Connect with us

Livros

Resenha – Mitologia Nórdica

Neil Gaiman reconta os mitos escandinavos desde a origem dos nove mundos até o Ragnarök.

Rodrigo Roddick

Published

on

Mitos são o início do fundamento científico sobre a observação da natureza pelo homem. Era o método utilizado pelas civilizações antigas para tentar responder a grandes questões: “quem criou o universo?”, “qual o sentido da vida?”“existem seres maiores que nós?”. A mitologia então nasceu como modelo para nortear a vida das pessoas e acabou se tornando uma marca cultural de grandes civilizações e povoados. 

Em Mitologia Nórdica encontramos as histórias que configuram e caracterizam a cultura escandinava.

O livro foi lançado pela Intrínseca em 2017 e ganhou uma edição de luxo no ano passado (2018) pela mesma editora. Ele traz um apanhado de mitos dos Eddas – coletâneas de textos que versa sobre a história dos deuses e heróis nórdicos – reunidos e recontados por ninguém menos que Neil Gaiman.

Este autor, muito em alta hoje em dia pelo seriado Deuses Americanos (2018, Amazon Prime), possui uma vasta obra que abrange desde livros e roteiros de Novelas Gráficas a filmes e séries, recebendo por elas inúmeros prêmios. Para citar alguns deles, temos o Hugo (2016), o World Fantasy Fiction (1991) e o Eisner Award for Best Writer (1992, 93 e 94). Neil Gaiman é mundialmente conhecido por sua obra mais famosa Sandman (1989), trabalho em que o público já consegue perceber o quão ele é apaixonado pela mitologia escandinava.

Já que estamos falando do autor, é possível começar a analisar Mitologia Nórdica através de sua escrita. Muitos leitores concordam que as palavras de Gaiman são minuciosamente selecionadas, pois elas chegam até o interlocutor de maneira clara, objetiva e precisa. Além disso, ele consegue estabelecer uma delicadeza mesmo na descrição de cenas agressivas e também consegue conferir sabor às palavras que imprime em suas páginas. Um talento raro e delicioso de experimentar enquanto se lê. O livro possui uma linguagem bem simples, mas ao mesmo tempo, muito profunda.

Apesar de ser uma coletânea de contos já criados e compartilhados ao longo de gerações, Neil Gaiman faz um brilhante trabalho em resumir e recontar estes mitos de maneira primorosa, realizando ao mesmo tempo um recorte muito preciso com o intuito de narrar a mitologia escandinava desde seu início – a origem do mundo – até seu fim – o Ragnarök. 

Diagramação de Mitologia Nórdica com detalhes da cultura escandinava

Os contos funcionam como ilustrações, episódios, de um mesmo universo mitológico e vão tecendo a história, sintetizada e completa, dos deuses Aesir e Vanir. Explicam como foi a origem e quais são os nove mundos, bem como suas características; quais foram as aventuras e peripécias dos deuses e no que elas resultaram; e termina contando os meandros do apocalipse. Gaiman, através das histórias, explora o panteão escandinavo, mas destaca já no início do livro a importância de três deuses: Odin, Thor e Loki.

O motivo disso é a representatividade triangular também encontrada na mitologia celta (povo indo-europeu). Os três deuses formam os pilares estruturais dos mitos nórdicos. Odin é o mais sábio de todos os deuses e conhecedor de artes ocultas, além de ser considerado o pai de todos os homens e deuses, sendo assim classificado como Pai de Todos. Ele representa a sabedoria. Thor é o mais forte e poderoso, logo representa o poder. E Loki é o mais ardiloso e inteligente dentre eles, significando o caos, mas não pejorativamente como um princípio destrutivo, e sim como uma cadeia de eventos imprevisíveis que resultam em algo novo. Este sentido está bem expandido e exemplificado por Neil Gaiman, pois ele coloca Loki como o precursor de situações embaraçosas e, às vezes, perigosas, mas que acabaram beneficiando os deuses. O leitor vai descobrir que muitos elementos importantes desta cultura mítica foram motivados por Loki.

Ele é o personagem que entrelaça todos os contos e que também conclui a mitologia nórdica.

Através do antropomorfismo, Neil Gaiman desenha um modelo construtor de metáforas, ensinando leitores menos experientes a compreendê-las e a fazer uma análise profunda do texto: enxergar além das palavras, ler o conteúdo que não é visto. Esse é o prêmio que o interlocutor ganha ao se banquetear com os deuses em Mitologia Nórdica.

Um livro gostoso de ler, com uma profundidade exponencial e que conta com uma edição muito bem produzida e adornada por símbolos nórdicos. Para completar, a capa acompanha a dureza e beleza do famoso e poderoso martelo de Thor, o Mjölnir