uma das classes que eu adoraria ter para mais de duas armas pois são lindas mesmo, o visual te prende bastante, mas neste jogo o foco é o inimigo.

Falemos agora da Bulldog, que possui um espaço grande para o encaixe da mão, e que possui as classes Corrida, carregando as cores vermelho, branco e preto em vários lugares. Ela também tem a classe Aristocrata e Couture e possui uma nova, a Convexo, com um verde, preto e branco, e inclusive acho mais bonita que a Couture, pelo fato de ter mais cores, as vezes um jogador gosta bastante disso.

Spectre, uma das armas que mais pina quando não se mata o inimigo de primeira com um belo headshot, junto com a Stinger. Ela possui as classes Luxo, com um azul vibrante, duas listras brancas passando entre a mira e onde se segura na arma e um branco com pouco destaque. A classe Sublime do jogo é uma das minhas favoritas, pois há quatro tipos de skin dela e uma delas tem um detalhe do lobo atrás da mira e que quando matamos um inimigo surte o efeito do lobo onde ele morre e ainda conseguimos ouvir o uivo, um dos modos dos lobos se comunicarem. Além disto, o detalhe da munição sendo colocada é bem bonito e o seu dourado é lindíssimo, uma das partes que eu gosto muito em arma é um tom dourado. Possui as cores azul, branco, dourado. A classe Prasmático é encontrada aqui também, um tom único de skin, um roxo por toda a arma.

Há também a classe Kingdom, onde eu enxergo uma pegada ”hightech” no silenciador, e no restante de toda a arma, um prateado bonito junto com um preto e pequenas partes amarelas. A Spectre também possui as classes Convexo e Avalanche.

Guardian, uma incrível arma que funciona tanto para longo alcance quanto para perto, uma bala na cabeça é fatal. Ela tem as classes Galeria, que nesta não possui nenhuma flor, mas há um desenho diferente de verde com cinza. Para a arma, temos também as classes já conhecidas Sublime, que nela também fica muito lindo, e a Soberania que é outra maravilhosa.

Avalanche: Valorant

Chegamos em uma das armas mais caras do jogo, a Operator, a sniper melhorada e que tem as classes Luxo, Prismático e Convexo. Tanto ela quanto a Marshall são Fuzis de Precisão.

Exitem duas Escopetas no jogo, a Bucky e a Judge, armas que fazem um grande estrago de muito perto e possui a Kingdom (a Judge não tem ela) que não tem os mesmos detalhes que a Stinger e o branco não se tem em muitas partes e a Galeria, que muda aqui mais uma vez, pois seu desenho tem uma cor verde com um preto bem suave e algumas letras. A Judge por sua vez fica muito linda na classe Luxo e a Corrida, e ela possui a Dot Exe e também a Convexa.

Voltemos para os Fuzis, onde temos duas poderosíssimas: Phantom e Vandal. A Galeria na primeira é diferente mais uma vez pois tem o desenho de um coelho branco e uma grande parte vermelha em outro formato. Ela também possui a Corrida, bem colorida, a Prismática que tem um reflexo bem bonito no meio da arma, a Kingdom que se encaixa melhor aqui do que na Spectre e a Avalanche, que também é muito bonita nesta, e eu adoraria ter ela em umas duas armas ou mais. A Vandal, uma das armas que grande parte das skins se encaixa muito bem, ainda mais a Aristocrata, a Luxo que fica muito bonita e eu sempre gostei dela desde o beta, uma Dot Exe, que assim como o nome tem um estética estranha. Avalanche e Sublime também são classes que temos aqui.

Metralhadoras, que temos a Ares e a Odin, ambas com grandes munições e que serve para abrir espaço para quem não quer que o inimigo tenha chance alguma quando mirar. Na primeira temos a Corrida, Aristocrata e Prasmática. Já a Odin, até o momento do jogo só possui uma classe que é a Dot Exe, e só ela, Vandal e a Judge possuem esta.

Agora vem as Armas Leves, aquelas para iniciar a rodada quando não se tem muitos créditos e precisa economizar. Aqui temos a Classic, a arma grátis, que possui as classes Galeria que aqui tem um desenho fraco, a Sublime, a Kingdom que você pode conseguir sem gastar nada somente cumprindo o contrato de Agente, a Avalanche, a Recurso Final, que eu acho sem vida e feia, e a Pistolinha, como é descrita no jogo, e que é mais bonita que a Galeria. Existe a Shortly, uma mini escopeta que consegue um dano absurdo se acertar um tiro ou dois, dependendo da vida do inimigo. E ela possui somente uma skin, Veneno de Cobra, que você consegue cumprindo o contrato de Agente da Viper.

Temos a Frenzy, uma metralhadora de mão, mais de 10 balas. A skin do jogo que SÓ ELA TEM é a Cospe Fogo, que é lindíssima. Temos também a Corrida que se encaixa muito bem nela, a Couture, a outra classe novata Ragnarocker que também é bem bonita e quase se iguala a Cospe Fogo.

A Ghost, arma leve, é uma pistola com silenciador e uma das minhas preferidas para começar rounds ou para usar quando a munição acaba e é preciso matar o inimigo enquanto ele recarrega ou a sua própria munição acaba e você não quer depender da espera. A Luxo cai muito bem nela, assim como a Soberania. Outras skins dela são a Silenciosa, a Soberania, temos a Vingativa – do contrato da Agente Reyna -, a Prismática, Dot Exe, aparecendo pouco mas aqui está ela, a Silencialmas – que você consegue com o contrato do Agente Omen -, e por último temos a Sheriff, uma arma que lembra velho oeste, e que se pegar na cabeça é headshot certeiro. Temos as classes de skin Aristocrata, que cai muito bem nela, a Convexa que também é muito bonita aqui, e algumas novas como a Protektor, Pacificadora, e a Fim de Jogo que fica lindíssima aqui também.

As facas, a Confronto Sublime e a Soberania são as mais belas aqui. A Luxo também consegue este título, enquanto a Prismático e a Kingdom são as médias.

Bom, essa foi a análise de skins do jogo, e ainda devem vir muitas pela frente, espero que gostem do jogo e claro, das belas skins que possuem dentro dele.

Valorant é um jogo para PC desenvolvido pela Riot Games.

Continue Reading

Games

CD Projekt Red lança Thronebreaker para iOS

A CD PROJEKT anunciou o lançamento de Thronebreaker: The Witcher Tales para iOS.

Avatar

Published

on

By

A CD PROJEKT anunciou o lançamento de Thronebreaker: The Witcher Tales para iOS. Os jogadores já podem adquirir o jogo na Apple App Store.

Thronebreaker é um RPG para um jogador ambientado no mundo de The Witcher, que combina exploração baseada em narrativas com quebra-cabeças únicos e batalhas por turnos.

Os jogadores assumem o papel da Rainha Meve de Lyria e Rívia, que é forçada a entrar no caminho da guerra em face de uma iminente invasão nilfgaardiana. Para ter uma chance contra seus inimigos, Meve deve reunir um exército poderoso, o que significa partir em uma jornada sombria de destruição e vingança.

Esta versão mais recente traz a experiência completa de Thronebreaker para iOS, com controles de tela de toque projetados para dispositivos móveis, além de suporte para saves na nuvem para que os jogadores possam retomar sua aventura de onde pararam no PC e vice-versa. Em Thronebreaker no iOS, os jogadores também podem desbloquear diversos bônus em GWENT: The Witcher Card Game para iOS, PC e Android, incluindo ornamentos exclusivos e 20 cartas para serem usadas em batalhas multiplayer. Além disso, os jogadores podem reivindicar gratuitamente um conjunto de brindes digitais de Thronebreaker, incluindo a trilha sonora oficial, arte conceitual do jogo e um mapa de Lyria.

Thronebreaker: The Witcher Tales está disponível para iOS, PC (GOG.COM e Steam), Nintendo Switch, PlayStation 4 e Xbox One.

Continue Reading

Parceiros Editorias